terça-feira, 31 de agosto de 2010

"Perdoa-me pai, eu comprei" - Agosto

Postado por Luciana Mara às 23:31:00 3 comentários Links para esta postagem
Escolher, pagar e esperar chegar.
Acompanhar o pedido, ficar ansiosa e perguntar ao porteiro se a encomenda chegou.
Chegou? Não? Está atrasada? Briga online a vista!  (#adoro)
Abrir a caixa (olhos brilhando o.o), conferir os volumes, xingar as pontinhas amassadas e marquinhas pretas milimétricas que só você vê.
Abrir e sentir o cheiro.
Hum.... Perfume de livro novo. Histórias novas, vidas novas esperando.
Agora é entrar na fila e esperar a sua vez!
 

E por falar em fila, ela está que cresce.
Agosto foi outro mês abastado, afinal, foi meu
Aniversário!!!
Ganhei, tipo assim, 10% (o que se resume a 1 – Obrigada Gêmea!).
Quanto aos outros 90%, han... Confesso: comprei!
Tenho 10 novas histórias para ler e mais um livrão-'porta segredos' (obrigada Fê!) para encher minha estante.
Então é assim: mês finalizado, lista atualizada!

Aquisições - Agosto
A Dama as Camélias - Alexandre Dumas
Labirinto de Ossos-Rick Riordan(Presente!)
A Fúria - L. J. Smith
Na Escuridão da Noite - K. Smith
Bubble Gum - Lolita Pille
Aprendendo a seduzir - Patricia Cabot
O Último Olimpiano – Rick Riordan
Feios - Scott Westerfeld 
Wake - Lisa McMann
Tentada - P. C. Cast    

E agora? Que venha setembro!!!

domingo, 29 de agosto de 2010

#19: Crônicas do Mundo Emerso (Licia Troisi)

Postado por Luciana Mara às 19:00:00 2 comentários Links para esta postagem
Comentários: Depois de três semanas vivendo em meio a batalhas com fâmins e convivendo com semi-elfo, magos, gnomos e duendes, enfim saí do Mundo Emerso.
A saga Crônicas do Mundo Emerso, composta pelos livros A Garota da Terra do Vento, A Missão de Senar e O Talismã do Poder, conta a história de Nihal a única semi-elfo sobrevivente e incumbida de salvar as oito terras do domínio do Tirano.


Acompanhei toda a evolução da personagem de criança a guerreiro e finalmente a Cavaleiro de Dragão (guerreirO e cavaleirO, com ‘o’ mesmo, cadê os movimentos feministas para reivindicar isso? =P).

Cuidado! Há pequenos spoilers nos meus comentários. Se não quiser saber dos detalhes, pule os próximos três parágrafos. Não me xingue depois, e diga que eu não avisei!
 
Em A Garota da Terra do Vento acompanhei Nihal (cabelos azuis e olhos violetas) brincando de guerra com os amigos de sua cidade (Salazar), ganhando sua espada de cristal negro do pai, conhecendo a magia com Senar e Soana, se apaixonando por Fen (namorado de Soana), perdendo entes queridos, finalmente se dispondo a ser cavaleiro e para isto enfrentando Raven (o supremo general) e várias provas para mostrar sua capacidade de lutar (tudo isso só porque é mulher, aff!). Vi sua primeira guerra, conheci seu instrutor (Ido) e seu futuro dragão (Oarf), e presenciei a despedida de Senar. Senti suas provações, sua vingança e o ódio que a levaram a ser afastada da frente de batalha.

Já em A Missão de Senar, o mago (que tem o nome no título) passa a ter grande importância na história. O livro alterna passagens relacionadas à Nihal e Senar. Ele vai à busca de reforços no Mundo Submerso (aventura nunca antes bem sucedida) em companhia dos piratas do pai de Aires. Enfrenta monstros, tempestades e atentados rumo a terra (ou águas?! =D) desconhecidas. Nihal está na frente de batalha, sendo auxiliada pelo seu ex-colega de academia, Laio, agora seu escudeiro. Histórias do passado são reveladas e promessas são feitas. 
O domínio do Tirano agora se faz mais presente.
  
Enfim, o fim! Nihal tem revelada sua missão. Ela é a única esperança para o Mundo Emerso. Por isto, mesmo ferida, sai em companhia de Senar e Laio em busca das oito pedras do Talismã (tsi, tsi, tsi... isto me lembra outra história o.O – HP7) única forma de anular toda a magia do Tirano. Dentre batalhas, mutilações e mortes (fiquei muito, muito triste nestas horas, porque gostava dos personagens que mais sofreram) é chegada hora do confronto final. E me deparei com uma GRANDE revelação. E se era para ter luta, podia ter tido mais umazinha no final, não é?!  
E o mais bacana: conta o que aconteceu depois (senti tanta falta disso em HP7)!!!

Nihal para mim é o Eragon de saia! Apenas metaforicamente falando claro (principalmente porque ela está sempre de armadura o.O). Se curtiu a história de Eragon, com certeza vai gostar de Crônicas do Mundo Emerso também.

Esta saga tem de tudo: batalhas, descobertas, ação, crescimento, ação, revelações, ação e uma pitadinha de romance.

Devo deixar bem claro que adoro histórias medievais! Adoro lutas de espadachins, mundo prestes a ser destruído e esta coisa toda.

Agora é esperar a Rocco publicar o terceiro livro de As Guerras do Mundo Emerso para eu viajar para lá de novo (previsão de lançamento é para 1º semestre de 2011). Os dois primeiros já estão me esperando na minha estante.

E alguns detalhes: a tradução do primeiro livro em relação aos outros dois é diferente. A linguagem no primeiro é mais rebuscada, enquanto dos outros dois, principalmente nas falas dos personagens, é coloquial. Gostava mais de quando eu tinha que ler com redobrada atenção para entender os diálogos. E por isto e pelo fato de que em alguns momentos senti que a narrativa se arrastava (mas vale muito a pena, viu?!)...

Feito inédito: 4,5 estrelas!
Onde comprar: Submarino

terça-feira, 24 de agosto de 2010

#18: Sussurro (Becca Fitzpatrick)

Postado por Luciana Mara às 22:52:00 5 comentários Links para esta postagem
Sinopse: Entrar em um relacionamento não estava nos planos de Nora Grey. Pelo menos até a chegada de Patch. Seduzida por seu sorriso despretensioso e pelo olhar que parece enxergar através dela, Nora se sente incapaz de pensar com clareza.
É quando uma sucessão de acontecimentos assustadores começa a cercá-la. Enquanto isso, Patch parece surgir em todos os lugares e mostra que sabe absolutamente tudo sobre sua vida. É impossível decidir entre atirar-se nos braços dele ou fugir do perigo que o ronda. Na busca de respostas, Nora se aproxima de uma verdade ainda mais avassaladora que seus sentimentos por Patch. De repente, ela está no centro da eterna batalha travada entre anjos caídos e seres imortais - e quando chegar a hora de escolher um dos lados, a decisão errada poderá custar sua própria vida.

Comentários: Hum... Pensando bem, esta sinopse lembra algum outro livro bem famoso. Vamos direto para as evidências (meu momento CSI) e alguns pontos aleatórios da história:

1- A mocinha não queria relacionamentos até a chegada do 'mocinho' (mocinho?)
2- Mocinho/inimigo tem um sorriso beemmm particular
3- A mocinha passa a não raciocinar quando está perto do mocinho (pelo menos não tropeça a cada pedra que encontra e tem personalidade, ufa!)
4- Vários acontecimentos bizarros começam a acontecer em torno dela
5- A mocinha fica em dúvida: fugir ou cair para dentro?
6- O que ele é? De uma coisa ela tem certeza: é sobrenatural (e que ela está incondicionalmente e irrevogavelmente apaixonada por ele =P)
7- O mocinho/inimigo quer matá-la
8- Eles acabam se apaixonando

Tsi, tsi, tsi (batendo as unhas na mesa)...
Pois é, depois de tudo isto, nada como concluir que:
"Anjos caídos são os novos vampiros!!!"

Patch é Edward reencarnado! (Esqueçam o detalhe de que Edward não morreu)

Então, Sussurro é aquele tipo de livro que você devora, mas mais pela curiosidade do que pela paixão. E é importante observar que as mais desavisadas podem até se apaixonar pelo Patch.

A história é centrada em Patch um ‘anjo caído’ arrogante/bonitão cercado de mistérios e Nora uma adolescente desconfiada que vê sua vida e segurança ameaçadas com a chegada deste novo aluno. E onde eles se encontram na escola? Claro que na aula de biologia (rs).

Em seus diversos encontros, várias coisas assustadoras e bizarras ocorrem ameaçando a vida de Nora, mas ela não sabe se estes acontecimentos são frutos da sua imaginação ou se são mesmo reais. Ela é destemida, racional, sabe o que quer e não se importa de correr riscos em busca de respostas. E para desvendar estes mistérios só mesmo descobrindo os segredos de Patch. Ele é o vilão da história ou existe mais alguém por trás deste enigma? E aí está o suspense do livro, e a vontade desesperada que eu tive de terminá-lo.
 

É importante ressaltar, que não se deve cair de boca (ou olhos) no livro achando que vai suspirar e ficar com as mãos escorrendo de tanto mel. A história de Patch e Nora é cercada de mistérios do passado (um ponto chave) e do presente e muita, muita ação. E é no decorrer da história que eles vão se apaixonando, então eu imagino que melação mesmo só em Crescendo (previsto para outubro nos EUA).

Se você leu, leu e leu e não entendeu direito a história, não ligue não... é assim mesmo e essa é a minha intenção. A história é cercada de mistério e se eu contar demais acaba com a surpresa. Só precisa saber que acontecimentos estranhos acontecem na vida de Nora, sua amiga é machucada em seu lugar, sua casa pega fogo e tudo parece remeter a Patch. Mas será ele mesmo o culpado? E mais uma... adoro vilões!

Amei o final! Tudo se encaixou perfeitamente e foi bem bonitinho (sem mais spoilers, juro).

E também não posso deixar de comentar que as capas são lindas, tanto de Sussurro quanto Crescendo  É triste mais admito: compro vários livros pela capa.
Onde comprar: Saraiva, Submarino

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Eu sou um outlier!

Postado por Luciana Mara às 18:14:00 3 comentários Links para esta postagem
Ao mesmo tempo em que como estatística devo confiar nas pesquisas (principalmente aquelas realizadas e registradas por órgãos renomados, como Ibope, por exemplo) não posso deixar de registrar o choque que tive ao ver os resultados sobre o consumo de livros no país.

A pesquisa indicou que, em Minas, cada pessoa gasta R$14,40 em livros por ano por pessoa! Dá para acreditar? Por ano! Eu gasto isso, no mínimo, por semana!!! Acabo de concluir que sou um outlier!!! Daqueles bem, bem, bem extremos.

Considerando apenas BH, a média foi R$25,32/ano sendo que a média nacional foi de R$30,00/ano. No Rio (capital) a média foi de R$95,60/ano/pessoa. (Não) Viva a diversidade!!!

Em números: 
BRASIL
R$ 30/ano/por pessoa

ESTADOS
Rio de Janeiro: R$ 67,03/ano/por pessoa
Distrito Federal: R$ 61 /ano/por pessoa
São Paulo: R$ 47/ano/por pessoa
Amazonas: R$ 39,55/ano/por pessoa
Minas Gerais: R$ 14,40/ano/por pessoa

CAPITAIS
Rio de Janeiro: R$ 95,60/ano/por pessoa
São Paulo: R$ 67,31/ano/por pessoa
Belo Horizonte: R$ 25,32/ano/por pessoa

EM MINAS
Senador José Bento: R$ 34,38/ano/por pessoa
Comendador Gomes: R$ 33,73/ano/por pessoa
Gonçalves: R$ 33,28/ano/por pessoa
Luisburgo: R$ 29,43/ano/por pessoa
Belo Horizonte: R$ 25,32/ano/por pessoa

O Ibope credita o baixo gasto em Minas à má distribuição de livros e a escassez de locais de venda. Mas não é irônico que a cidade com maior média no Estado não tenha livrarias? Ou será que todo mundo compra só pela internet?

Espero que esta conclusão acerca dos gastos não se reflita nos hábitos de leitura dos mineiros. Prefiro acreditar que, meus conterrâneos, ao contrário de mim (compradora compulsiva), pegam livros emprestados de amigos ou bibliotecas e desfrutam desse hábito.

Fonte: Site uai

sábado, 14 de agosto de 2010

#17: Pão-de-mel (Rachel Cohn)

Postado por Luciana Mara às 11:26:00 0 comentários Links para esta postagem
Sinopse: Cyd Charisse é uma "arruaceira em recuperação", segundo seu padrasto. Foi expulsa do colégio interno onde estudava, adora fugir de casa para ficar com o namorado e ensinar palavrões para sua irmãzinha. Até que Cyd é despachada para Nova York, onde ficará com o pai biológico, que ela mal conhece. Se adaptar a uma nova cidade e sua "nova" família será muito mais difícil do que Cyd Charisse imaginava, mas ela pode também descobrir que nem tudo é o que parece.

Comentários: Sabe aquele tipo de livro que você lê numa sentada? Assim é Pão-de-Mel. Mas isto acontece não só porque a história flui bem, mas também porque o livro é fino, com margens largas e letras grandes =P

Cyd Charisse (e não simplesmente Cyd, mas tem toda uma história para esse nome estranho) mora com a mãe, o padrasto e seus dois irmãos pentelhos. Ela acabou de ser expulsa do colégio interno depois do flagra que deram nela e o ex-namorado, Justin (com quem passa o grande drama da história – sem spoiler), e agora seus pais não sabem o que fazer para controlar sua rebeldia.

Agora ela namora Siri, um surfista descolado e 12 centímetros mais baixo que ela. Eles se conheceram na casa de repouso (em que ambos estavam pagando pena) e onde mora Pão-doce, a idosa vidente que os juntou.

Siri mora com o irmão, Wallace, por quem Cyd tem uma (enorme) queda. E foi justamente por causa de uma dessas noites na casa dos irmãos que Cyd se meteu em problemas. Sua mãe a proibiu de sair de casa, de trabalhar no café de Wallace, e também de ver Siri (que termina com ela). Cyd se revolta, não conversa com ninguém e fica intratável. Neste momento sua mãe resolve mandá-la para o pai (durante o verão) em Nova York, tudo que Cyd queria. Mudar de ares, conviver com seu pai de verdade e conhecer seus maravilhosos irmãos...

Mas pela sinopse esperava mais conflitos desse encontro. Frank, seu pai, mal a encontra e a apresenta aos conhecidos como sua sobrinha, tudo porque Cyd é fruto de um relacionamento extraconjugal. Seu irmão é um fofo (e seu namorado também) e até a convida para trabalhar no café dos dois. Só com Rhonda (que não gosta de ser chamada por este nome) é que há alguma dificuldade de relacionamento, mas esperava ainda mais. Mas até a volta para a casa pessoas são encontradas, histórias são reveladas e desculpas são pedidas e o final é daqueles bem bonitinhos.

Acho que mais que uma "arruaceira em recuperação" Cyd Charisse é uma adolescente que quer viver intensamente e aproveitar a vida ao máximo. E é claro que por isso ela dá umas mancadas e faz coisas terríveis.

Ahhh... E porque Pão-de-Mel? Este é o nome da boneca que Frank deu a Cyd no último encontro deles, quando Cyd tinha 5 anos. E ela brinca e conversa com a boneca até os 16 anos (coisa que eu nunca fiz nem quando era criança =P)!

E agora? Cyd vai entrar nos eixos? Vai voltar com Siri? Só lendo Siri (ainda tenho que comprar, então nem eu sei). Pesquisei e vi que tem mais um e será o último (ainda bem) e se chamará Cupcake. Séries me perseguem.


Onde comprar: Americanas (R$9,90)

domingo, 8 de agosto de 2010

#16: Sempre ao seu lado (Rachel Gibson)

Postado por Luciana Mara às 19:24:00 3 comentários Links para esta postagem
Sinopse "Sempre ao seu lado" narra a história de Maddie Jones. A personagem volta à cidade onde nasceu, com pretexto de concluir seu livro, um thriller policial com todos os ingredientes de um bom suspense, duplo homicídio e traição, em uma trama envolvente. O que ninguém sabe é que os fatos são verídicos, e boa parte foi descrita no diário de sua mãe, assassinada junto com seu amante. Maddie Jones está determinada a descobrir o passado sórdido da cidade.

Comentários: Todo mundo sabe que eu adoro chick-lit. É FATO! E com isto, não era para ser diferente a minha opinião sobre este livro, a menos que eu tivesse tido algum prazer em ler. Sério. Eu acho que qualquer tradução da internet deve estar melhor que o conteúdo publicado neste livro. Digo, a história é bacana, mas a ortografia é de chorar. Ele foi publicado totalmente sem revisão, com vários erros de ortografia e de digitação. Até um macaco de olhos vendados teria feito um serviço menos porco. Acho um desrespeito com o leitor a editora publicar um livro nestas condições. Comecei a anotar os erros para mandar para a editora Jardim dos livros, mas desisti logo, porque caso contrário não conseguiria terminar o livro. Chega a incomodar, de verdade. Desabafei.

Então, tirando (tudo) isso e seguindo em frente, posso dizer que a história é legal.

Maddie Jones é uma escritora especializada em histórias de assassinatos em série. Após descobrir os diários da sua mãe, ela resolve escrever sobre seu assassinato e para isto, ela decide voltar para sua cidade natal com objetivo de ‘investigar’ mais sobre este trágico episódio.

Alice Jones, sua mãe, era a garçonete de um bar local. Papo vai, papo vem e ela acaba se apaixonado pelo dono do bar e tendo seu amor correspondido. Só tem um problema: é casado. Ele resolve abandonar a esposa e ficar com a garçonete, quando aparece a esposa e acaba com tudo. Literalmente. Ela mata Alice, o marido e se mata. Fim da história dos três e início da história de Maddie.

Então, em busca do passado, Maddie vai ao Mort’s, bar de Mick Hennessey, o filho da assassina de sua mãe. Ela definitivamente não estava preparada para o que encontrou: um tipão de cabelos negros e olhos azuis e quando ele abriu a boca... ela não teve coragem de dizer seu nome, de confessar quem era,  e optou por dar o pseudônimo usado em seus livros. Ela prometeu para si mesma que na próxima oportunidade esclareceria tudo, mas quando Mick foi a sua casa ajudá-la a exterminar os ratos que apareceram... Ela não resistiu, ficou perdida em seus beijos (y otras cositas más) e com um medo tremendo de contar a verdade.  O Mick faria quando descobrisse que, Maddie na verdade é a filha da mulher que arruinou sua família? E ela, conseguiria descobrir toda a história e publicar seu livro?

Só lendo. Odeio spoiler =D

Um detalhe importantíssimo. Este livro faz o estilo quente. Daqueles bem hot mesmo, a la Irmandade da Adaga Negra. Então, esteja preparada para lê-lo a menos de 90° no ônibus.

Mais um conselho: leia uma tradução na internet. Economize grana e paciência. 
Jardim dos Livros: outra porta fechada! =P
(pela história, não pelo livro)

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

#15: A Última Música (Nicholas Sparks)

Postado por Luciana Mara às 19:55:00 4 comentários Links para esta postagem
Sinopse: Aos dezessete anos, Verônica Miller, ou simplesmente Ronnie, vê sua vida virar de cabeça para baixo, quando seus pais se divorciam e seu pai decide ir para a praia de Wrightsville, na Carolina do Norte. Três anos depois, ela continua magoada e distante dos pais, particularmente do pai. Entretanto, sua mãe decide que seria melhor os filhos passarem as férias de verão com o pai na Carolina do Norte.
O pai de Ronnie, ex-pianista, vive tranquilamente na cidade costeira, absorto na criação de uma obra de arte que será a peça central da igreja local. Ressentida e revoltada, Ronnie rejeita toda e qualquer tentativa de aproximação do pai e ameaça voltar para Nova York antes do verão acabar. É quando Ronnie conhece Will, o garoto mais popular da cidade, e conforme vai baixando a guarda, começa a apaixonar-se profundamente por ele, abrindo-se para uma nova experiência que lhe proporcionará uma imensa felicidade - e dor - jamais sentida.

Comentários: Terminei este livro às 2:10 da manhã de um sábado, após chorar litros e litros no travesseiro. Admito que de início não dei muito crédito a história. No começo há algumas passagens bem clichês, a la sessão da tarde, como a do cara mais cobiçado da cidade que, em uma partida de vôlei, esbarra e derruba o refrigerante na menina revoltada (e meio punk) que veio passar as férias de verão na casa do pai (Steve) com quem não fala há 3 anos. Mas a história é muito mais que isso. Envolve conquista, crescimento, perdão e dor.

Ronnie e seu irmão Jonah (10 anos/garoto engraçado/ chantagista/fofo d+ por sinal) moram em Nova York, com a mãe. Ronnie é uma garota com o lado rebelde acentuado. Ela terminou o ensino médio e não tem planos para o futuro, só quer sair com os amigos, não ser fichada por roubo, e nunca mais chegar perto de um piano. A contragosto vai passar o verão com o pai, ex-pianista em uma cidade do litoral, onde ele mora desde o divórcio.

Assim que chega a cidade Ronnie vai ao festival da cidade em que conhece os outros personagens importantes da história: Will, Blaze, Marcus. Will se encanta com a menina nova da cidade com cabelo roxo, Blaze se torna sua ‘amiga’ e seu namorado Marcus... bem, ele quer devorar Ronnie. Entre enganos, janelas construídas, doenças, fofocas, brigas, traições, tartarugas marinhas, igrejas incendiadas e festas arruinadas (não necessariamente nesta ordem) me encantei, sorri e chorei (muito!!!).

Sparks, sempre Sparks. Ele tem uma fórmula pronta, uma receita de bolo que sempre dá certo. Ele mistura uma causa social, religião, um amor para vida toda (que nem sempre dura toda a vida) e momentos de muitas lágrimas. Aí estão todos os ingredientes para fazer uma história de sucesso. Pena que eu não sei cozinhar.

Lembrete: Leia o livro bebendo (água). Desidratação mata.
Aprovado com a escala máxima Rachel Berry:
Onde comprar: Saraiva, Submarino

E mais. Tem filme também, só que com a Miley Cyrus (que para mim vai sempre ser a Hanna Montana).

E acontece aquela mesma coisa que me revolta em adaptações. Personagens são excluídos, cenas são trocadas de lugar, desfechos são modificados. Só derramei 2 lágrimas vendo o filme (porque me lembrava do livro, e não porque o filme é realmente emocionantes).
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

TOC Template by Ipietoon Blogger Template | Gift Idea