segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

‘Perdoa-me pai, eu comprei’ - Janeiro (2011)

Postado por Luciana Mara às 23:39:00 19 comentários Links para esta postagem
Inspira ‘Eu sou totalmente’ expira ‘controlada’.
Inspira ‘Eu sou totalmente’ expira ‘controlada’.


- Pronto, nosso encontro terminou. Nos vemos na próxima semana.
Dei graças a Deus. Não aguentava mais sustentar aquela posição digna do Kama Sutra. Era a posição cachorro-manco-canguru-perneta da yoga. É quase uma yoga do século XXV de tantas inovações. Perna no lugar da mão, mão no lugar da cabeça, cabeça no lugar da perna, era uma loucura. Eu preciso encontrar e encarar as coisas mais loucas que eu.
Saí da sala em direção aos vestiários. E lá me deparei com a tentação junto à mulher das toalhas.
Então, pensei que o melhor seria fugir.
Eu ainda não tinha intimidade suficiente para interrogar a mulher e pedir informações sobre ele. Antigamente, até que eu conseguiria obter mais detalhes, mas agora preciso de auxílio para isto. Exagero, descontrole dá nisso. Pelo menos fico com cara de intelectual, séria e sexy (Ha... adoro mentir para mim mesma).
Até agora consegui me controlar. Nada de B.A. para mim.

Já em casa, decidi ver TV.
Resolvo assistir o fim de Gilmore Girls, meu outro vício, melhor, mania, já que aboli a palavra ‘vício’ do meu vocabulário.

40 minutos depois...

Fim do episódio, fim da série, e como esperado, várias perguntas. Sou exigente ou os finais é que são incompletos? Grande questão. Talvez eu pudesse tratá-la com o Sr. P.
Eu precisava pesquisar sobre o fim da série. Haveria mesmo um filme?
Então conectei. Meu erro. Fui ver o que a Laurel e a Alexis estavam fazendo após o fim da série, e li que a Alexis (Rory) fez os filmes ‘Quatro Amigas e um Jeans Viajante 1 e 2’ e que os livros foram baseados em uma série. De livros. 4 livros. Precisava de ajuda, por isso resolvi ligar para minha mãe.
-Oi mãe! Tudo joia? Aqui...
-Luciana, acabei de te encaminhar um e-mail. 30% de desconto na Saraiva e 10/50 no Submarino.
-Mãe, eu queria falar justamente sobre isso...
-Aqui, chegou cliente na loja. Depois eu te ligo. Beijos.
-Mas mãe... 
Tum, Tum, Tum...

O universo conspira contra mim. Cedi a tentação (moderadamente).
Ah... São só 4 livros. Fiz algumas contas e resolvi que ficava mais barato comprar 2 em uma loja, e 2 na outra. Economia é o lema. (Adoro economizar!)
Já ia fechar a compra quando voltei para a aba de pesquisa dos seriados. ‘Pretty Little Liars’. Já vi a chamada deste seriado. Ops...ele foi inspirado em uma série de livros. Droga. Livro=Droga. ‘Maldosas’ na cesta. Ah... 30% de desconto. É quase de graça. Só mais um não tem problema. Tem? Não, decidi. Vou fechar o pedido. Pronto. Olho para minha estante. ‘O Beijo das Sombras’, ‘Aura Negra’ estavam tão solitários. Tá, só mais um, ‘Tocada pelas Sombras’. Agora pronto. Fechei o pedido de verdade.  
Inspira. “Eu gastei”. Expira. “pouco, nada de B.A.
Entrei no Twitter. Precisava desabafar:
“Acabei de comprar seis livros. Estou super controlada. Eu acho...”
Era possível usar 140 caracteres, mas foram precisos só 28.
                                  Descontos progressivos na @FNAC

Isto me fortaleceu. Me deu força, ânimo, descaramento e sem-vergonhice.
Liguei para a academia:
- Bom dia! Eu gostaria de falar com a moça das toalhas.
-Espera só um minuto.
Ouvi a música no ambiente. Era Beyoncé, ‘Halo’. Adoro essa música!
-Oi! Meu nome é Luciana e eu vi que você estava lendo mais cedo. Que livro era?
Sim, eu não me segurei. Ela respondeu:
-Era ‘A Pirâmide Vermelha’. Por que?
-Nada. Obrigada.

Livro na cesta. Aí... Matei minha curiosidade.
Ah... Precisava de mais um livro para conseguir o desconto. Eu cantava ‘Halo’ na minha cabeça. Aí, o livro brilhou! ‘Halo’ na cesta.
Pronto, fechei o pedido.
E para que eu liguei o computador mesmo? Era para ver algo da TV? Já me esqueci.
Oito livros em 15 minutos.
E eu estava indo tão bem. Passei um dia sem comprar (o fato de eu estar no sítio e sem acesso ao computador ou livraria no dia 1º, era mero acaso).
Continuei no Twitter, contando sobre as maravilhas compradas agora a pouco.
Meu novo mantra: “Estou em êxtase”. E pobre. E viciada. Twittei: 
“Meu nome é @LucianaMara ...”
Recebi alguns “ois” das minhas colegas de TOC. E resolvi confessar:
“...Eu sou uma Bookaholic”.

1º passo resolvido. Aceitação. Na hora recebi um formulário do grupo, Bookaholics Anônimos, vulgo B.A. Momento de declarar todas as compras:
Meus novos olhos e novas aquisições
Acho que eles descobrem as pessoas pelas hashtags, só pode. Para terminar a ficha de inscrição, eu só precisava preencher o ‘nível de monstruosidade’, mas não sabia nada sobre isto.
Será que é uma das cenas dos próximos capítulos???
Continua...
                    A saga dos Monstros B.A.

P.s.:  Algumas passagens foram inspirados em ‘Cheio de Charme’.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

#45: Cheio de Charme (Marian Keyes)

Postado por Luciana Mara às 18:23:00 17 comentários Links para esta postagem
Sinopse: Quatro mulheres diferentes. Um homem terrivelmente sedutor. E o segredo sombrio que conecta a todos. Esse é Cheio de Charme. A estilista Lola tem todos os motivos para chocar-se com a notícia do casamento: apesar de ser a namorada do cara, ela não é, definitivamente, a noiva. Já a jornalista Grace conheceu Paddy há muito tempo, mas por algum motivo não consegue esquecê-lo. Marnie, casada e com filhos, não tira da cabeça o político conquistador, seu amor adolescente. E Alicia, a noiva, fará de tudo para preservar seu reinado.

Comentários:Agora posso encerrar minhas férias (buaaaa... estou inundando meu quarto de lágrimas) porque terminei o livro da Marian Keyes, diva-que-deve-escrever-até-a-mão-cair, do ano.
---------
Lola era uma consultora de estilo de cabelo bordô. Ela conheceu Paddy de Courcy, um político super carismático e popular, no cemitério e logo surgiu uma química entre eles. Paddy a convidou para sair e ela topou. Primeira parada: Sex shop. Após diversos encontros sem promessas,  Lola fica chocada com o que descobre: Paddy vai se casar com outra. Após presenciar seu desespero, seus amigos a incentivam a viajar e a passar um tempo na pacata cidade no interior da Irlanda, Knockavoy. Mas nem mesmo lá, ela consegue se livrar de Grace...

...que é jornalista e quer uma entrevista com Lola, a abandonada ‘namorada’ de Paddy. Grace trabalhou com Paddy na adolescência, mas há anos os dois não eram mais tão íntimos. Agora ela era casada com Damien, também jornalista,  um cara descolado e dificílimo de conquistar. Além de ser obrigada pela família a parar de fumar para apoiar a tia que está com câncer, conhecer a ex de Damien, propor temas e ir atrás de entrevistas para o jornal, ajudar Dee (a primeira ministra) a se livrar dos escândalos políticos, Grace ainda tem que ajudar sua irmã gêmea Marnie...

...que mora com o marido Nick e as duas filhas na Inglaterra. Marnie está sempre doente, sempre reclamando da vida (parece comigo!!!) e está próxima de perder o emprego. Ela faz milhares de tratamentos, reuniões, análises, mas continua sempre triste. Ela é ex-namorada de Paddy e fica chocada quando descobre que ele vai se casar com Alicia...

... uma mulher com cara-de-cavalo. Alicia está felicíssima. Casar com Paddy era tudo o que ela sempre sonhou. Ela conseguiria ser a mulher perfeita para este político em ascensão?

Que Paddy é uma forte ligação entre estas mulheres, já dá para perceber. Mas é apenas isto? (Minha conclusão inicial: A mãe do Paddy passou mel no lugar do talco quando ele era bebê, não tem outra explicação =P)

A história tem conquistas, reconquistas, pancadas, fogo em carros, bebedeiras, caras vestidos de forma bem peculiar, revelações, brigas e um bocado de política (que eu odeio). 

E acho importante destacar que há vários outros personagens bacanas e com características peculiares, mas não entrei em detalhes porque senão entrego a história toda.
---------
Desta vez, a MK abordou principalmente dois temas pesadíssimos: alcoolismo e violência contra a mulher. Ela retratou as situações tão bem, com tanta veracidade, que era impossível não sofrer junto com as personagens.

O livro é enorme, tem 784 páginas. Assim, imaginei que eu fosse morrer, morrer de rir porque para mim ‘livro grande da MK’ = ‘mais gargalhadas’, mas me enganei. Eu morri de raiva e de agonia, algo que geralmente não acontece comigo lendo MK. Às vezes até me esquecia que era um chick-lit.

O livro é super bem feito e a capa segue o mesmo padrão dos outros livros da Marian Keyes publicados no Brasil, tendo no fundo as listras verticais que lembram Melancia (um dos meus xodós - Resenha AQUI).

Os capítulos são divididos pelos nomes das quatro personagens, sendo que para cada uma há uma  fonte diferente. Além disso, vale destacar que as partes da Lola e da Grace foram narradas em 1ª pessoa e as partes da Marnie e da Alicia em 3ª (ainda bem que as partes da Alicia eram pequenas, porque a letra era bem ruim de ler, parecia que tinha sido escrito a mão.)

Eu gostei da história! Adorei as partes da Lola e da Grace (minhas personagens preferidas do livro), as partes da Alicia eram curtas (ainda bem) e as da Marnie me davam agonia (porque eram pesadas e porque eu não aguentava mais ler as mesmas frases repetidas milhões de vezes seguidas como se fosse um mantra,  como se fosse um mantra, como se fosse um mantra). 

Mas senti que faltaram as características que eu tanto gosto nos livros da MK: as passagens engraçadas e viajadas (só tinha algumas na parte da Lola e quando falava da família da Grace), as cenas picantes, as cenas de bebedeiras com as letras trocadas e um cara apaixonante, afinal, era um chick-lit, não?

Tá, ok! Achei bacana também ela chamar a atenção para temas importantes e não apenas escrever um livro engraçadinho. O que aconteceu foi que algumas vezes eu quase esquecia que era a Marian Keyes (sem contar que o drama de uma personagem me lembrou muito a Rachel de Férias! – Meu xodó mor).

E mais uma coisa: eu matei as charadas, as ligações entre os personagens e as situações que eles estavam envolvidos, então, pela primeira vez, não fiquei chocada, como sempre fico em alguma parte dos livros da autora. 

Depois de tudo que eu falei, até parece que eu não gostei. Mas acreditem, o livro é bom sim, só segue uma linha diferente dos outros. 
 
Eu recomendo!!!
 



Ps.: Este livro faz parte da lista do desafio de férias, do Garota It! Ufa... foram 7 este mês =)

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

#44: Sorte ou Azar (Meg Cabot)

Postado por Luciana Mara às 17:02:00 13 comentários Links para esta postagem
Sinopse: A falta de sorte parece perseguir Jinx onde quer que ela vá — e por isso ela está tão animada com a mudança para a casa dos tios, em Nova York. Talvez, do outro lado do país, Jinx consiga finalmente se livrar da má sorte. Ou, pelo menos, escape da confusão que provocou em sua pequena cidade natal. Mas logo ela percebe que não é apenas da má sorte que está fugindo. É de algo muito mais sinistro... Será que sua falta de sorte é, na verdade, um dom, e a profecia sob a qual ela viveu desde o dia que nasceu é a única coisa que poderá salvá 

Comentários: Pensamento Aleatório (P.A.) 1 – A Meg não tem cabeça. Ela tem uma máquina criadora de histórias sob o pescoço. E eu aceitaria uma máquina destas de bom grado.
---------
Jean, ou Jinx, como é chamada, acabou de se mudar da casa de sua família no interior para a casa dos tios em Nova York. Ela, que antes dividia o banheiro com as sete pessoas da casa, agora tinha um banheiro só seu. Ela não acreditava na sua Sorte, se bem que Sorte não era o carro chefe da sua vida. Azar! Agora sim estou falando a língua de Jinx, apelido que, a propósito, significa pé-frio.

Jinx era uma espécie de Bella sem vampiros (e sem ser enjoada). Ela era desastrada, descuidada, cheia de hematomas e atribuía isto tudo ao azar. Onde tinha uma quina, lá estava ela acertando-a (se ela acertasse na mega-sena como acertava nas quinas ela seria rica – trocadilho mal colocado, confesso).
Então, quando chega à nova casa, após uma confusão do dia da chegada e de meter a cara na escada, Jinx imediatamente conhece Petra, a estudante alemã (e linda) que morava na casa e em troca de casa e comida olhava Alice e Teddy, os filhos mais novos dos Gardiner.
Petra lhe mostrou a casa e quando Jinx perguntou sobre Tory, a prima que há 5 anos brincava com ela de subir em árvores, Petra ficou séria e indicou os fundos da casa. Jinx resolveu ir até lá.
  
Jinx  encontrou um grupo de adolescentes com uniforme de escola, junto de um garoto lindo de olhos verdes, ombros largos e cabelo escuro (Zach...ui) e uma garota magra, linda, de cabelo preto e chanel.  Peraí! Tory não era gordinha, loira e agradável? Era é a palavra certa. Agora Tory era metida, esnobe e estava com os ‘amigos de uniforme' comprando drogas e remédios na mão de seu namorado Shawn, vulgo amigo com benefícios.

Após uma confusão, umas cuspidas, algumas tiradas, a descoberta de que Zach era apaixonado por Petra (que era mais velha e tinha namorado) e a revelação de que Jinx havia se mudado do interior para fugir da perseguição e assédio de um cara, ela resolve entrar para casa e Zach decide ir embora. Ele era vizinho de Tory e sua paixão nada-secreta há muito tempo. 
Então, na portaria da casa, quando Zach ia embora Jinx sentiu, sentiu seu azar. Ela o salvou de ser atropelado e ganhou um hematoma que seria super visível no primeiro dia de aula. Tory, que via tudo da janela da casa, soube de tudo e foi confrontar Jinx. Ela sabia que Jinx, assim como ela, tinha herdado o dom. Jinx também era bruxa! Seus cabelos vermelhos e anelados comprovavam este feito, que Jinx negava. Neste momento, Tory lhe mostrou o boneco de vodu que fez para que Zach pensasse e se apaixonasse por ela.

Ela instruiu a prima a não se envolver com estas coisas, mas Tory estava convencida de seu dom. Duas das suas amigas que estava comprando drogas eram também do seu coven, grupo que amaldiçoava e amedrontava todos na escola, se julgavam poderosas e que por isto saíam fazendo feitiços por aí.

Jinx, tocava violino (lindo, lindo!!!) e tinha sido aceita na banda da escola. Ela preferia ficar com a turma da banda, mas acabava ficando perto dos amigos de Tory, principalmente da Chanelle e do Zach, que era muito fofo e simpático e sempre lhe fazia companhia nas aulas de educação física (a fazia matar aula é a sentença correta). Jinx achava que ele se aproximava dela para saber sobre Petra, mas na verdade, desde o início, é visível de quem ele esta realmente a fim. E Tory percebe isto, e se declara inimiga de Jinx e diz que faria de sua vida um inferno.

E ela fez, desfez e refez! Pessoas surgiram, amuletos de proteção foram criados, feitiços de amarrações foram feitos, houve uma tentativa de suicídio e uma de assassinato, vodus, bailes e sangue. Já contei muito! Agora só lendo.
---------
Eu adoro livros despretensiosos, fantasiosos, de rápida e fácil leitura e Sorte ou Azar é mais um destes livros. Ele é bem fininho e, em um dia que saí de bus (para buscar meus novos olhos), eu o levei (ficar carregando o tijolo, ops... Cheio de Charme por aí está por fora) e o devorei.

Confesso que me espantei um pouco com o papo de drogas no início do livro. Sempre via a Meg como uma escritora de assuntos leves e de bons exemplos (não que ela alguma hora tenha incentivado o uso de drogas, por favor!).

Uma coisa que eu já reparei é que nos livros da Meg ela bate muitas vezes na mesma tecla. Várias vezes Jinx fala que não sabe como a família a aceitou em Nova York mesmo conhecendo o histórico dela, mesmo sabendo de todo azar e de seu perseguidor, e a Meg só introduz os detalhes no final do livro. Tá, isto é um artifício para instigar o leitor, mas o exagero às vezes cansa (isto também aconteceu com Cabeça de Vento).

Eu esperava ainda mais magia, mais feitiços, mais coisas ruins. Tenho sensação de que a Meg enrolou, enrolou e soltou tudo quando faltava 1/4 para o fim do livro. E o final é clichê, mas eu adorei! Tem algum livro da Meg que acaba de forma diferente do que se espera? Eu nunca ouvi/li nada assim.

E mais uma coisa compensa: o Zach! Ele é fofo d+! Já tem até que entrar na minha lista.

P.A. 2 – Eu preciso aprender a ser prolixa. Não consigo fazer resenhas curtas. =P
P.A. 3 – Há um filme com a palavra 'Sorte' no título que me lembrou o livro, mas histórias são bem diferentes, chama 'Sorte no amor'. O filme é uma comédia romântica bem bacana (mesmo tendo a Lindsay Lohan no elenco). Eu recomendo!!!
 
Eu aprovo o livro (e recomendo)!!!



Ps.: Este livro faz parte da lista do desafio de férias, do Garota It (livros extras)!

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

#43: As Patricinhas (Zoey Dean)

Postado por Luciana Mara às 12:51:00 22 comentários Links para esta postagem
Sinopse: Megan Smith, recém-formada em Yale, tem grandes planos para sua carreira como jornalista, mas enormes dívidas: 75 mil dólares de empréstimos que precisou para pagar a faculdade. Ela aceita trabalhar num tabloide de quinta categoria, é demitida (não à toa, já que estava pouco se lixando em saber qual celebridade acabou de operar o nariz) e acaba recebendo uma proposta irrecusável. As gêmeas idênticas Rose e Sage Baker têm dezessete anos e são as herdeiras mais badaladas de Palm Beach, conhecidas por terem rios de dinheiro e uma queda pelos flashes dos paparazzi. A avó das gêmeas se oferece para pagar as dívidas de Megan se ela aceitar ser professora particular das meninas e conseguir fazer que entrem numa boa universidade. Mas as gêmeas não estão dispostas a abrir espaço nas suas agendas de patricinha para aprender álgebra. Megan logo percebe que para conquistar suas alunas, vai ter que aprender a diferenciar Pucci de Prada. E se assumir um personagem, talvez, quem sabe, pode conseguir ensinar alguma coisa para as meninas. Mas o que Megan jamais poderia imaginar é o que ela própria ia aprender com aquela lição. 

Pré-comentário: Meu Deus! Que sinopse ENORME!

Comentários: E como este livro brilhou! Brilhou tanto que nem deu tempo de fazer histórico no Skoob. Ele foi direto do ‘vou ler’ para o ‘lido’.
---------
Megan Smith, recém formada de Yale em letras (me lembrou a Rory Gilmore - estou na última temporada e já com saudades), aspirante a jornalista e devedora de 75 mil dólares em empréstimos estudantis, estava trabalhando em uma revista de fofoca.

Então, em uma das reuniões de pauta, Megan propôs para Debra, a chefona, um tema de reportagem com um pouco mais de conteúdo. Resultado: Megan foi demitida. Mas, no momento em que saía da revista, Debra lhe faz uma proposta. Ela propõe um emprego de professora particular em Palm Beach. Os detalhes do emprego seriam dados diretamente com a empregadora.

Megan não tinha como recusar. O apartamento que dividia com sua amiga Charma pegou fogo, Megan sempre teve uma invejinha da irmã e atriz em ascensão, Lily, e não queria receber sua ajuda, e além disso, ela não poderia morar com o namorado, James, uma vez que os pais dele eram contra esta relação. 

E ela não recusou! Quando caiu em si, Megan estava em um avião particular, com as iniciais LL espalhadas em todo lugar. Mas, afinal, quem era LL?

Então, Megan se lembrou da sugestão de Debra: ‘Leia a última Vanity Fair’.

Assim, ela descobriu. LL era Laurel Limoges, uma multimilionária. E a tarefa de Megan seria fazer com que suas netas, as gêmeas Rose e Sage, passassem na faculdade Duke. Ela seria bem remunerada, teria casa, comida, roupa lavada e as dívidas da faculdade pagas.

Mas como convencer as patricinhas a estudar? Simples! Laurel disse que não daria para as gêmeas os 84 milhões enquanto não passassem na faculdade.

Pronto! Acordo fechado, linda mansão, tudo perfeito. Isto se as garotas quisessem ter aulas. Elas alegavam que eram famosas e que conseguiriam contratos, não precisando do dinheiro da avó. E de cara, elas pregaram uma peça em Megan (que juro, se fosse comigo eu teria matado uma, ou as duas). E foi neste momento, que Megan conheceu Will, um vizinho um ano mais velho que ela e já formado na faculdade.

Os dias passavam e Megan não conseguia fazer com que as garotas estudassem. Então, com a ajuda do chef de cozinha e drag nas horas vagas, Marco, ‘sua fada maricas’ como ele gostava de ser chamado, ela descobre que só há um jeito de conquistá-las: Megan teria que ser uma delas. Marco era namorado do super badalado Mr. Keith, um cara disputadíssimo e que transformava qualquer mulher em uma diva.

Assim, Megan surge linda e poderosa em uma das festas dos ricos e famosos de Palm Beach e isto acarreta em um grande mal entendido. As garotas pesquisam sobre Megan e descobrem que há uma Megan Smith rica na Filadélfia e a confundem com a Megan-pobre. Ela não desfaz o mal-entendido, já que ele levou a uma aproximação das gêmeas.

Ela afirma que esta aproximação com as gêmeas e seus amigos seria apenas para que ela pudesse coletar material sobre uma entrevista bombástica relatando sobre a vida dos ricos e suas superficialidades. Mas o tempo passa e ela percebe que as gêmeas não são tão burras quanto aparentam e que se arrumar um  pouquinho com as peças certas e uma boa maquiagem levanta a moral de qualquer uma.

Entre banhos na piscina, saídas de iate, as garotas começam a estudar e Megan começa a se aproximar de Will.

Então, em uma festa, Megan aceita o convite de Will e quem aparece? James! Pelo menos Megan e James tinham combinado de continuar a farsa da Megan-rica, e não contar que eles eram namorados. Mas ela conseguiria enganar os dois?

Will ou James? Logo de início já sabia qual seria a minha escolha. 

E a mentira seria descoberta? Megan escreveria sua reportagem? Ela receberia seu dinheiro? As garotas passariam na faculdade? Estas são só algumas perguntas que só serão respondidas após a leitura.
---------
No início do livro, confesso que fiquei um pouco perdida, mas não eram problemas com a linguagem. O que aconteceu é que há muitas citações de lojas, marcas e programas americanos. Seria a mesma coisa de um gringo ler um livro de autor brasileiro com citações das novelas daqui. Mas logo esta enxurrada passa e a leitura fica tranquila.

Devo acrescentar que a capa é linda! Tem um brilho de esmalte cintilante. Apenas uma coisa me incomodou na capa: as duas irmãs são gêmeas idênticas e no livro fala que além da Rose ser completamente influenciada pela Sage, a única diferença é que uma usa cabelo ondulado (Rose) e a outra completamente liso. Agora, reparem: se a de rosa está de salto, ela não deveria ser mais alta que a de verde?
Meu Deus! Como fui detalhista! Ok, ok... Parei!

Este livro deu origem ao seriado Privileged, que foi cancelado na primeira temporada. Mas curiosa que eu sou, fui ver as sinopses dos episódios. Vi que há muitas diferenças, e que o final é não totalmente feliz como eu esperava, então, não vou assistir.

Este é mais um daqueles chick-lits gostosos e fáceis de ler, com uma pequena lição de moral. Só senti falta de um final mais detalhado, mas é sempre assim não é?! As autoras mostram os casais no final, mas deixam o resto do romance subentendido. A Kinsella é mestre nisso (característica que eu odeio!)

E por me divertir, me matar de vergonha e de rir, recomendo!

Ps.: Este livro faz parte da lista do desafio de férias, do Garota It (livros extras)!

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

#42: Como Falar Dragonês (Cressida Cowell)

Postado por Luciana Mara às 11:47:00 14 comentários Links para esta postagem
Sinopse: Soluço Spantosicus Strondus III foi o mais grandioso herói já visto em todo o território viking. Ele era bravo, impetuoso e muitíssimo inteligente. Mas até mesmo os grandes heróis podem ter dificuldades no começo. Principalmente se têm como companheiro um dragãozinho teimoso e mal-educado. Nessa nova aventura da série, o dragão Banguela foi capturado, um nanodragão está prestes a virar refeição e Dragões-tubarões estão à solta. Mais uma vez, os vikings precisam de um salvador... Soluço!  

Comentários: Não tenho nada engraçado/leve/divertido para iniciar este post. Na verdade, nem sei direito o que estou escrevendo. Estou assistindo ao DVD do The Corrs (acústico MTV) e a única coisa que me vem a cabeça é:  na próxima encarnação eu quero muito tocar violino. E penso que tenho que saber falar inglês. Ou então que a Andrea não devia ter passado tanto a mão no cabelo enquanto cantava. Acho que dá para fritar um ovo na cabeça dela de tanto óleo.

Noruega, Irlanda, Europa. Encontrei uma leve conexão entre “Como Falar Dragonês” e The Corrs. Menos mal.

Este é o 3º volume da série que iniciou em: Como Treinar Seu Dragão (Clique AQUI para ler a resenha) e Como Ser um Pirata (Clique AQUI). Os livros são independentes, ou seja, a resenha é SEM spoilers.
--------- 
Soluço, o herdeiro da tribo Hooligans Cabeludos, e seu dragão Banguela estão em mais uma etapa do treinamento de piratas administrado pelo Bocão Bonarroto. Nesta tarefa, os garotos sairiam no mar em duplas no barco que eles mesmos construíram para roubar um capacete de um barco inimigo. Como sempre, Soluço faz dupla com seu melhor amigo Perna-de-Peixe. A única restrição era tomar cuidado com as correntes marítimas de verão que  indicava a presença de dragões-tubarões, uma espécie que atacava por cima do barco e devorava aqueles com algum machucado (eles se orientavam pelo cheio de sangue).
 
Apesar dos pesares, Soluço e Perna-de-Peixe, que tinham os menores e mais fracos dragões de toda a turma, estavam indo bem. Até que de repente, Melequento, o garoto que queria usurpar a futura liderança da tribo, com seu barco ultra potente bate no barco de Soluço fazendo com que ele adentre na névoa em direção a corrente de verão.
 
Os garotos apavorados, encontraram uma nau inimiga e a invadiram. Só havia uma surpresa: era um navio romano com 350 soldados fortemente armados. Perna-de-Peixe é capturado e Soluço, discretamente, vai até os generais e descobre o plano diabolicamente astuto que os romanos estavam armando contra os vikings. E  neste meio tempo, Soluço bola um plano de fuga. Nisto, ele perde metade do livro que estava escrevendo: Como Falar Dragonês, e seu dragão é capturado.
 
Os garotos conseguem voltar para a Ilha de Berk com um capacete romano, mas são ridicularizados pelos alunos por terem se perdido, pois os vikings nunca se perdem.
 
Então, eis que os romanos colocam seu plano em prática e raptam Soluço e Perna-de-Peixe. Há também uma menina, Camicazi, que também foi raptada.

E quem é o vilão da história? Ninguém menos que Alvin, o Traiçoeiro (ex-Fazendeiro Pobre e Honesto).
 
Eles conseguiram fugir? Recuperaram Banguela e o resto do livro? E qual foi o destino de Alvin? Conheça lendo “Como Falar Dragonês”. 
--------- 
Piadas, passagens engraçadas, ilustrações que parecem ter sido feitas por crianças enfeitam o livro e fazem com que esta seja uma leitura leve e rápida.
 
Achei o livro bem divertido. Dos três da série, posso dizer que este foi o que eu mais gostei.
 
E sabem quem o Alvin me lembra? O Doutor Abobrinha do Castelo Ra-Tim-Bum, lembram? Ele sempre aparece quando menos se espera e sob uma nova identidade/disfarce. 
 
E admito! Várias vezes fico com vontade de matar Banguela. Oh dragão folgado! Pelo menos ele faz alguma coisa quando a história aperta de verdade.

Adorei a Camicazi. Estava na hora de aparecer uma garota na história.Viva o feminismo!!!

E seguem os nomes dos livros da série: 1-Como treinar o seu dragão (Resenha AQUI), 2-Como ser um pirata (Resenha AQUI), 3-Como falar dragonês, 4-Como Quebrar a Maldição de um Dragão (pré-venda), 5-How to cheat a Dragon’s Curse, 6-How to Twist a Dragon’s Tale, 7-A Hero’s Guide to Deadly Dragons, 8-How to Ride a Dragon’s Storm, 9-How to Break a Drogon’s Heart.

Este livro faz parte da lista do desafio de férias e do desafio literário (Clique nos nomes dos desafios para conhecer a lista completa).

E para 'Como Falar Dragonês':



sábado, 15 de janeiro de 2011

Selinho nº2

Postado por Luciana Mara às 12:28:00 16 comentários Links para esta postagem
Oba ! Então, vai mais um post com os selinhos que eu recebi estes dias.
Estes quatro primeiros eu recebi da Amanda do Vício em livros e da Kellen do Tudo que me Interessa. Obrigada meninas!!!

Regrinhas:

Quem Receber o Selo Deve:
* Mandar o Selo pra no mínimo 5 blogs Tops da sua Lista.(Deixar o link deles)
* Colocar o Link Do Blog de quem esta mandando o Selo pra você.
* Citar uma frase que descreva o Blog de Quem você recebeu.
* Colocar um Adjetivo pra cada blog que você enviar mostrando por que eles são blogs Top (os blogs indicados estão no final do post)



“Adoro ler sobre Tudo Que Me Interessa: séries, filmes, esmaltes, livros. Na verdade, tenho Vício em Livros, já comentei isto?
As únicas regras são:

- Indicar todos os blogs que você admira ou segue. (está no final do post)
- Escrever 11 coisas que você deseja fazer em 2011

1-Entrar em um curso de inglês.
2-Comprar meu carro.
3-Fazer uma faxina no meu guarda-roupa e doar TUDO que eu não uso (acho que é uma boa fazer agora e mandar para o Rio, né?!).
4-Encontrar uma igreja bacana, um apto melhor ainda e um buffet ótimo para o casório no ano que vem.
5-Ir a um show internacional.
6-Comprar 30 livros (no mínimo!!! Só não sei onde vou enfiar...ops... não pegou bem =X).
7-Comprar toda a coleção de Friends.
8-Trocar de celular.
9-Continuar encontrando com as minhas amigas da facu e do CEFET.  

10-Ir em todos os médicos possíveis (meu plano de saúde é caro d+, então tenho que usá-lo...huauhahua)
11-Tentar escrever mais que dois capítulos do meu livro =)


Para repassar este selo: Coloque os 3 desejos que recebeu de alguém mais os seus 3 desejos natalinos. 


 

Recebi da Amanda os seguintes desejos:
CONFIANÇA
1º em tudo o que você se propõe a fazer
2º de que os sonhos são possíveis
3º em uma vida cada vez melhor

Recebi da Kellen os seguintes desejos:
DIVERSÃO
1º com todas as estórias e personagens dos livros que lerão
2º na companhia dos amigos e familiares
3º para sorrir em todos os dias deste ano 

E desejo a todos:
PERSISTÊNCIA
1º para terminar as histórias que estão chatas, porque pode haver uma surpresa no final (ou não)
2º na busca e conquista dos seus sonhos
3º para superar todos os obstáculos que surgirem


1. Um livro que te faz lembrar alguém e por quê.
'Melancia' me faz lembrar o Léo. Não porque ele seja uma bolota (muito pelo contrário), mas é porque foi meu primeiro chick-lit e o foi o primeiro livro que ele me deu.
Ahhh... 'O Diário de Anne Frank' me faz lembrar a minha mãe. Quando eu estava na escola e fazendo cursinho para CEFET, minha mãe leu o livro para mim e fez minha tarefa da escola sobre ele =). Eu estava sem tempo, então me dá um desconto.

2. Um livro que você gostaria que virasse filme e por quê.

'Fazendo Meu Filme', porque acho a história uma graça e seria uma produção nacional (contando que a Paula escreva o roteiro, claro). Amo filmes teens!

3. Um personagem (feminino ou masculino) de algum livro favorito e por quê.

Lisbeth da trilogia 'Millennium', porque ela é espetacular!

4. Um livro que te conforta e por quê.

'Harry Potter'! Porque lembra alguns dos melhores anos da minha vida.

Blogs que Admiro:
Ui! Tem vários blogs que eu admiro! Então vou mandar para alguns que eu vi que ainda não receberam o selinho.
A menina do fim da rua – 1ª Parceira (e querida!)
Meu nome não é Kerol – Atual e antenada
Free to be me – Objetiva e consistente
Portal dos livros – Divertida e fofa =)
Girl's – Divertida e fofa =)
Thanny in wonderland - Diversificada
---------------
E mais selinhos!
Estes foram criados pela Isa, do Portal dos Livros.
Ahh... A Lets me mandou também!
Obrigada meninas!

Como todo selo tem suas regras, eis as minhas:
1) Dar o link de quem te indicou (super importante!);
2) Dizer 5 roupas/acessórios que você não abre mão;
3) Indicar 5 ou mais blogs que você considera "estilosos".

1) Isa, do Portal de Livros e Lets, do Girl's

2) São as seguintes:
•    Jeans;
•    Camiseta;
•    Relógio (odeio ter que ficar perguntando para os outros as horas, mas odeio que me perguntei também. Sempre fico nervosa e me atrapalho);
•    Pulseira (usei a mesma mais de um ano o tempo inteiro, agora troquei pela que a minha irmã me deu de natal. É tão delicada!);
•    Brincos pequenos.

3) Agora tenho que tirar a Isa e Lets, então copiei os blogs do selo de cima e acrescentei alguns. Ops... são mais que 5, desaprendi a contar.
A menina do fim da rua 

As regras são:
1) Dar o link de quem te indicou;
2) Dizer quais são seus melhores amigos (blogueiros ou não) OU dizer o que é mais importante numa amizade sua;
3) Escolher 5 ou mais blogueiros amigos.

Começando... =)

1) Isa, do Portal de Livros

2) Era ‘ou’ mais vou considerar ‘e’:
Parte A - Melhores Amigos:
Léo, minha mãe, minha irmã (depois de muitos e muitos anos de brigas), Gi, Fê, Reje, Ana, Lívia, em ordem aleatória.
Parte B - Coisas importantes na amizade!
Honestidade, cumplicidade, confiança.

3) E mando para os mesmo blogs acima citados =)
 Ufa!!!
Após um post gigante, eu e meu imobilizado de pulso vamos lá escolher meus óculos.
Oh idade...

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

#41: Como ser um pirata (Cressida Cowell)

Postado por Luciana Mara às 18:28:00 25 comentários Links para esta postagem
Sinopse: Soluço Spantosicus Strondus III foi o mais grandioso herói já visto em todo o território viking. Ele era bravo, impetuoso e muitíssimo inteligente. Mas até mesmo os grandes heróis podem ter dificuldades no começo. Principalmente se têm como companheiro um dragãozinho teimoso e mal-educado.
 
Nesse novo livro arrepiante, Soluço conta mais uma aventura do inicio de sua história - quando ele ainda tinha muito o que aprender sobre como usar uma espada, sobreviver a naufrágios, escapar de dragões homicidas e desvendar os mistérios de um tesouro pirata muito bem escondido. 

Comentários: Eu gosto de histórias de piratas. Sei lá o que me atrai neste assunto. Primeiro pensei no mar, mas o mar me lembra maresia, o que já me deixa melada. Depois, pensei no barco, mas pensei que o movimento do barco no mar me enjoa. Então descobri! O que me atrai é o Orlando Bloom em Piratas do Caribe. Oh piratão!!


Tá bom. O momento safadona passou. A historia é infanto-juvenil e eu aqui me derretendo pelo Legolas, Will, ai...deixa pra lá.
 
Este é o 2º volume da série que iniciou em: Como Treinar Seu Dragão (Clique AQUI para ler a resenha). Os livros são independentes, ou seja, a resenha é SEM spoilers.
---------
Soluço, auxiliado por seu dragão Banguela, continuava no treinamento para se tornar um grande guerreiro viking e a próxima etapa do treinamento seria ser/agir/lutar como um pirata. Então, eis que surge o 1º desafio: luta de espadas em auto-mar. Bafoca, um dos grandalhões  da turma, se prontificou a ser o 1º combatente. Soluço e Perna-de-Peixe, seu melhor amigo, seriam os primeiros a fugir, mas Soluço pensou bem e descobriu que era melhor acabar com isto de uma vez, e por isso se prontificou a lutar com Bafoca.

Soluço era péssimo espadachim, contudo Banguela interferiu na luta e surpreendentemente mordeu Bafoca, que ficou irado. Neste momento, a espada de Bafoca perdeu a proteção que cobria a lâmina, contrariando as regras, mas mesmo assim ele continuou indo para cima de Soluço. Seria o fim do herdeiro da tribo Hooligans Cabeludos.

Então, um caixão escrito 'NÃO ABRA' bate no barco. O barco foi destruído, contudo milagrosamente todos se salvaram.

Os garotos, auxiliados pelo treinador Bocão, levaram o caixão para a Ilha de Berk para que os anciões decidissem o que fazer. Seria conveniente, ou melhor ainda, prudente abrir o caixão?
 
Ao contrário do que queria/esperava/desejava desesperadamente Soluço, eles resolveram abri-lo. De lá saiu alguém verde, mas ao contrário do que se pensava, não era Barbadura, o Terrível, tataravô de Soluço e pirata mais temido de todos os tempos. Era Alvin, o Fazendeiro Pobre e Honesto, e com ele, uma notícia que interferiria na vida de todos: uma charada, um mapa e a indicação de um grande tesouro. Então, todos, inclusive os garotos e dragões, foram convocados à ir atrás do tesouro. 
 
Nesta caça, Soluço novamente teria que mostrar que ele era o herdeiro da tribo. 
 
E aí? Eles encontraram o tesouro? Todos se salvaram? Só lendo, porque parei por aqui para pensar no 'Bloonzinho'. Ops... parei.
---------
Assim como o primeiro volume, este livro também é ricamente ilustrado, com várias cenas de humor e muito bem escrito (ri bastante com a passagem da pág. 183). Além disso, continua com as palavras não-gritadas em caixa ALTA e texto não justificado, mas estou respirando fundo e esquecendo destes detalhes.

E eu gostei deste livro assim como gostei do primeiro. A leitura é leve, divertida. Mas desta vez li em um dia, já que estava no embalo do 1º volume (mas não, este livro ainda não brilhou, sorry).
 
E eu já disse que adoro os nomes dos personagens? Pois então, eles são sempre divertidos. E aqui para nós, alguém chamado 'Alvin, o Fazendeiro Pobre e Honesto' prestaria? Eu acho que não.
 
E seguem os nomes dos livros da série: 1-Como treinar o seu dragão (Resenha AQUI), 2-Como ser um pirata, 3-Como falar dragonês (estou lendo), 4-Como Quebrar a Maldição de um Dragão (pré-venda), 5-How to cheat a Dragon’s Curse, 6-How to Twist a Dragon’s Tale, 7-A Hero’s Guide to Deadly Dragons, 8-How to Ride a Dragon’s Storm, 9-How to Break a Drogon’s Heart
 
Agora estou lendo o 3º, mas os livros que estão brilhando são: Cheio de Charme (diva MK, minha leitura obrigatória de TODAS as férias de janeiro) e As Patricinhas. Serão minhas próximas leituras =)
 
Aproveitando o embalo, outro livro de piratas que eu recomendo é O Garoto no Convés, de John Boyne. Não dava nada pela história, mas ela me surpreendeu e eu amei!

Este livro faz parte da lista do desafio de férias e do desafio literário (Clique nos nomes dos desafios para conhecer a lista completa).

E a mesma nota que dei para o 1º volume:



Ps.: Persisto na afirmação de que não quero um dragão.

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

#40: Como treinar seu dragão (Cressida Cowell)

Postado por Luciana Mara às 22:24:00 22 comentários Links para esta postagem
Sinopse: Conheça Soluço Spantosicus Strondus III: a Grande Esperança e o Herdeiro da Tribo dos Hooligans Cabeludos - mas um garoto sem qualquer talento para liderar. "Como Treinar o seu Dragão" conta a tumultuada jornada de Soluço em sua iniciação como um legítimo guerreiro viking: junto com os outros garotos da tribo, ele precisa domesticar e treinar o dragão mais feroz e assustador que for capaz de capturar. Em vez disso, Soluço acaba com o menor dragão que já se viu - e, para piorar, o animal é teimoso, impossível de ser adestrado e completamente banguela. Começa aí a aventura do mais encantador e improvável dos heróis e de seu dragão muito mal-educado.

Comentários: Sabe como eu seleciono o livro da vez na minha estante? Eu a encaro por uns minutos, e de repente o livro brilha! Sim, ele brilha, e assim eu sei que chegou a hora de passá-lo para frente na fila. Sei lá, como explicar, mas é algo mágico.

E isto não acontece com os livros lidos nos desafios. Tá, eu sei que eles estavam lá na estante e eu os comprei porque os leria, mas não é mesma coisa. A leitura não tem o mesmo gosto. Fiquei triste quando constatei isso. Mas, como eu sou brasileira e não desisto nunca, vamos lá.
---------
Todos os garotos da Ilha Berk, para se tornar vikings e serem considerados membros da tribo Hooligans Cabeludos, precisavam passar por um treinamento, administrado pelo Bocão Bonarroto. E o primeiro passo que já era considerado super ATERRORIZANTE, pelo menos para Soluço Spantosicus Strondus III, o herdeiro da tribo (e magricela), e seu amigo Perna-de-peixe,  consistia em invadir o berçário dos dragões e roubar um filhote. Quanto maior o dragão, maior seria o reconhecimento do calouro perante a tribo.  Só que a única coisa que Soluço e Perna-de-Peixe tinham de grande, era o MEDO. Medo de ter que pegar os dragões e medo de Melequento (garoto grandalhão e primo de Soluço que quer ser o líder da tribo) e sua tropa de marmanjos.

Depois de várias trapalhadas (e quase MORTES), eles conseguem seus dragões, que é claro, eram do tipo mais comum e menos assustador de todos: dragões comuns ou de jardins. E para piorar a situação, o dragão de Soluço era banguela! Como ele apresentaria um dragão banguela para Stoico, o líder viking, seu pai? São nestes momentos que bons AMIGOS (e uma boa mentira) ajudam bastante. Pelo menos agora o dragão de Soluço já teria um nome, ele se chamaria Banguela.

 Após o longo período de sono dos bebês iniciaria a pior fase: o treinamento dos dragões. No Dia de THOR todos os calouros deveriam mostrar as habilidades dos seus dragões e caso o garoto não apresentasse domínio sobre o filhote, eles seriam exilados.

Soluço só tinha um problema. Ele adotou a técnica de ser compreensivo, amigo e companheiro de Banguela e nos 45 min do segundo tempo ele percebeu que isto não funcionava. Banguela não o obedecia, dragões eram traiçoeiros e só obedeciam seus donos através do grito. Soluço era o único da tribo que falava dragonês e por isto acredita fielmente que tudo se resolveria na conversa.

Foi então que o Dia de Thor chegou e com um desfecho nada esperado para todos os calouros. Tudo tinha dado errado e eles teriam que de alguma forma provar que mereceriam entrar para a tribo Hooligans Cabeludos. Então surgem na ilha dragões GIGANTES, que ameaçavam a vida de todos os moradores da Ilha de Berk. E o emissário da paz, seria o único a falar dragonês na Ilha: Soluço. Guerra ou paz? Os calouros conseguiriam se tornar vikings?
Descubra lendo!
---------
O livro é uma graça e muito bem escrito. Ele é todo ilustrado e super bem humorado (até os nomes dos personagens são engraçados: Melequento, Bafoca de Maluquício, Bocão Bonarroto).

Mas, apesar disso, eu demorei quase uma semana para lê-lo, porque como eu disse lá em cima, o livro não brilhou para mim.

A linguagem é bem simples e direta, e por isto vou dar este livro (vou comprar outro, claro, porque o meu é meu) ao meu primo no niver de 8 anos. Espero que ele goste (e leia).

O livro é escrito para jovens, certo? E eu, com toda a minha velhice, fiquei incomodada com duas coisas:
     1)    Várias palavras aparecem em destaque, no meio das frases, em CAIXA ALTA. Tá, os personagens são bárbaros, vikings, mas eles não gritam palavras no meio das frases, e foi essa sensação que eu tive quando estava lendo, que as palavras estavam sendo gritadas e não destacadas.
     2)    O texto não é justificado. Males de quem está acostumada a corrigir relatórios dos estagiários e morrer de ojeriza quando vê um parágrafo não justificado.

Logo na capa (pelo menos da minha versão) tem os dizeres: ‘O livro que inspirou o filme’ e isto é totalmente verdade. O filme só foi inspirado no livro, não foi adaptado, porque os dois têm histórias beeemm diferentes. A semelhança se restringe ao Banguela, Soluço e ao fato dele ter que provar que pode suceder o pai, e só!

O filme é uma graça! E eu quase chorei no final. Foi o primeiro que eu vi em 3D.




Ah... Quase me esqueci de um detalhe importante. Como treinar o seu dragão é o 1º de uma série. 
Os demais livros são: 2-Como ser um pirata (estou lendo!), 3-Como falar dragonês, 4-Como Quebrar a Maldição de um Dragão (pré-venda), 5-How to cheat a Dragon’s Curse, 6-How to Twist a Dragon’s Tale, 7-A Hero’s Guide to Deadly Dragons, 8-How to Ride a Dragon’s Storm, 9-How to Break a Drogon’s Heart.

Este livro faz parte da lista do desafio de férias e do desafio literário (Clique nos nomes dos desafios para conhecer a lista completa).

E, para o livro:



Onde comprar: Saraiva, Submarino

Ps.: Já disse que não sou muito chegada em bichos, então nem se espantem com meu comentário de que eu não quero um dragão para mim =)

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Expectativas literárias - 2011

Postado por Luciana Mara às 12:28:00 18 comentários Links para esta postagem
Ai que maravilha...
Memes salvando a minha preguiça.
Estou de férias e no momento a única coisa que eu quero fazer é ver Gilmore Girls. Aii... Logan e Luke – Sem cenas estrondosas, apocalípticas, barratíquicas e destruidoras de itens de decoração de casa por causa de ciúmes, viu amor?! (Até parece... rs).

Sim, infelizmente estou ignorando todos os livros maravilhosos que estão me esperando na minha estante (mas comprando mais, é claro, porque tenho que garantir o ‘Perdoa-me pai, eu comprei’ de janeiro).


Este meme foi criado pela Nat Puga e fui indicada pela Isa, do Portal de Livros. Obrigada querida!

Meta de leitura: Pretendo ler a mesma quantidade que li em 2010: 50 livros.

Primeiro do ano: Jogos Vorazes de Suzanne Collins.

Gênero que mais vou ler: Romances e literatura fantástica.

Gênero que menos vou ler: Biografias (e só vou ler algum por causa do DL2011)

Lançamento internacional mais aguardado: A continuação de Pirâmide Vermelha (que nem li, mas só de ser do Rick Riordan me faz querer ler o resto da saga) e o 4º livro do Ciclo da Herança (Pelo amor de Deus Paolini, dá um jeito de terminar este livro logo).

Lançamento nacional mais aguardado: Catching Fire (#2: Jogos Mortais), Ritos de primavera (#3: Sociedade Secreta: Rosa e Túmulo), Sendo Nikki (#2: Cabeça de vento), Beastly (e filme!!!).

Lançamento de livro brasileiro mais aguardado: "Fazendo meu filme 4".

Continuação de saga mais aguardada: Os mesmo lançamentos nacionais mais aguardados.

Final de saga mais aguardado: "Fazendo meu filme 4", porque preciso, desesperadamente, saber o que vai acontecer com o Leo e com a Fani.

Próximas compras: Ontem comprei Maldosas e os 4 livros da Irmandade das Calças Viajantes, então por enquanto parei. Eu acho. Talvez. Quem sabe. Ou não. Depende das promoções nos sites.

Indico os seguintes blogs:
Dri - A menina do fim da rua
Carol - Meu nome não é Kerol
Thanny - Thanny in wonderland
Rafaelle - Fascinada por histórias

E para quem ainda não foi indicado sinta-se a vontade para responder também =)

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

#39: Jogos Vorazes (Suzanne Collins)

Postado por Luciana Mara às 19:29:00 21 comentários Links para esta postagem
Sinopse: A história se passa em uma nação chamada Panem, fundada após o fim da América do Norte. Formada por 12 distritos, é comandada com mão de ferro pela Capital, sede do governo. Uma das formas com que demonstra seu poder sobre o resto do carente país é com os 'Jogos Vorazes', uma competição anual transmitida ao vivo pela televisão, em que um garoto e uma garota de 12 a 18 anos de cada distrito são selecionados e obrigados a lutar até a morte. Para evitar que sua irmã seja a mais nova vítima do programa, Katniss se oferece para participar em seu lugar. Vinda do empobrecido Distrito 12, ela sabe como sobreviver em um ambiente hostil. Caso vença, terá fama e fortuna. Se perder, morre. Mas para ganhar a competição, será preciso muito mais do que habilidade. Até onde Katniss estará disposta a ir para ser vitoriosa nos 'Jogos Vorazes'?

Comentários: Sabe aquele tipo de história que é impossível parar de ler? Aquele tipo que faz você prolongar o período de fome, esquecer de ir ao banheiro, pedir a alguém que atenda ao telefone (e dizer que você foi a esquina – se tiver quase acabando a leitura – ou foi a China – se estiver no inicio do livro)? Então, foi assim que eu me senti lendo Jogos Vorazes.

Imagine a situação: Esqueça o Pedro Bial e suas piadas sem graça e comentários inconvenientes. A Capital é a Globo, que manda geral na nação, chamada Panem, que antes era a América do Norte. Lá há 12 Distritos (outras emissoras) subordinados à Capital. Havia o Distrito 13 que foi destruído pela rebeldia (Record, abre o olho com a Capital o.O) e, como aviso aos outros Distritos que se opõem a Capital, foi criado ‘O Reality Show’.

Os Jogos Vorazes são uma espécie de Big Brother, só que nos Jogos o objetivo não é apenas mandar os participantes para o paredão e por votação mandá-los para casa até que reste apenas um, e sim é preciso eliminar os participantes, literalmente. Ah, e eu não podia deixar de citar os Idealizadores dos Jogos, ou como é conhecido por aqui, o Boninho, que interfere nas condições dos participantes criando situações e provas cabulosas para dificultar a vida deles. E o que importa? A audiência! Nisto os dois reality são iguaizinhos, quanto mais sacanagens/bebedeiras e sangue no BBB e nos Jogos Vorazes, respectivamente, melhor. Deu para contextualizar?

E mais, você sabe que os participantes do BBB tem que ser maiores de 18 anos para que seja possível a realização daquilo que dá audiência, né?! Nos Jogos Vorazes os participantes têm entre 12 e 18 anos!!! Imagine que lindo assistir a 12 casais de adolescentes (um casal de cada Distrito) lutando até a morte para conseguir voltar para casa? Neste momento eu penso: como eu gosto dos barracos, sacanagens, armações e bebedeiras do BBB.

Então, voltando a 74ª edição dos Jogos Vorazes e sendo um pouquinho mais detalhista, acompanhei a história de Katniss, uma adolescente de 16 anos. Desde os 11 anos, quando seu pai morreu, ela foi obrigada a sustentar a irmã caçula, Prim, e sua mãe que entrou em um estágio de letargia sem fim. Para isto, ela aprendeu a caçar (habilidade herdada do pai) e fez amizade com Gale um garoto de 18 anos, que se transformou em seu companheiro de caça e melhor amigo.

Todos os adolescentes dos Distritos eram inscritos na chamada ‘colheita’. Aos 12 anos, seu nome era inserido no sorteio uma vez, aos 13 duas vezes e assim até os 18. Mas os adolescentes das famílias pobres, como a de Katniss, se inscreviam mais vezes, em troca de receberem uma quantia de suprimento anual de grãos e óleos. Katniss se inscreveu mais vezes em troca das chamadas tésseras, mas Prim foi inscrita apenas uma vez. E nesta única vez, ela foi sorteada (isso também aconteceria comigo. Meu histórico de azar em sorteios já é conhecido). Mas Katniss se ofereceu em seu lugar, sendo ela agora, um dos Tributos do Distrito 12, junto a Peeta, o filho do padeiro. Este garoto, indiretamente, a salvou da morte dando-lhe pães clandestinamente quando Katniss tinham 11 anos. Agora, ela se sentia em dívida com ele, mas tinha consciência que para voltar a ver sua irmã, ter fama e fortuna, ela teria que matar, sendo até possível que tenha que eliminar Peeta.

A apresentação dos Tributos, as entrevistas, tudo é um show. E quando os Jogos começam, haja fôlego. Traições, alianças, armações, chuva, sede, frio, fogo, mortes, mudanças de regras. Tem de tudo. E tudo isto faz de Jogos Vorazes um espetacular início de uma trilogia.

Sim, é série! E o pior, a história me deixou com um gostinho (ou gostão) de quero (muito) mais. Só que, como nem tudo são flores, informo que este livro é da ROCCO, o que significa que talvez nem Deus saiba quando sairá a continuação no Brasil. Os próximos livros são: Catching Fire e Mockingjay.

Devo destacar que o livro é muito bem escrito, tudo é bem detalhado, sem ser chato. A história é narrada em primeira pessoa pela Katniss, e como há muitas mortes em que ela não está perto, confesso que senti falta da descrição nestes casos (meu lado sanguinário falando mais alto).

No meio da história acontece uma mudança nas regras do jogo que me deixou meio desconfiada do rumo que a história tomaria (fiquei com medo do clichê). Mas no final, acho que esta mudança se encaixou tão bem que possibilitou o gancho para a continuação da história.

Ahh... E uma coisa importante: Jogos Vorazes vai virar filme! Ainda não há definição de data, o que se sabe é que os direitos do livro já foram comprados. Mais uma adaptação para eu criticar futuramente =)

Resumindo em uma palavra: ESPETACULAR!

Super recomendo!!!



Onde comprar: Saraiva

Ps.: Este é o livro extra do desafio de férias do blog Garota It
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

TOC Template by Ipietoon Blogger Template | Gift Idea