quinta-feira, 31 de março de 2011

‘Perdoa-me pai, eu comprei’ - Março (2011)

Postado por Luciana Mara às 21:18:00 26 comentários Links para esta postagem
Enquanto tento me manter acordada, sinto saudades...

...do tempo que eu podia assistir sessão da tarde (mesmo que fosse A Lagoa Azul pela milésima vez)
...de quando minha única preocupação era fazer as tarefas da escola e ir bem nas provas
...da época que eu usava uniforme e não perdia minutos da minha manhã escolhendo o que vestir
...de quando eu encontrava meus amigos todos os dias e não apenas (raramente) conversava com eles no msn
...de quando podia ligar para meu pai a qualquer hora que ele ia me buscar, opss... isso ainda acontece =P
...de quando eu podia ir ao cinema a tarde (sem ser feriado ou fim de semana)
...de quando o Faustão era gordo, Gugu ficava cantando sobre os pintinhos dele, e a Eliana não tinha feito plástica no nariz
...do tempo que eu não usava óculos - se bem que ele me dá um ar de intelectual (ai... ninguém precisa ler isso)
...de quando no inverno fazia frio (pelo menos aqui em BH)
...do tempo que meu IMC era menor que 18,5
...da época em que eu era dura e o máximo que dava para comprar por mês era isso:



Tristão e Isolda (Lenda medieval celta de amor)





...da moda de segurar o tchan e dançar na boquinha da garrafa
...da época que o Merthiolate ardia 
...de quando o Justin Timberlake tinha cabelo de miojo
...do tempo que...

PARA TUDO!!!
O que eu estou escrevendo? Acho que em algum momento eu surtei, desliguei, apaguei, dormi e tive um pesadelo.
Sonhei com algo do tipo dançar alguma música do É o tchan com Justin Timberlake, após comer um miojo e beber o Merthiolate direto na boca da garrafa, não foi? Ahhh... isso é  tranquilo.
O impossível é imaginar eu, euzinha, comprando um livro só num mês! E da Martin Claret ainda, que custa o mesmo que o homem cueca cobrava para resolver qualquer problema (10 'real' mais 'o dinheiro do busão' = frete)!!!

Peraí que fui ali lavar o rosto antes de por ordem no balaio.
.
.
.
Voltei!

Acho melhor esclarecer os maus entendidos, não é?!
Então, fazendo uma correção:

...sinto saudade da época em que eu comprei isso:
Novos bebês \o/
Tristão e Isolda 
Chama Negra (Alyson Nöel)
Dezesseis Luas (Kami Garcia, Margaret Stohl)
Fallen Angels - Cobiça (J. R. Ward)
 Amante Revelado (J. R. Ward)
Sociedade Secreta: Ritos da Primavera (Diana Peterfreund)
A Música que Mudou Minha Vida (R. Benway)
Guerra dos Tronos (George R. R. Martin)
Dawson's Creek - 1ª temporada

... Porque faz uma semana que não compro nada e já estou desesperada!!!
SOCORRO!!!
Vem em mim abril =)

terça-feira, 29 de março de 2011

#53: Desculpa, quero me casar contigo (Federico Moccia)

Postado por Luciana Mara às 11:44:00 14 comentários Links para esta postagem
Sinopse: Alex e Niki continuam perdidamente apaixonados um ano depois de voltarem da viagem à ilha Blu onde, entre juras de amor eterno, viveram dias inesquecíveis. Ao voltar, Alex começa a pensar sobre a possibilidade de pedir Niki em casamento, só que ele não faz a menor ideia de como vai fazer isso. Entre o estranhamento da volta à realidade e os sentimentos intensos de amor e paixão, Niki e Alex percebem que, diante de novos desafios, poderão ter de enfrentar uma difícil pergunta - 'O amor pode durar para sempre?'. 

Comentários: Há pouco tempo fiz uns comentários melosos de Três metros acima do céu e me derreti pelo Moccia. Mas agora, podem ficar tranquilos. Esta não vai ser uma resenha que agradaria ao Ursinho Poof.

Daqui para baixo contém SPOILERS do Vol. 1. Fica por sua conta e risco...
---------
Niki e Alex acabaram de voltar do farol, da Ilha Blu, onde se reencontram e trocaram juras de amor no final de Desculpa se te chamo de amor.

Agora, o novo desafio do casal (um dos meus preferidos no mundo literário) era enfrentar a rotina do dia-a-dia, além de resistir às tentações:
a) Rafaella, nova assistente de Alex;
b) Guido, colega de faculdade de Niki.

E mesmo após presenciar o desastre do casamento de todos os seus amigos (o que já era esperado pelo que li no Vol. 1), Alex decide dar um passo muito importante neste relacionamento: arquiteta todo um plano para pedir Niki em casamento.

Ela aceita de imediato (só se ela fosse burra, depois daquele pedido lindo!), mas em seguida começa a questionar se fez a escolha certa. Niki só tinha 20 anos, era muito nova e tinha muitas coisas para aproveitar na vida (além do fato comprovado por Pietro, Enrico e Flávio (amigos do Alex) de que os casamentos muitas vezes vão ralo abaixo).

Então, tinha chegado a hora de espalhar a notícia aos quatro ventos. Era o momento de comunicar aos pais de Niki, aos amigos e a família (super requintada) de Alex, além das Ondas Erica (agora super periguete), Olly (ex-periguete e agora garota dedicada ao estágio de moda) e Dilleta (a quietinha, e agora dona de um pequeno segredo).

Foi então que tudo começou a desmoronar. As irmãs de Alex resolveram ajudar Niki nos preparativos para o grande dia, e ela acabou se afastando das amigas, mas ficando mais próxima de Guido...

Enquanto isto, Alex estava mergulhado em uma nova companha, fruto da sua promoção na agência, ao lado de sua assistente, a ex-modelo e lindíssima, Rafaella.

Viagens internacionais, carta destruidora de sonhos, surf e mergulho noturno, jantar num restaurante/barco, almoço no sítio dos sogros, rompimentos, marolinha surgindo, reaproximações... Sobre estas e outras coisas só lendo, me calei! =X
---------
Sabe o que eu gosto nos romances? A conquista, e já que eles já tinham 'se conquistado' por uma fração de segundo eu torci para que Niki e Alex terminassem e ela ficasse com o Guido. =P

Assim como no primeiro volume, somos bombardeados de capítulos sobre as Ondas e os amigos do Pietro (e suas (ex-)mulheres), mas ao contrário do primeiro livro, neste não há mistério, passagens sem noção que só compreendemos ao final da leitura.

Mas há muitas, muitas citações de autores famosos e músicas, que confesso algumas vezes ter achado um porre. Dava vontade de pular tudo e ir direto para o que interessava (mas não o fiz, ok?!).

E eu continuo achando as Ondas muito infantis, mesmo se consideramos que elas tinham 20 anos. Saiam correndo por aí, faziam umas brincadeiras estranhas... E juro que fiquei com vontade de dar uns sopapos na Niki. Aquela pessoa espontânea, decidida, viva, tinha sumido e transformou-se em uma marionete.

Adorei o pedido de casamento e a parte do final, só acho que faltaram detalhes do grande acontecimento, algo meio final de livro da Sophie Kinsella sabe, quando o mocinho e a mocinha finalmente ficam juntos e fim, mas nada. Fico p$%@ da vida.

Ahhh... E tem filme também! Estou procurando um com legenda em português.


E sim, faltou paixão nesta resenha. Eu não achei o livro tão apaixonante assim, como esperava =/
Mas recomendo!
Apesar de ter preferido muito, muito mais Desculpa se te chamo de amor.




Ps.: Aff... Pelo trailler já vi que mudaram o pedido de casamento. E cruzes no Guido...Irgh

quinta-feira, 24 de março de 2011

Top Top #1

Postado por Luciana Mara às 19:05:00 22 comentários Links para esta postagem
Além de comprar, ler, ver seriados, comprar (não, eu não repeti sem querer) sabe o que eu gosto de fazer?

Listas!

Nas minhas agendas, sempre que eu ficava um tempão sem escrever (como agora) eu preenchia as páginas em branco com listas de coisas variadas.

Então, surgiu a ideia do 'Top Top' (era para ser 'Toc Toc', mas iam surgir as piadinhas de 'Quem é?' que eu resolvi mudar e colocar o nome de um programa da MTV que eu gostava muito e que não sei se ainda existe - e estou com preguiça de procurar. Pelo menos estou dando os créditos, ok?!)

As listas nunca terão ordem de preferência, número de itens definidos e poderão ser de qualquer coisa que vier dar um rasante na minha cabeça, ok?! E cada item será comentado a là Twitter, sem delongas, em até 140 caracteres (Será que eu consigo?).

Assim...

#1: TOP TOP: Livros desejados

O lance é o seguinte: O Léo (meu namorado, para quem ainda não está familiarizado) disse que me daria o livro nº150 da minha futura (imensa, climatizada e super sofisticada) biblioteca. Ele mesmo escolheu o livro nº 150 e me deu A Passagem.
Agora, ele me disse que só daria o livro nº200 se eu tivesse lido o 150. E é claro que comecei a ler A Passagem, mesmo que por isso eu fique com escoliose por carregá-lo na bolsa (a propósito, ontem no ônibus ele caiu no meu pé. Aquilo não é um livro, é um tijolo! Deu um ovo e ficou vermelho - e não estou exagerando! Mas na hora me preocupei mais com o livro, e já adianto, ele nada sofreu). A propósito, o livro está ÓTIMO, é daqueles que você torce para ficar agarrada no trânsito para ler mais um pouquinho antes de chegar ao trabalho.

Enfim, para inaugurar o Top Top eu escolhi os livros mais desejados dos desejados da minha lista do Skoob. Quem sabe eu não dou uma mãozinha para ele na hora de escolher o livro? =P

1-Dragões de Éter: Caçadores de Bruxas
Autor:Raphael Draccon
440 páginas
Comentários: Preciso conhecer esse tal narrador da história, não é meninas? #encontrodemarço
Atualizado em 21/4/11:  Já  comprei a série toda \o/ 

2- A Fúria Dos Reis
Autor: George R. R. Martin
656 páginas
Comentários: Apenas quero, sem mais!
Atualizado em 22/12/11:  Ganhei de amigo oculto 

3- Amante Liberto
Autora: J. R. Ward
496 páginas
Comentários: Mais vampiro safadão... Ui...

4- Quando cai o raio
Autor: Meg Cabot
272 páginas
Nota: Meg dispensa comentários.
Atualizado em 21/4:  Já comprei \o/

 5- Correr ou morrer
Autor: James Dashner
429 páginas
Nota: Se é parecido com Jogos Vorazes, preciso ler
Atualizado em 18/1/12:  Me dei. 

6- Nudez mortal
Autora: J. D. Robb
350 páginas
Nota: Comecei a ler a partir do 6. Preciso conhecer a clássica cena do pacote de café.
Atualizado em 15/8/12: Ganhei de niver da Lívia *.*

7- Segredos da minha vida em Hollywood
Autora: Jen Calonita
288 páginas
Nota: Recomendação da minha monstrinha Ana.


8- O chá do amor
Autora: Jennifer Donnelly 
584 páginas
Nota: A Fer do Skoob disse que é ótimo. Eu preciso!


9- Como fui esquecer você
Autora: Jennifer Echols
293 páginas
Nota: Recomendação da Lu 
Atualizado em 21/4:  Já  comprei  \o/ 

10- Cotoco
Autora: John van de Ruit
392 páginas
Nota: Recomendação da Kellen e da Nanda
Atualizado em 21/4:  Já  comprei  \o/ 




Ajudei, amor? Ahhh... 
E vê se comenta, ok?! =P
E parabéns por me aguentar por 8 anos e 5 meses \o/. Amo você!

segunda-feira, 21 de março de 2011

#52: Tristão e Isolda

Postado por Luciana Mara às 21:07:00 22 comentários Links para esta postagem

Sinopse: O amor impossível de Tristão e Isolda inspirou poetas, escritores, pintores e músicos da Idade Média e dos tempos modernos. Tornou-se, por exemplo, tema de uma das mais famosas óperas de Wagner. Tristão e Isolda são os trágicos protagonistas de uma história medieval de amor baseada numa lenda celta. As inúmeras versões francesas que a imortalizaram e a divulgaram em outros países são o testemunho do fascínio e encantamento que a história de Tristão e Isolda produziu sobre o espírito medieval e de nossos tempos.Esta versão que ora oferecemos ao leitor brasileiro foi baseada nos fragmentos de Béroul, Thomas (troveiro anglo-normando do século XII), Gottfried von Strassburg e nos trabalhos do francês J. Bédier, um dos mais importantes pesquisadores modernos da lenda de Tristão e Isolda.

Comentários: Lenda medieval celta de amor. É isto que vem escrito sob o título do livro, mais nada.

Comprei este livro junto com o Léo. Ele gosta de livros com bases históricas, então ficou interessado. Então já vou adiantando: "Benhê, melhor ficar no filme mesmo, ok?!".

Agora aprendi que só vou ler livros quando tiver o nome do autor na capa. =P
---------
O Rei Marcos da Cornualha estava sendo ameaçado e por isto, o Rei Rivalen de Loonnois se dispôs a ajudá-lo. Em retribuição, Marcos deu-lhe a mão de sua irmã, Brancaflor. Os dois casaram e se mudaram para o mosteiro de Tintagel.

Então o mosteiro foi atacado pelo Duque Morgan. Toda a corte tentou fugir, mas o Rei Rivalen foi morto. Brancaflor, que estava grávida, esperou apenas dar a luz para morrer e se juntar ao marido. Assim, nasceu Tristão, que foi criado por um guarda da rainha, Rohald, nos domínios do Duque disfarçado de plebeu. Tristão aprendeu a caçar, tocar e a ser um guerreiro.

Em suas andanças, Tristão foi seqüestrado por um navio inimigo, mas por milagre conseguiu chegar até Cornualha. Ele encontrou alguns habitantes locais, mostrou suas habilidades de caça e foi levado para conhecer o Rei, e de imediato eles se tornaram amigos.

E em uma das batalhas Tristão quase morreu. Mas este foi curado por Isolda, a loura, sobrinha de um guerreiro morto por Tristão, fato ignorado por ela.

Depois de muito procurar, Rohald encontrou Tristão e revelou que ele era sobrinho do Rei Marcos. Tristão optou por continuar servindo ao Rei, para o ódio de quatro barões que queriam ficar com o reino. Eles instigaram o rei a se casar, entretanto o Rei disse que só se casaria com a mulher do fio de cabelo dourado, o qual é levado por um pássaro até o castelo. E assim, Tristão lembrou que o cabelo era de Isolda, e prometeu ao Rei ir buscá-la. 

Ele encontrou, superou a prova imposta e ganhou a mão de Isolda para seu tio. Mas durante a viagem de volta, Tristão e Isolda tomam o vinho com feitiço de amor que a mãe de Isolda fez, e assim se apaixonam loucamente. Contudo, eles não podem ficar juntos, porque Isolda era prometida de outro.

Então eis o conflito do livro: o casal se encontrava, mesmo sendo proibido, eram vigiados de perto pelos quatro barões e enfrentavam vários desafios para ficarem junto. Como tudo aconteceu e o resto da história descubra lendo (ou vendo o filme =P).
---------
A história, no geral, é bem bacana. Todo mundo curte um 'amor impossível'. Mas tudo é contado tão direto, sem floreios, que o livro perdeu um pouco do encanto (sem contar a presença do narrador chato que fica cantando os acontecimentos, 'Fulano vai morrer', 'Beltrano vai fugir' antes destas coisas acontecerem).

Como o livro era 'a lenda', não tinha detalhes dos acontecimentos, tão pouco uma descrição precisa do ambiente. Eu adoro a descrição das batalhas, as estratégias de guerra, mas neste livro ficava só no 'Tristão foi para a batalha ao lado do rei e venceu'. É frustrante! Espero satisfazer minha vontade de sangue em Guerra dos Tronos que comprei semana passada (e que ainda não chegou =P)

Eu tenho um filme inspirado neste livro. Lembro que escolhi Tristão e Isolda para ler para o DL justamente por causa deste filme. Mas pelo que lembro (e posso garantir que minha memória para estas coisas não é lá muito boa) as duas obras são um bocado diferentes. Recomendo (muito, muito, muito) mais o filme. Mais emoção, mais ação, até mais amor.



 
 E amor é o que senti que faltou. Como o tempo inteiro os amantes, que no livro sempre se chamam de 'amigos', ressaltam que se amam por causa da poção que tomaram eu senti que o amor não era verdadeiro. Era uma fixação, uma necessidade de estar perto, junto, próximos e não realmente o amor que os unia. Passa longe de Romeu e Julieta, apesar do final ser o mesmo (e isto não é spoiler, está no primeiro parágrafo do livro).

Este livro faz parte da lista do desafio literário (Clique AQUI para conhecer a lista completa).

E para o livro:

quarta-feira, 16 de março de 2011

Engarrafado só refri e congestionamento só no meu nariz, please!!!

Postado por Luciana Mara às 09:14:00 18 comentários Links para esta postagem
Engarrafamento =P
Eram 6:30 da manhã de segunda-feira, dia de ser premiada em sorteios. \o/

Momento: realizando o ritual.
Abri a estante e resgatei os meus óculos. Em seguida, peguei a minha bolsa que estava dependurada na cadeira em frente à mesa do computador, coloquei no ombro e saí.
Minha mãe já me esperava com a chave na mão e a porta aberta (santa!).

Entrei no elevador vazio. "Ótimo! Ainda tenho a oportunidade de dar aquele retoque no gloss e abaixar uns fiozinhos de cabelos sem ninguém me encarando, o dia promete" foi o que eu pensei.

Passei pela portaria, cumprimentei o porteiro e saí.
Hoje nem era o Paulo, aquele que sempre pergunta a minha mãe se ela me dava para comer só sopa de letrinhas quando eu era mais nova (esse por sinal, é meu apelido quando ele me chama: "Sopa de letrinhas, chegou encomenda para você!").

Desci o 1/10 de quarteirão até a esquina (meu único exercício físico matutino) e parei.
Eu errei. Nada de sorteios, nada de felicidade!
Hoje só é segunda-feira-de-congestionamento!!! O engarrafamento era tamanho que quase subiu os nove andares do prédio até meu apartamento.
Eu trocaria na boa e feliz um nariz congestionado por um trânsito tranquilo e fluindo (todos os dias, claro!). Mas ninguém me ofereceu esta opção de escolha.

Fui para o ponto. Foram 15 minutos entre o ônibus aparecer na esquina e chegar até onde eu estava, o que geralmente demorava apenas alguns segundos.
Quando ele parou, entrei. Lotado! Eu aprendi na pele como uma sardinha se sente na lata, ou então como é a vida de um adesivo pregado no vidro. E foi assim por 3 horas, das quais eu passei 95% do tempo em pé e segurando minha bolsa (pesada). Neste momento, deu para filosofar...

Porque eu não podia ser como os homens que carregam no máximo uma nécessaire com a escova de dente, já que o celular e carteira vão nos bolsos? Não, mulher tem que levar a nécessaire (gigante) com um kit completo de maquiagem dentro da bolsa, mais agenda, lanche, itens han... apenas femininos, um chaveiro (enorme) com milhões de chaves (que nem sabemos o que abrem) e, no nosso caso (pelo menos), um livro.

Hum... Neste momento, eu escutei alguma coisa. Vinha de dentro da barraca de camping do Sr. Wesley ou do guarda-roupa de Nárnia, vulgo minha bolsa. Eram gritos.
Na hora saquei que eram do Alex, da Niki e do Guido de 'Desculpa, quero me casar contigo', mas foi impossível atendê-los. Caraca, que agonia!!! 3 horas e não deu para ler nenhuma palavrinha!
“...casar contigo”, casamento... Foi o momento de pensar no meu contrato pré-nupcial. “Pode ir se preparando Léo, porque aí vem bala.” Já estou com algumas cláusulas, em mente. Quando terminar, eu mostro, prometo.

Dei uma olhada geral na galera.
Meu Deus! Como aquela ali consegue sair assim, descabelada?”,Como aquele cara pode ter uma pizza família mega-hiper-gigante na blusa logo de manhã?”, “Dormir no busão não rola. Estou vendo os sisos daquele moço!!! Acho que ele está com uma cárie. Irgh”. Mente divagando é um grande problema.

Quanta (in)utilidade na minha cabeça! Foi aí que o senti chegando, devagar e sem avisar.
Eu sofri uma mutação e me transformei. Eu era a personificação do mau humor (e graças a Deus não estava de TPM, porque se estivesse eu deixaria o mau humor personificado no meu corpo e eu, Luciana, cairia fora. Sei que fico chata demais e nem eu me aguento*). E foi assim o dia todo. Agora sei como é estar possuída, ou como é ter uma nuvem negra sob a cabeça o tempo inteiro.

As horas nunca demoraram tanto a passar. Dava 20h, mas não dava meu horário. Se eu fosse um avatar, seria um soltando fogo pelas ventas. Acho que um dragão cairia bem. Rosa, de olhos violeta e um piercing no focinho. Ai... Já tinha começado a viajar de novo. Foco, Luciana, foco.

Foi quando vi no site da Direct que minhas comprinhas tinham sido entregues. “Paulo, me chame logo de Sopa de Letrinhas”. Pelo menos a segunda não foi totalmente desastrosa. Minhas encomendas alegraram um pouquinho meu dia, vi uma frestinha do sol em meio as nuvens negras.

E enfim, havia chegado a hora de voltar para a casa e encontrar os novos habitantes da minha estante.
Bora para mais umas horinhas de trânsito”. ¬¬

Ahhh...Pensando pelo lado positivo, vai passar logo. São só 6 meses de obra**. O.O

E depois de tanto azar, venho informar que não ganhei nenhum sorteio hoje.
-----------------------------------------------------------------
* Aturar minha TPM sem brigar comigo, mesmo que eu esteja errada, está em uma das cláusulas do contrato pré-nupcial. E só melhoro com presente, ok?!

**Este foi o maior congestionamento que eu já vi em BH. Eles fecharam a pista de carros para começar a duplicação para copa. A tendência é só piorar...

domingo, 13 de março de 2011

#51: Diário de uma garota nada popular (Rachel Renée Russell)

Postado por Luciana Mara às 19:48:00 16 comentários Links para esta postagem

Sinopse: Esta obra conta a história de uma garota chamada Nikki, de 14 anos, que ganhou uma bolsa de estudos para uma escola particular de prestígio. 

Sua angústia ao lidar com as meninas malvadas do colégio, a relação com seus pais, sua paixão pelo bonitão da escola e as novas amizades que faz são assuntos registrados em seu diário, ao lado de inúmeros desenhos que ela mesma faz de sua vida.


Comentários: Ganhei este livro na gincana de férias do Viagem Literária.
Dei graças a Nossa Senhora dos Bookaholics que fiquei com ele e não com mais um exemplar de A Batalha do Apocalipse (que é muito bom e recomendo! Resenha AQUI).
---------
Nikki, 14 anos, acabou de mudar para uma escola particular graças à bolsa de estudos que conseguiu por seu pai ter dedetizado a escola.

E qual seu desejo para ser aceita e entrar para o grupo das GDPs (Garotas Descoladas e Populares)? Ela queria apenas um Iphone novo. No ano anterior, quando estudava na outra escola, Nikki tinha comprado um celular nada moderno e super barato e tinha espalhado aos quatro ventos que ela tinha um celular NOVO para contar os babados mais QUENTES. Resultado: duas GDPs foram falar com ela. Foi quando o telefone tocou, e tudo que Nikki queria fazer era se esconder. Mas não teve jeito, pois todos os alunos estavam no corredor esperando que ela atendesse o celular NOVÍSSIMO que não parava de gritar dentro do seu armário. Mas quando as GDPs viram o celular-museu que ela tinha, saíram correndo.

Então, depois do mico ela tomou vergonha na cara e pretendia guardar dinheiro para comprar um novo celular. Mas Nikki gastava seu dinheiro todo em materiais de desenho, e estava tão falida que tinha que comprar uma casquinha do McDonald’s parcelada (tipo eu após os descontos progressivos na Saraiva).

Foi então, que como incentivo pela mudança de escola, sua mãe chegou com um embrulho de presente. Super empolgada, Nikki foi logo abrindo o presente. Quando descobriu que era só um diário, notou que de nada este presente serviria para torná-la popular.

Ela prometeu que não escreveria no diário, mas não resistiu. Assim, por meio de seus relatos, conhecemos sua vizinha de armário, a toda chique, rica, com roupas caras e na moda, Mackenzie, a POPULAR do colégio. Mackenzie é aquele tipo de garota que esnoba e tira sarro de todo mundo, mas de quem todos querem ser ‘amigos’ porque ser seu amigo significa ser popular.

Mackenzie só infernizava a vida de Nikki. A convidou e a desconvidou para a festa que daria e que só teria os VIPS do colégio, fez com ela passasse a maior vergonha na cantina (mas foi aí que Nikki conhece Brandon, o fotógrafo-gato do jornal da escola, garoto que Mackenzie dá em cima), troca a música do balé para Thriller e várias outras sacanagens.

Neste meio tempo, houve inscrição de um concurso de artes que Nikki pretendia participar, mas foi indiretamente atrapalhada por Mack. Então, para despistar sua ida até a secretaria, Nikki se inscreveu para uma atividade extracurricular: arrumar os livros da biblioteca. E finalmente, faz duas amigas: Chloe e Zoey.

Surge então, uma possibilidade de irem para uma confraternização com escritores na semana Nacional da Biblioteca e conhecerem ninguém menos que Stephenie Meyer, Meg Cabot e Rick Riordan (por favor meninas, se forem escolhidas, levem-me na mala? Digam que sim!!!). Nikki não está muito empolgada, mas suas amigas insistem tanto que ela concorda que elas devem fazer alguma coisa para se destacarem e serem escolhidas para a confraternização. E depois, de alguns contratempos, elas descobrem uma saída.

Como elas se destacariam? E o concurso de ARTE? Nikki conseguiria participar? E Brandon, estaria mesmo dando bola para ela?

Para saber só lendo! =)
---------
O livro é uma graça! Tem capa dura, é todo ilustrado, além de ser escrito com fonte que imita palavras escritas a mão, como num diário de verdade (que eu, inclusive, tenho que voltar a fazer. Este ano está atrasado desde 4 de janeiro o.O)

Há várias citações de autores, livros, programas, aparelhos atuais, que tive a impressão de que estava mesmo lendo o diário de uma menina que poderia ser minha vizinha. É super contemporâneo e bem-humorado e que, por vários momentos, me vi dando gargalhadas enquanto lia o livro.

Só acho que tinha que ter tido uma lição maior no final, do tipo que não importa os bens materiais sabe?! Tudo bem que ficaria super chichê, mas eu acho que faltou.

Mas adorei o que aconteceu no final! Achei super fofo. Foram estragos, enganos, desencontros que resultaram em uma linda prova de amizade.

E já falei que amei os desenhos? São muito bem feitos e ilustram bem cada passagem do diário.
E só um recado para Nikki: 
Faz uma tatuagem em mim, please!!!

São muito fofas!

Super recomendo! Acho um ótimo presente para uma menina na pré-adolescência!


quarta-feira, 9 de março de 2011

#50: Três metros acima do céu (Federico Moccia)

Postado por Luciana Mara às 23:17:00 20 comentários Links para esta postagem
Sinopse: A paixão do mais improvável dos casais, Babi, uma patricinha de Roma, e Step, um motoqueiro bad boy, é a trama de Três Metros Acima do Céu , um romance que conquistou a juventude italiana, a ponto de, durante anos, circular em cópias xerocadas entre os leitores. Para viver o primeiro amor com toda sua intensidade, os protagonistas tentam se modificar, enquanto enfrentam a oposição da família da menina, o estranhamento dos amigos, as dificuldades de acertar o próprio relacionamento e de amadurecer.

Comentários: Namoro 3MAC há tanto tempo, que nem mesmo lembro quando nosso relacionamento começou. Mas aconteceu com este livro o mesmo que acontece quando eu como um pedaço de bolo: eu sempre vou guardando, guardando, deixando a parte com mais recheio para o final.

Assim, fui postergando a leitura, guardando para um momento especial, mas não aguentei. O Moccia gritou de dentro da minha estante e eu o ouvi. Me derreti e decidi que preciso de TUDO do Moccia. Para ontem.
---------
Toda manhã, Babi e a irmã, Daniela, eram levadas a escola pelo pai. E em uma destas manhãs, um motoqueiro bem maloqueiro e desaforado grudou na janela do carro e a convidou para sair. Babi é claro, negou. Quem aquele cara pensava que era? 

Ela descobre por sua irmã que aquele era o cara considerado por Daniela e suas amigas da escola como o ‘Nota Dez’. Step. Mas se ela nunca mais iria se encontrar com ele, porque isto importava? 

À noite, sob o falatório da mãe, Raffaella (chata d+! Cruz credo nesta mulher), Babi e Daniela vão para uma festa de aniversário, e lá Babi encontra Chicco Brandelli. Os dois vão para a varanda e se beijam. Então, para o horror de Roberta, a aniversariante, e de todos os convidados, um enorme grupo de adolescentes entra de penetra na festa. Alguns só bebem, outros roubam cinzeiros de prata. Pollo, melhor amigo de Step, rouba o dinheiro de todas as bolsas guardadas em um dos quartos (e é surpreendido por Pallina, melhor amiga de Babi, e de quebra a convida para sair) enquanto Step vê a garota do carro acompanhada por um cara e se dirige para lá. 

Babi e Chicco estão se encaminhando para o bar quando são surpreendidos por Step.  Ele manda Chicco pegar uma bebida para ele e Babi, mas ela diz que ela mesma pega. E assim, Step é surpreendido com um copo de refrigerante na cara. E, por não levar desaforo para casa, Step joga Babi no ombro igual um saco de batata e diz que ela vai tomar banho com ele. Água quente, água fria, desaforos, socos. E finalmente, ele a libera. 

E é neste momento, que todos são informados da chegada da polícia. Chicco quem fez a ligação. E enquanto ele e Babi vão de carro para casa, são perseguidos por todos os motoqueiros, que detonam seu carro. E quando o casal pensa que escapou, surge Step, que quebra a cara de Chicco. Os dois são surpreendidos pelo casal Accado, amigos do pai da garoto. O homem intromete na briga e ganha de brinde um nariz quebrado. O casal vai embora, Chicco vai embora. Só resta Babi e Step. Sim, ele acaba a levando para casa. Ela, abraçada nele, não acreditando no que aconteceu. Ele, pensando na garota linda que ele quer para si. 

Babi é uma patricinha nata. Loira, olhos azuis, boa família, escola tradicional.
Stefano ou Step, como é conhecido, é um bad, bad  boy, moreno, cabeça raspada, motoqueiro e arruaceiro, daquele tipo que bate em qualquer um que o incomoda, e rouba sem dó.  

E o que poderia surgir do encontro destes dois mundos tão diferentes? Um louco amor, é claro, seguido de transformações.

Babi passa a enfrentar seus pais e contrariar todas as expectativas em relação à sua conduta. Step teve que se abrir e renunciar há alguns dos seus hábitos mais sombrios. Será que o amor é capaz de vencer as diferentes visões do mundo e as atitudes do casal? 

Corridas malucas, saídas noturnas clandestinas, casa e noite dos sonhos, beijos na praia, ameaças, porradas de graça, perdas, revelações, o passado de Step, suas escolhas e atitudes, dor são alguns dos ingredientes deste delicioso romance.
---------
A história é um tanto clichê. Um bad boy e uma patricinha. Duas pessoas de mundos muito diferentes que por um acaso do destino se conhecem e se apaixonam. O grande X da questão é o modo como o Moccia fala de amor. O modo como as coisas se encaixam e se desajustam, tudo ao mesmo tempo. É o jeito dele escrever. Assim. Pausadamente. Cada frase é saboreada. Absorvida.

(Peraí que eu preciso pegar um lenço de papel antes de continuar a escrever.)

A história é recheada de bons personagens e de histórias paralelas que se encaixam, Pallina, Pollo, Daniela e seu inseparável namorado de telefone (André), Maddá (ex-peguete do Step) são alguns dos personagens que enriquecem e muito a história. E o casal principal é ótimo! Tem tanta química, entre eles que os professores desta matéria ficariam orgulhosos! 

Pensem num bad boy. Num cara bem, bem, bem mau mesmo. Multiplique isso por 100. Insira um certo charme a receita. Eis Step! Quem não se apaixonou que atire a primeira pedra.  

(Agora preciso de um bote salva-vidas. Estou me afogando nas minhas lágrimas...)

Porque o final... O que foi aquilo? Preciso de Ho Voglia di Te. São nestes momentos que penso em dar uma de Liz Gilbert (conheça AQUI) e aprender italiano por puro prazer. Penso que a história deve ser mais bonita, mais romântica, se lida na língua de origem. Mas acho que até eu aprender italiano, é mais fácil esperar a tradução de Ho Voglia di Te que, de acordo com a Planeta, está prevista para este ano.

Minha única crítica é que acho que a parte final poderia ter sido mais bem explorada. Tudo acontece muito de repente. E é claro, eu não vou tomar partido de ninguém, e vou ficar calada para não soltar spoilers por aí.

Evidências do desastre!!!

Mas acho que coloquei tanto olho gordo no meu próprio livro que aconteceu um desastre. A capa do livro soltou. =( 

Terminei o livro e fiquei louca quando descobri que tinha filme. Vou assisti-lo logo, logo. Mas me expliquem uma coisa: porque a atriz principal tinha que ser morena? Assim não dá! Igual aconteceu com a Niki de Desculpa se te chamo de amor. Odeio estas mini-diferenças.

 
Leia, se emocione e se divirta com 3MAC!
 


Obs1.: Bad boys são bons só na ficção. Na vida real... Vish... Só trabalho.
Obs2.: Há explicação para o nome do livro, e é muitooooo fofa!
Obs3.: Tendo overdose de Moccia. Comecei Desculpa, quero me casar contigo. Quase chorei já na página 28. o.O

quinta-feira, 3 de março de 2011

#49: Cidade dos Ossos (Cassandra Clare)

Postado por Luciana Mara às 22:24:00 18 comentários Links para esta postagem
Sinopse: Um mundo oculto está prestes a ser revelado... Quando Clary decide ir a Nova York se divertir numa discoteca, nunca poderia imaginar que testemunharia um assassinato - muito menos um assassinato cometido por três adolescentes cobertos por tatuagens enigmáticas e brandindo armas bizarras. Clary sabe que deve chamar a polícia, mas é difícil explicar um assassinato quando o corpo desaparece e os assassinos são invisíveis para todos, menos para ela. Tão surpresa quanto assustada, Clary aceita ouvir o que os jovens têm a dizer... Uma tribo de guerreiros secreta dedicada a libertar a terra de demônios, os Caçadores das Sombras têm uma missão em nosso mundo, e Clary pode já estar mais envolvida na história do que gostaria. 

Comentários: Eu me declaro culpada!
Terminei Cidade dos ossos tão desesperada para descobrir um detalhezinho da história, que saí desenfreada lendo as sinopses dos próximos livros.

Vou guardar para mim o que eu descobri! ¬¬
--------- 
Clary, uma garota ruiva, baixinha, sardenta, de 15 anos e filha única mora com a mãe, Jocelyn, uma artista viúva.

E em uma das saídas noturnas com seu amigo (fofíssimo) Simon, até a boate Pandemônio, tudo muda. Clary vê um garoto simpático de cabelo azul, interessado em uma menina alta, esguia e belíssima, toda vestida de branco. Ele a segue e os dois entram em um depósito com os dizeres:   
ENTRADA PROIBIDA.

Clary observa de longe, e quando vê mais dois garotos mal encarados passando pela porta, não resiste. Pede a Simon que chame a polícia, e ela, por sua vez, vai investigar o que está acontecendo.

E quando ela vê o garoto de cabelo azul sendo ameaçado de morte e tenta interceder por ele, todos os que estavam no cômodo ficam chocados. Ela os vê. Não era para isto acontecer. Ela, uma simples mundana tem a Visão.

Eles se recuperam do susto e acabam matando o garoto do cabelo azul, vulgo demônio. Clary está assustada, quando Simon chega com o policial, mas os dois não vêm nada, não enxergam ninguém. Não há corpo. Só Clary que vê dois garotos, Jace e Alec, junto de Isabelle. Então, como não há nada a fazer, ela vai embora.

Demônios? Quem é Valentim? Ela estaria ficando louca? Era uma possibilidade.

Clary, que vivia em conflito com sua mãe super protetora, a vê junto de Luke, um amigo, mas a quem ela chamava de tio, chegando com várias caixas vazias e descobre que elas vão passar o verão todo fora. Ela fica p. da vida e sai de casa para encontrar com Simon.

E quando Simon começa a desabafar surge alguém caçoando: Jace. Agarrando a oportunidade de saber o que realmente está acontecendo, Clary vai ao encontro dele. Sob ordens de Hodge, Jace diz que quer levá-la ao Instituto onde mora, para eles terem certeza de que ela não é perigosa.

É quando sua mãe liga e a avisa que ela não deve voltar para casa, e como todo adolescente, é para lá que ela vai. Mas quando chega a casa, nenhum sinal da sua mãe. Só encontra um demônio Ravener que tem que enfrentar. Jocelyn foi sequestrada.

Então, Jace a leva ao Instituto, onde mora com Alec, Isabelle, os pais destes e Hodge,seu tutor. E então, aos poucos Clary descobre sobre este ‘novo’ mundo e sobre os Caçadores de Sombras, que tinha a função de manter a paz e harmonia com entre os mundanos (humanos) e o submundo. Entretanto, há vários anos, surgiu um grupo de caçadores chamado Ciclo, que tinha como objetivo exterminar os seres do submundo. Este grupo era liderado por Valentim, um caçador que todos diziam ter morrido junto da família no motim que arrumou. Seu objetivo? Era pegar o cálice mortal, instrumento que possibilitava a criação de novos caçadores de sombras, e mais caçadores era sinônimo de um grupo maior para eliminar os outros seres sobrenaturais.  Mas o cálice sumiu, e havia rumores de que Valentim não tinha morrido e estava procurando o cálice para formar seu exército.

Clary se questiona: qual é sua verdadeira história e porque consegue ver este novo mundo? O que aconteceu com sua memória? Sua mãe está viva? Ela ainda pode ser salva? Simon ou Jace? Porque Luke não a socorreu quando ela precisou? E o cálice? Onde ele está?

Vampiros, lobisomens, fadas, portais, feiticeiros ... Cidade dos Ossos tem de tudo. Tem ação garantida, além de mocinho apaixonante. Ai Jace...
---------
Eu ganhei Cidade dos Ossos de amigo oculto no final do ano. Quem me deu de presente disse que escolheu este livro pela capa. E realmente, a capa é linda, brilha e tudo!

Já tinha lido várias resenhas sobre este livro e venho agora me juntar ao coro. Cidade dos Ossos é ótimo! Tem tudo na medida certa. 

Tudo bem que é um novo mundo, novos seres, novas leis e regras que me deixam louca, mas tudo é tão bem descrito e a Cassandra escreve tão bem que rapidamente me incorporei a este novo universo (mas mesmo assim, acho que alguém vai ter que escrever um livro falando das características de cada mundo dos livros de fantasia. Logo, logo eu vou misturar tudo e começar a falar que o Jace é um vampiro, que bebe um líquido vermelho para se transformar em lobo em Forks, onde ele vive junto da Irmandade da Adaga Negra).

 E o livro tem muitaaa ação. São fugas, revelações, encontros com vampiros, demônios, lobisomens. A história não para, o que eu particularmente adoro.

Adorei os personagens! Jace além de ser naturalmente charmoso, é tirado e se acha (A-D-O-R-O!), Clary é uma mocinha pró-ativa, Simon é um nerd-fofo e Isabelle é ótima! Só não fui muito com a ‘cara’ do Alec.

Eu quero uma moto voadora para driblar o trânsito de BH! Que ela funciona só a noite e com energia demoníaca são outros 500.

E o final?
Ainda estou com cara de choque e queixo caído.
Preciso de Cidade das Cinzas, tipo, para semana passada!!!

Livros da série: 
2) Cidade das Cinzas (lança em maio?); 
3) City of Glass
4) City of Fallen Angels
Vou falir (d+)!

Super recomendo!!!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

TOC Template by Ipietoon Blogger Template | Gift Idea