quinta-feira, 8 de setembro de 2011

(Des)Aventuras em série

Postado por Luciana Mara às 20:40:00
Não, não vou falar da série de livros que sonho um dia ler (mas que continua muito cara). Também não escrevi o nome da série errada. Vim mesmo contar da minha viagem ao Rio.
Sabe aquela frase famosa de que brasileiro deixa tudo para última hora? Então, descobri que sou muito patriota e que honro mesmo as características do povo daqui. Na sexta-feira, saí do serviço às 18h, cheguei em casa às 19h e não tinha nem começado a arrumar a mala. O Léo veio me ver, a Cíntia chegou (depois de descer no ponto errado! Malditos trocadores que não conhecem o trajeto) e nada das minhas roupas saírem de Nárnia para cair na mala.

E quando fui fazer isto, que indecisão. Sério, odeio fazer mala! E se fizer frio? E se fizer muito calor? E se este short for muito de piriguete não literária? Eu não sabia nem que mala levar! Eu tinha uma bem pequena e outra mega grande. Eu, com a minha formação em estatística, só queria fazer uma coisa: tirar a média entre o tamanho das duas.

Infelizmente, não deu e acabei levando a pequena mesmo e uma de mão da Pucca. Coube tudo (depois de precisar da mamys, papys e irmã - sentada na mala -  para conseguir fechá-la). O fato que não usei 1/3 do que levei é um mero detalhe.

Entre arrumar mala, lanchar e fazer a unha, eu e a Cíntia fomos dormir mais de 1h da manhã. Levando-se em consideração que teríamos que acordar às 4h, conclui-se que nós só piscamos. E um detalhe: e para encher o colchão inflável para uma de nós duas 'piscar' sem bomba? A mamys encheu no corredor, fez um barulho do cão e o vizinho do andar debaixo disse para a mamys, no dia seguinte, que a situação lá em casa estava boa, bem caliente... Minha mãe riu e disse que estava rolando orgia no corredor do apartamento. Imaginem a cara do vizinho? (sério, isto aconteceu mesmo!)

Acordei 3:59 com medo do cel não despertar. O táxi-papys nos levou ao aeroporto, e quando chegamos lá a Ana, minha companheira de viagem, me ligou. Ela tinha acabado de acordar! Eu e a Cíntia despachamos a bagagem, subimos para a sala de embarque e só depois a Ana chegou. E quando sentamos no avião, prontas para viajar adivinhem? A Ana tinha esquecido a bolsa com a chave da mala dentro do carro. o.O

No Rio, pegamos o táxi e fomos para o hoStel, com S de Sadia (com qualidade mais para Maria Rosa, Serra, Pena Branca. Pesquisem!). Assim, não é aqueleeeee lugar para ficar, mas pelo preço, compensa... Só de pensar que, no café da manhã eles dão, além dos pães um, apenas um biscoito (não um pacote, um biscoito mesmo) que dá para dobrar a 90 graus e não quebra, dá para ter uma ideia de como era o lugar. Voltando à história, eu e a Ana deixamos as malas no hoStel - no depósito de material de limpeza e papel higiênico - porque nossa reserva seria iniciada às 13h e fomos à Bienal.

De algum jeito pegamos o metrô, o busão, demorou um parto (normal de uns trigêmeos), mas chegamos ao Rio-Centro. Marcamos com a Cíntia lá.

E já na entrada, após pegar o mapa, fiquei chocada com o tamanho do evento. Desorientada como sou, eu ainda nem tinha olhado o mapa dos estandes. Eram três galpões enormes. Em um dia só, não consegui ver tudo, mas acho que uma parcela considerável de culpa foi da Novo Conceito. Definitivamente a editora era o point de encontro da galera, já que era só falar "Adoro ler a Novo Conceito" nas horas pares que você saia de lá feliz e saltitante com um livrinho na mão.

Assim que chegamos, encontrei a Nanda e como não consegui senha para a Alyson Nöel passei meu Para Sempre para ela autografar para mim. Isto foi ótimo, porque ela ficou 2,5h na fila e eu teria rodado bem menos na Bienal.

E, nestas voltas, pegamos a senha para autógrafo da Emily Giffin (para mim, para Ana e hipoteticamente para Cíntia, nossa amiga que estava lá fora estacionando o carro – foi a desculpa que demos). Em seguida "após estacionar o carro invisível dela" a encontramos e conhecemos a Fernanda. Ficamos no vai e vem entre outros estantes e a fila da Novo Conceito e encontramos o Felipe e a Lisa. Mais tarde, encontramos a Rute. Foi um prazer conhecê-los, galera!

Quando meu celular pegava (oohhh sinal ruim daquele lugar) eu mandava sms para encontrar o pessoal. Mais do que conversar, saímos em busca das melhores promoções e dos autógrafos internacionais. E sim, tenho mensagens ilimitadas, o que explica as milhões de sms que mandei.

Audrey Niffenegger
Almocei um Yakisoba+refri por 20 reais o.O (facada nos três olhos) e fomos atrás da Audrey Niffenegger. A gente nem queria ouvi-la, só estávamos atrás dos autógrafos nos nossos A Mulher do Viajante do Tempo (que eu ainda não li). A fila estava minúscula, o que só me fez chegar a duas conclusões: 
1) ou o pessoal não a conhecia; 
2) ou ela não era muito simpática.
Após o autógrafo concluí que era a 2ª opção.

Conversamos, andamos, compramos... não necessariamente nesta ordem, mas na maioria das vezes juntos. Vi alguns outros blogueiros lá, mas nem dava tempo de cumprimentá-los (ou eu não quis mesmo... huahuauha - Blogueiros celebridades). Alguns que queria ver, não vi.

Comecei a não sentir meus membros inferiores.

Enquanto eu ficava em um dilema se comprava ou não Minha Vida Fora de Série mesmo sem autógrafo da Paula Pimenta e esperava a fila de autógrafo da Emily Giffin andar (leia-se, arrastava minha bunda no degrauzinho do estande) olhei para o lado, para a pessoa atrás de mim na fila e disse:

-Eu te conheço.
-Não, você não me conhece. - Ela respondeu.
-Eu te conheço sim!
-Não conhece! Ou melhor, conhece de onde?
-Do twitter! Vc é a @desapd e eu a @lucianamara
-Ohhhhh - Nos abraçamos e tiramos foto. Cara eu tenho mesmo boa memória fotográfica.

Eu tinha marcado de encontrar outra blogueira, a Nataly. Trocamos algumas sms, ela me disse que estava na fila da Emily e eu a reconheci. Só não sabia se o que ela estava comendo era um sorvete ou crepe (sou boa para reconhecer apenas rostos =P)

Finalmente era a nossa hora! Fomos pegar os autógrafos burlando o sistema para conseguir o da Cíntia que estava comprando nossos livros da nossa musa das compras, com os descontos progressivos que estavam rolando na Galera. A Emily é uma graça! Sei lá como, eu até conversei com ela.

Emily Giffin
Autógrafo na mão, andando igual burro de carga cheia de livros, fomos embora. Sério, não sentia meus pés, estava cansada por só ter dormido 3 horas durante a noite, mas se pudesse, faria tudo de novo. O lugar é aquilo tudo mesmo que todo mundo fala e onde mais você pode conhecer aquelas pessoas desesperadas por livros tanto quanto você?

Começando de cima: 
3 que ganhei
4 que comprei
1 para ler
4 que levei para autografar.




Após 20 milhões de horas (foi o que pareceu tamanho era meu cansaço) chegamos ao hoStel e lembramos de uma coisa: o cadeado. Puxa, tentamos a estratégia dos filmes com 2 grampos abertos, mas nada. Isto é uma furada!!! Eu bem achando que ela teria que se vestir de lençol após o banho, quando o cara do hoStel deforma o zíper, para o cadeado sair por baixo. Estragou o zíper, mas deu certo! Nunca mais acredito nas estratégias dos filmes!

E não foi só isso!
No domingo fomos ao Cristo e à praia de Copacabana. Na segunda fomos à Igreja da Candelária, à Confeitaria (que eu insisto em chamar de cefeteria, cafeteria, qualquer coisa que meus dedos malucos digitem, menos o nome certo) Colombo – onde se engorda só de olhar  – e a praia da Barra (onde não vi nenhum famoso de verdade #choro). Depois de meio século esperando, a Nanda e a Laila chegaram lá com uma turma. Fomos embora, eu com o biquíni molhado no ônibus com ar-condicionado, resultado: gripei!

Então, tirando tudo que foi ruim, foi ótimo!
Bora repetir a dose? 

Turismo no Rio. Dias 4 e 5 de setembro (Clique para ampliar)

20 comentários:

Charlene disse...

Acho que isso é o mais novo livro: Mineiros - A saga da Bienal...
Pq tudo só acontece com mineiro!!?!? E mineiro é um bicho criativo para desculpas rsrsrs
Queria muitoooooooooo ter ido, mas não deu =((

mundodaleitura disse...

Ai meu Deus que sonho essa viagem!!! E também quero Lu!!!
Vou ter que comentar aqui, pelas fotos que vi A Audrey Niffenager tem cara de ser bem antipática mesmo, credo, ela escreve tão bem o.O
Amei ler sobre as suas peripécias, rolei de rir! Na próxima bienal eu tenho que estar presente!!!
E esse livros maravilhosos? Só lançamentos que estão na minha listinha :)

Beijos
Adriana - Mundo da Leitura

Sanzinha disse...

A orgia do corredor foi ótima, cumprimente sua mãe pra mim... rsrs.
Vc abordar a "desa" na fila, foi um sarro. Queria ter visto a cara dela.
Mas o que me fez rir de verdade foi isso aqui:

"Vi alguns outros blogueiros lá, mas nem dava tempo de cumprimentá-los (ou eu não quis mesmo... huahuauha)"

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Gente esnobe!

Valeu o passeio, gêmea! Que bom que deu pra vc ir. Agora guarda $$ pra vir a SP ano que vem. =)

Beijão!

Nataly Gonçalves disse...

Tb adorei ter te conhecido, foi um prazer, ainda bem que eu não estava na lista das blogueiras que vc não quis cumprimentar, rs.
Eu não levei o livro da Audrey pq achei que ela ia dar autógrafo e no fim me arrependi, mais ela tb nem parece ser tão simpática.
Não paguei excesso de bagagem pois levei poucas roupas e uma mala de mão onde coloquei a maioria dos livros, mais mesmo assim ainda deu quase 19 kg de bagagem.

Beijinhos

Camila Araújo disse...

Vejamos...
Não usar 1/3 do que levou é normal. Eu sempre faço a mala com mais coisas do que sei que vou usar para ter opções de escolha.
A tua mãe ARRASA! Deu um baita ouch no vizinho incherido. \o/
Se o hotel serve pra dormir, e tem um café levemente decente dá pra levar e usar o economizado pra comprar livro. E pra suprir a comida do hotel leva-se de casa uns petisquinhos. ^^ Da última vez q viajei, fui com mala e tudo pro shopping esperar a hora da reserva do hotel, pelo menos a gente alugou carros e deixou as malas neles, mas tu imagina a cara das pessoas.
Aí você começa a falar da Bienal e eu só na invejinha branca aqui...
Ainda bem que você conseguiu conhecer alguma coisa do Rio mesmo em poucos dias, acho que eu teria acampado dentro do Rio Centro se pudesse. =)
Enfim... mega coment... Bjs!

Kellen Baesso disse...

Ri muito com a história do colchão. haha Sua mãe é demais!
Aii, quantas emoções, experiências e histórias boas para contar. Invejei total.
E sobre a Audrey, eu desconfiava, em todas as fotos ela saiu com cara de dor de barriga.
Adoreii saber mais sobre sua viagem.
Beijos

Lisa disse...

Ontem conversei com uma menina que disse que a Audrey na verdade é muito legal. O problema é que ela tem paralisia facial e é surda de um ouvido (!!!!!). Então, qd ela ouve vc, ela muito solícita (a menina levou 10 livros pra autografar!!!!), qd não, fica parecendo nojenta.

Foi um prazer conhecê-la!

Bjs
Lisa

Ana Carolina Nonato disse...

Olá!


Ai, ai, ai! Como eu gostaria de ter ido também :/ Infelizmente não deu! mas gostei demaaaaais destas "desaventuras" rsrsrsrs! E quantas fotos legais. Como são os autores de pertinho? :D E muitos livros interessantes...

Logo, logo tem a de Sampa!! ♥

Abraços!

Julia G disse...

haha, você consegue me arrancar gargalhadas Lu! "tenho mesmo boa memória fotográfica", adorei o trocadilho!!
A bienal devia estar mesmo maravilhosa, mesmo sem sentir as pernas. Adoraria conhecer aquelas pessoas desesperadas por livros tanto quanto eu!

Beijos
Conjunto da Obra

Rafaelle Vieira disse...

Olá Lu! Que aventura! Deve ter sido mesmo inesquecível. Adorei as histórias hilárias; a do colchão foi a melhor, queria ter visto a cara do vizinho depois da inocente desculpa da sua mãe para o barulho D+. kkkkkkkkkkk
Beijos.

Rafa{Fascinada por Histórias}

Letícia Iauch disse...

Ei Lu!

Ai que invejinha! Queria muito ter isso, dia 01 foi depressão total u_u Todos falando de Bienal e eu em casa :( HUSAUHSUHA
E todos esses livros moça? Quero muito Minha Vida Fora de Série *-*
E quero você aqui em SP ano que vem hein?!

Bjoos'
Lets

Cíntia Mara disse...

Li o post na hora que você publicou, mas só agora deu pra vir aqui com calma comentar.

Indecisão é apelido, né? Hauhauhauha Eu, por outro lado, quase precisei lavar algumas roupas, usei tudo.
Racho de rir cada vez que lembro da sua mãe enchendo o colchão e penso no vizinho.

Eu fui à Bienal dois dias e, mesmo assim, não vi tudo. Quarta-feira estava insuportável! Só fui à Novo Conceito, pro encontro de fãs do Sparks, andei um pouco pelo pavilhão verde e tentei comprar seus Jane Eyre, mas tava difícil até de olhar pra Record.

Estacionando o carro? Hahahahahaha não sabia dessa =P

ou eu não quis mesmo... huahuauha - Blogueiros celebridades Nem comento. Algumas celebridades eu faço questão de não ver. Ah, e gostei do onde não vimos nenhum famoso DE VERDADE.

Acordei espirrando feito louca hoje, mas não é gripe, é alergia mesmo. Minhas ites são muito lindas, estavam todas me esperando no "aeroporto do deserto do fim do mundo".

Bjos

Felipe Fagundes disse...

Chamar o guarda-roupa de Nárnia foi genial! Vou anotar isso pra usar alguma outra vez rs

Minha cara ia cair no chão se sua mãe falasse esse lance da orgia pra mim kkkkkkk

O encontro com a menina do Twitter na fila foi hilário. Acho que mesmo que reconhecesse alguém não ia falar com ela, a não ser que eu tivesse 100% de certeza de que era ela mesmo.

Aquela fila da Novo Conceito foi uma coisa, pena que só ganhei um livro que eu nem queria --'

Adorei te conhecer ;)

Cacá SS disse...

Oi Lu,
hahahaha Estou morrendo de rir com suas aventuras cariocas ! Se só o post já foi divertido, imagino a viagem. Não sei do que ri mais, sua mãe e o colchão inflável, o biscoito que dobra 90 graus e não quebra, a autora não muito simpática, a menina que você reconheceu pelo twitter...
E então, falou ou não para a Emily Giffin que ela precisa se tratar para resolver o problema com infidelidade, hehehe
Beijos

Vanessa disse...

AIN QUE INVEJA! AUSHAUSA Adorei suas aventuras pelo Rio e pela Bienal. Meldels UASHAUHSAU Uh, invejinha das fotos com as autoras. E opa, to esperando você na bienal de são paulo ano que vem, trate de vir <3

Beijos, Vanessa.
This Adorable Thing

Bruna disse...

Aii Lu... amei! ri muito com a situação de zíper para abrir a mala! Nossa quantos livros... meu da próxima vez que tiver eu vou me programar e juntar dindin para ir!!!

*será que a novo conceito fará a mesma estratégia das senhas?!* haha

Tuudo de bom!!

Beeijooos

@whosthanny disse...

Que comédia suas aventuras! Se você me visse, ia reconhecer também pela foto do twitter? HAUHAUHAUHAUHA
Ano que vem vou pra bienal e não quero nem saber *-* Invejei seu Além da vida, nem sabia que tinham lançado, parece que não divulgam :(
O Rio é lindo, adorei as fotos!

www.whosthanny.com
xx

Nanda disse...

Ri Lu,

Seus posts assim são ótimos, morro de rir, amanhã colocamos as fofocas todos em dia xD

Ahhhhh nem foi meio século que ficaram me esperando ta! kkkkkkkkkkk e vcs foram embora muito rapido hauhauha

Fila da NC foi o máximo, conheci muita gente ali. ^^

Eu não abriria mão da bienal tantos dias para passear kkkkk, o último fim de semana foi uma loucura.

Até que vc não comprou muito, cheguei com 25 livros fora os que tinha levado para ler ou para autografar rsrs.

bjos
Nanda

Amanda disse...

Oi Lu, poxa fiquei tão triste que tenhamos nos desencontrado, queria muito te conhecer, mas tomara que haja outra oportunidade logo!

Ah, queria tanto ter visto a Emily Giffin, mas além de naquele dia eu não ter o livro dela (pq claro, decidi comprar depois, o que não é muito inteligente pois se tivesse comprado no dia 03 tinha pego autografo), eu também encarei uma imensa fila da Alyson Noël (cheguei em casa sem sentir minhas pernas mais rs).

Ah, pena que você ficou pouco tempo por aqui, mas deu pra conhecer um pouquinho do Rj.

bjs

Amanda
Vício em livros

Fabricio Carlos disse...

acho q to ficando velho para essas coias...rsrs

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário!
Deixe seu endereço para eu retribuir a visita ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

TOC Template by Ipietoon Blogger Template | Gift Idea