segunda-feira, 31 de outubro de 2011

‘Perdoa-me pai, eu comprei'- Outubro (2011)

Postado por Luciana Mara às 15:24:00 29 comentários Links para esta postagem
O evento estava marcado para maio deste ano, mas foi cancelado.

Um tempo depois, restabeleceram uma nova data: 21 de outubro. Sim, era o dia do fim do mundo

Mas sexta? Sexta-feira? Quem organizou este evento? Eu não concordo com o fim do mundo na sexta, afinal, avacalha com o fim de semana. Vou passar um abaixo assinado para decretarem o próximo fim do mundo numa segunda de manhã (caso concorde com a minha petição favor deixar seu nome completo no comentário) daqui a pelo menos 1 ano.

Como decidem e divulgam de uma hora para outra que vão acabar com o mundo? Aloouuu!!!  Eu preciso pelo menos de um ano para zerar meu estoque de livros como se eu deixasse isso acontecer! E todas aquelas histórias que quero saber como termina e ainda não consegui nem iniciar? 

Assim, como neste fim do mundo eu não pude opinar (do Além só tenho contato direto com São Pedro - Gramado fez frio e Rio fez calor - minhas ligações para ele deram certo), simplesmente reservei meu ingresso. Claro que comprei meia com minha carteirinha falsificada de estudante e é evidente que não fui uma das primeiras pessoas a fazer isto, já que a hashtag estava nos TT's, mas consegui um bom lugar. Cadeira, wireless, meu celular e A Esperança. O mundo ia acabar, mas pelo menos eu saberia como Panem terminaria e com quem a Katniss (da Trilogia Jogos Vorazes) ficaria. #alívio

Se eu soubesse do fim do mundo com alguma antecipação, poderia pedir meu pai para construir uma Arca de Luciana e torcer para o mundo acabar inundado. Seria simples transportar minha estante para lá e salvar todo aquele investimento/'cultura'. 

E foi pensando nisso que eu surtei. Será que tem uma biblioteca no Além com pelo menos exemplar de cada um dos livros que eu não tive tempo de ler? Será que lá tem loja online? Minhas amadas Submarino e Americanas serão substituídas por Balão e Alenzianas? E o pior: será que no Além vai ter frete grátis e descontos progressivos? Estas são questões de vida ou morte! E por falar em compras...

Alguém me diz se é possível deixar o mundo acabar sem fazer uma comprinha? Sem aquela emoção de procurar um livro, caçar um desconto e fechar o pedido? Claro que não! O fim do mundo é um momento importante, deve ser comemorado! Então, com muito pouco esforço, tive que desistir da minha carteirinha de #GABApride*e satisfazer a este último prazer. Comprei! (O problema era o mundo acabar e eu não receber meus livrinhos, mas tentei abstrair minha cabeça deste grande empecilho).

Manual da noiva (presente de sogra); Jane Eyre (compra de Set); O Céu Está em Todo Lugar (compra de Set); Estudos Sobre Veneno (compra); Branca como leite, Vermelha como sangue (sorteio); O que Falta ao Tempo (sorteio e duplicado); Despertada (compra); Cidade de Vidro (compra de Set); Ladrões de Elite (sorteio); A Promessa (compra de Set); A Esperança (compra de Set); Marina (presente do Léo, livro nº 250); A Bola de Neve (presente de niver atrasado do chefe)**


Então, já preparada, esperei, esperei... Pedi para mandarem um tweet quando o mundo tivesse acabando e nada. Quando dei por mim era sábado de manhã. Eu juro que o lance do fim do mundo não foi uma desculpa para fazer compras (dedos cruzados).

Acabei de descobrir que a próxima data deste grande evento, 22 de dezembro de 2012, foi cancelada. Caso contrário, eu já teria que começar a me preparar... Não! Eu não pararia de comprar para conseguir ler tudo que eu tenho. Eu só estocaria mais e ficaria na torcida para o mundo acabar inundado. 

Mas como sou prevenida, aí vai um pedido: "Pai, constrói um barco para mim?"
-------
Algumas ideias do texto surgiram de conversas com a Mariana, Sanzinha, Kellen, Cíntia, Miloca e Nanda. Se você também conversou comigo sobre isto e seu nome não está aqui, lembre-me que atualizo #MemóriaZero

*Permanecer no orgulho GABA, sem comprar
**Há várias compras de setembro que só foram entregues em outubro por causa da greve dos correios


quarta-feira, 26 de outubro de 2011

#83: Quarto (Emma Donoghue)

Postado por Luciana Mara às 11:26:00 27 comentários Links para esta postagem

Informações:
Título: Quarto
Autora: Emma Donoghue
Editora: Verus
Número de páginas: 350

Comentários: Hoje é o primeiro dia (oficial) do Clube das Chocólatras. Muita comida, discussão, comida, fofocas, comida e livros nos esperam. 

Como disse AQUI, li o Quarto escolhido pela Sandra. 
---------
Jack acabou de completar 5 anos. Cinco, seu número preferido entre todos os números que existem. E nestes cinco anos, o único lugar que aquele garoto esperto conhecia era o Quarto, onde morava com a Mãe.

O Quarto era seu mundo. Foi onde Jack nasceu, fazia as refeições, dormia, brincava, onde aprendeu a ler e onde tomava um pouco do seio esquerdo da mãe, porque era o mais cremoso. 

O único contato com o Lá Fora era através da Televisão, mas para Jack nada do que passava lá era real. O real era o Quarto. Foi isso que a Mãe disse e foi assim que educou o garoto, porque a realidade era muito cruel. 

A realidade é que a Mãe foi raptada pelo Velho Nick quando ela tinha 19 anos e ficou presa dentro daquele cômodo isolado, com apenas uma clarabóia. Ela viveu dois anos sozinha, até que engravidou de Jack. 

O velho asqueroso raptou aquela jovem universitária para satisfazer seus desejos mais nojentos. E era por isto que Jack tinha que dormir dentro do Guarda-Roupa, para que o Velho Nick não se aproximasse dele. Bastava o velho ir embora, para a Mãe colocá-lo com ela na Cama e ficar em 'paz' até a noite, quando novamente o velho dava as caras.

Mas até antes de completar 5 anos, Jack não sabia disso porque não estava preparado. Introduzindo pouco a pouco a realidade na vida do menino, a Mãe bolou um plano de fuga. Jack era sua vida, era seu bem mais precioso, mas ela sabia que não podiam mais viver ali. Ela precisava arriscar. E com a ajuda daquele esperto garoto ela colocou o plano em prática. 

Qual foi o plano? E no mundo Lá Fora, Jack se adaptaria? Saiba lendo o Quarto.
---------
O maior choque foi perceber que um livro com uma temática tão pesada (sequestro, abuso sexual) poderia ser leve, simples. E isto é um grande mérito de Jack e sua criadora, claro, já que a história é contada por ele, sob sua perspectiva infantil. 

A única explicação que encontro é que a Emma (autora) encarnou um menino de cinco anos para escrever o livro. Os erros gramaticais, as divagações, os questionamentos sobre aquele novo mundo e sobre tudo que estava acontecendo com ele são contados realmente como se fossem de uma criança. Chega a ser chocante de tão real. E é impossível não simpatizar com aquele garoto cheio de dúvidas e manias (como contar e recontar os dentes, sempre tendo que totalizar 20). 

O Quarto é tão o mundo de Jack que ele personifica os objetos, porque são as únicas outras coisas que ele tem contato. Ele senta diante da Mesa e come com a Colher Derretida. Ele brinca com a Mãe no Tapete e faz educação física ao redor da Cama. Para ele, só existe uma Mesa, uma Colher Derretida, um Tapete e uma Cama, porque o que existe é só aquele mundo entre as quatro paredes do Quarto.

Além disso, não tem como não se sensibilizar com a Mãe que aguentou aquele porco nojento por tanto tempo (como se ela tivesse escolha) e admirá-la pela criação do garoto. Criar um mundo para ele foi fantástico! 

O livro é dividido em cinco partes (como o número preferido de Jack): Presentes, Desmentidos, Morrer, Depois e Viver e os títulos são todos bem intuitivos. Li bem rapidinho, porque queria muito saber o que iria acontecer com aquele garoto que tanto me afeiçoei.

Então, a pergunta é: Se eu gostei tanto, se tudo é lindo e maravilhoso, porque não 5 estrelas? A resposta é simples! Eu esperava algum choque no final. Alguma surpresa, reviravolta, acontecimento inesperado. É claro que eu desejava um final feliz, mas senti que faltou alguma coisa. SPOILER à frente: eu também gostaria de ler mais sobre a rotina de mãe e filho após a fuga e internação no hospital. Mesmo a quase morte da mãe não satisfez minha esperança de ter uma grande surpresa. Pronto!

Restam dúvidas de que recomendo?



Agora quero ver como será a leitura de Identidade Roubada, história com mesma temática (rapto, abuso), mas contada pela mulher. Acho melhor preparar o estômago.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

#82: Além da Vida (Claudia Gray)

Postado por Luciana Mara às 13:39:00 13 comentários Links para esta postagem

Informações:
Título: Além da Vida
Autora: Claudia Gray
Editora: Planeta
Número de páginas: 334

Comentários: Finalmente consigo concluir mais uma série. Em meio a prolongamentos sem fim de séries de livros, é um alívio enorme ver que a autora desistiu de enrolar, ganhar mais dinheiro às nossas custas e concluiu a saga.

Noite Eterna, Caçadora de Estrelas e Névoa do tempo são os outros três livros desta série. 

Esta resenha contém um SPOILER ENORME de Névoa do Tempo. Se você não leu o livro (e se interessa em manter a surpresa, caia fora daqui - como sou delicada). 
---------
Após os acontecimentos na adega de Vick, o confronto com Charity (a irmã de Balthazar) e o incêndio é assim que os protagonistas desta história se encontram: Bianca, filha de dois vampiros, virou um espectro (um fantasma mesmo) e Lucas, ex-integrante da Cruz Negra (que caçava os meus vampiros queridos) virou um vampiro. 

Com o auxílio da pulseira e do broche dados por Lucas, Bianca conseguia assumir, durante algum tempo, uma forma corpórea. Mas o problema maior dos dois era a sede de Lucas. Transformado há pouco tempo, ele só queria/pensava/precisava de sangue. Sua sede era tanta que se sentia incapaz de permanecer na mesmo ambiente que Vick (seu antigo colega de quarto e um dos humanos que sabem da existência dos vampiros). Assim, após algumas discussões, o grupo não enxergam outra saída além de levá-lo para um lugar onde ele pudesse aprender pouco a pouco a conviver com os humanos e onde ele também pudesse aprender sobre sua nova condição: a escola Noite Eterna.

A escola administrada pela sra. Bethany, que nos últimos tempos havia recebido humanos (que 'coincidentemente' eram assombrados por fantasmas), tinha como objetivo atualizar os vampiros em relação à modernidade. Era lá que Bianca morava com os pais, professores da escola, antes de fugir com Lucas.

Só havia um problema nesta nova empreitada: a diretora da escola continuava com sua caça aos espectros e Bianca, a fantasminha camarada, não abria mão de ficar com Lucas na escola. Qual era objetivo da sra Bethany continuava sendo um mistério que Bianca estava disposta a descobrir, mesmo que fosse necessário assumir riscos. 

Qual era o segredo da diretora e o que ela queria com os fantasmas? Lucas controlaria sua sede? Bianca ficaria para sempre ‘assombrando’ a Noite Eterna? O amor dos dois era realmente mais forte que as adversidades? Descubra em Além da Vida.
---------
Ao terminar Névoa do Tempo, expressei AQUI minha insatisfação com o rumo que da história tomou. Bianca fantasma e Lucas vampiro não era a situação que eu queria, se bem que a última era sim, quanto mais vampiros no mundo literário melhor. Fiquei remoendo os acontecimentos e tentando imaginar o que autora faria para dar aos personagens um final feliz (eu esperava que fosse feliz) e coerente – dentro do sobrenatural, claro – que minha cabeça doeu. 

Assim, ao finalizar a série, a minha conclusão foi que o final feliz foi satisfatório, mas nem de longe o que eu esperava. Acho que isso foi por causa do livro três, que tentou ser tão surpreendente que desandou. A solução foi diferente, inovadora, mas não entra na minha cabeça. SPOILER (selecione se quiser saber): eu consigo imaginar um humano dormindo com um vampiro, mas dormindo com um fantasma é demais para mim. O.o 

A característica mais marcante desta série são as reviravoltas. Lembro que a série me fisgou quando, ao ler Noite Eterna, descobri que a Bianca era (quase) vampira e Lucas é que era o humano, porque até a metade do livro a história me induziu a pensar o contrário. Além da Vida, ao contrário dos demais livros, só me surpreendeu nas páginas finais. Foi uma leitura arrastada, lenta.

Os outros personagens que tanto me conquistaram (Balthazar principalmente #piriguetagem) continuam lá e tem participação ativa neste quarto livro. 

Pois é, eu ainda não dei sorte. Será que um dia ficarei totalmente satisfeita com um final das séries? Será eu crio muitas expectativas e por isto acabo frustrada? Esta é uma pergunta que eu gostaria de obter a resposta.

A notícia boa é que a autora está escrevendo um livro do Balthazar. Pode parecer meio contraditório, eu malhar o final da série e estar aguardando a próxima. Mas é que o Balthazar é tão fofo que não tinha como ser diferente. Espero que aquele pé cansado encontre sua meia velha (e gostaria de topar com o Lucas e a Bianca por aí. Quero saber se o 'arranjo' dos dois deu certo mesmo).
E para o livro:



quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Top Top #8: A favor da bigamia

Postado por Luciana Mara às 08:21:00 41 comentários Links para esta postagem

Antes que alguém vá correndo a alguma rede social falar para o Léo que estou fazendo um manifesto a favor dos enfeites de cabeça, vulgo chifres, acho melhor esclarecer que sou a favor da bigamia, mas da literária.

Algumas vezes, o romance é tão bem construído e tão intenso que fica difícil escolher com quem a mocinha deveria ficar. O fato é que são sempre caras charmosos e fofos, podendo variar entre aquele super bad boy que a sua mãe ficaria horrorizada em conhecer ou o bom moço que sua mãe ficaria desesperada para você casar.

O ponto chave é que eles sempre nos conquistam, nos fazem piriguetar, nos confundem e dividem. E é neste momento que surgem as fãs loucas, que começam a falar que são “team desse”, “team daquele”. 

Acho que já passei desta fase. Agora acho que a mocinha deveria ficar com TODOS, pronto falei! Então, segue a minha lista do Top Top:

#8 Top Top: A favor da bigamia...
...literária

Estes foram os primeiros casos que vieram a cabeça. Acrescentei frases que eu falaria com as protagonistas se tivesse oportunidade.

1-Trilogia Jogos VorazesPeeta-Katniss-Gale
Alguém me explica como é possível escolher entre os dois, please! O Gale cresceu com a Katniss, mas o foi com o Peeta que ela enfrentou a arena. Como ainda não terminei de ler a trilogia, só posso dar um conselho: “Agarra os dois Katniss!

2-Saga Crepúsculo: Jacob-Bella-Edward
 De início eu era team Edward. Porém, quando eu li o livro de novo eu vi o quanto o Jacob gostava da Bella e o quanto ele a usou. Por isto, só digo uma coisa “Bella, minha lerda filha, vai se esquentar no Jacob e se esfriar no Edward!

3-Série Noite EternaBalthazar-Bianca-Lucas
O amor da Bianca e do Lucas é tão forte que não há como não torcer pelo casal. Mas o Balthazar, aiii o Balthazar... ele é fofíssimo!!!  Dada a situação da Bianca no final da série, só queria falar com ela “Bianca, amore! Não dispense o Balthazar. Se você não quer, tem quem queira.

4-Série Academia de Vampiros: Dimitri-Rose-Adrian: 
Como ainda não terminei a série, não sei o que vai acontecer com este trio. Só sei que o Adrian é um doidão bem charmoso e o Dimitri... Sem comentários.  “Rose, ao invés de deixar o Adrian se afogar na bebida, deixe-o afogar em você! Só não conte ao Dimitri, ok?! Aquele dampirão não vai gostar.

5-Série Diários do Vampiro: Damon-Elena-Stefan
É sério que eu preciso fazer algum comentário sobre isso??? “Elena, se eu estivesse no seu lugar ficaria louca. Muda para algum lugar onde a bigamia é permitida. Faça isso para ontem!

6-Série Cabeça de Vento: Christopher-Em/Nikki-Gabriel 
Esta aí uma série que eu quero muito, muito ler o final. O Chris é um fofo ficando do mau e o Gabriel é outro fofo que escreveu uma música para Nikki. Ainda tinha mais um garoto nesta equação que eu já descartei. “Em, no que você se meteu! Mas não dá bobeira, aproveita enquanto você é linda e rica e pega geral.

7-Série Feios/Perfeitos: David-Tally-Zane
A Tally era feia e depois que ficou perfeita conheceu os dois carinhas em questão. O que fazer entre um feio/charmoso/ fugitivo e um perfeito/charmoso/baderneiro? Simples! “Cate os dois, Tally minha querida!”.

8-Série The House of Night: Zoey e vários caras diferentes no mesmo livro.
 Essa aí sabe o que faz e passa longe da bigamia, já está num estágio avançado. Sem comentários para ela.


E antes de mais nada, acho melhor avisar que só sou a favor da bigamia literária quando há apenas uma mulher (muito embora não me venha à cabeça uma história que seja ao contrário. Alguém conhece?)!

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

#81: Todo Garoto Tem (Meg Cabot)

Postado por Luciana Mara às 12:31:00 22 comentários Links para esta postagem

Informações:
Título: Todo Garoto Tem
Autora: Meg Cabot
Editora: Record
Número de páginas: 380

Comentários: Com Todo Garoto Tem termino minha segunda overdose de Meg Cabot. 
Este é o último livro da série 'boys', composta por O Garoto da Casa do Lado e Garoto Encontra Garota.

Esta resenha NÃO contém spoilers. Apesar de ser uma série, as histórias são independentes. Porém, recomendo a leitura na ordem.
---------
Holly e Mark estão prestes a dar um grande passo no relacionamento: decidiram se casar. Mas apesar dos dois serem maiores de idade e vacinados, são de religiões diferentes e, por isto, as famílias não aprovam o casamento. Assim, a única alternativa encontrada foi fugir para concretizarem a união. O destino escolhido foi uma vila no interior da Itália (inveja vermelha, preta ou qualquer cor que ela possa ser, que não branca).

A tiracolo, o casal levou a madrinha/dama de honra/melhor amiga da noiva e extrovertida cartunista Jane Harris (que trabalhava no mesmo jornal que Melissa - Vol 1 e Kate -Vol 2) e o padrinho/amigo do noivo Cal Langdon, um jornalista internacional renomado e mulherengo

Já na sala de embarque, antes mesmo de saberem que teriam que passar a semana juntos, Jane e Cal já se odiavam. Aquela era a primeira viagem internacional de Jane e ela estava empolgadíssima e surtada, ao contrário de Cal que, acostumado a viajar pelo mundo em busca de notícias (e guerras), sente que a viagem é uma perda de tempo, que o casamento em si é uma perda de tempo (lição baseada em eventos passados). Após descobrir isto, a conclusão de Jane foi que Cal não acreditava no amor e ela estava disposta a provar o contrário (ela tinha como evidências o amor dos noivos, melhor deixar claro).

Mas um empecilho surge no caminho do altar e só Jane e Cal poderiam ajudá-los. Qual era o empecilho? Será que Cal aceitaria participar do plano de Jane para corrigir este problema? Será que ele veria por meio de Holly e Mark que o amor ainda existe? E Jane e Cal? Será que eles se odiariam para sempre? 

Descubra as respostas e se divirta em Todo Garoto Tem.
---------
A história é leve, divertida e rápida. O estilo da Meg Máquina Cabot é inconfundível. 

Assim, apesar de ter gostado da história, acho que ela poderia ter sido contada de forma diferente, sem precisar de ser por trocas de e-mails, diário de viagem da Jane (que inicialmente era presente de casamento, mas que começou a ter tantos comentários sobre Cal - e suas supostas partes avantajadas - que ela achou melhor não entregá-lo) e textos no palmtop do Cal. Nos livros anteriores isto fazia todo sentido, uma vez que as histórias se passavam no ambiente de trabalho dos protagonistas (e-mail era a forma de se comunicar sem criar alardes, sem chamar atenção do chefe). Em um ambiente de férias, não vejo a necessidade disso. Talvez a Meg tenha só continuado a escrever do jeito que começou. Sei que está não é uma crítica tão séria, mas me incomodou.

As críticas feitas em relação aos títulos ainda permanecem (veja AQUI). Garotos? Refletindo mais um pouco, acho que os títulos também afastam os rapazes deste tipo de livro. 

Os casais principais são fofos, mas os coadjuvantes da história não têm a mesma força que os dos livros anteriores. 

Um ponto positivo é que finalmente os assuntos dos e-mails são os mesmos. Assim é mais fácil ver quem respondeu a quem e a qual assunto estava dando continuidade.

E sou do contra! Todo muito fala que este é o livro mais fofo da série, mas eu achei o mais fraco. Acho que já estava inserida no universo do jornal e senti falta daqueles personagens (e vou explicar, tirei décimos do 2º livro em relação ao 1º devido à similaridade dos personagens principais e não pelas histórias acontecerem em um mesmo ambiente).

Parece que só falei mal, não é? Mas o livro é bacana! Para quem gosta de um romance no estilo sessão da tarde, recomendo!


terça-feira, 11 de outubro de 2011

#80: Garoto Encontra Garota (Meg Cabot)

Postado por Luciana Mara às 13:24:00 14 comentários Links para esta postagem

Informações:
Título: Garoto Encontra Garota
Autora: Meg Cabot
Editora: Record
Número de páginas: 400

Comentários: Como já disse n vezes, os livros da Meg são diversão garantida. São leituras leves, para aliviar a cabeça. São aqueles tipos de histórias ideais para se mergulhar entre leituras mais densas. Eu mergulhei desta vez até quase afogar. Conheça Garoto encontra Garota, o segundo volume da série 'boys'.
---------
Kate Mackenzie é assistente da diretora de RH, Amy Jenkins, popularmente conhecida como TPM, Tirana, Perversa e Maldosa. Elas trabalham no mesmo jornal que Melissa Fuller, a protagonista do livro anterior (O Garoto da Casa ao Lado).

A vida de Kate não poderia estar pior. Ela acabou o namoro de 10 anos com um aspirante a músico, Dale, com quem dividia o apartamento e está vivendo temporariamente no apartamento de Jen, sua melhor amiga, que está tentando engravidar (imaginem a situação). Ela está procurando outro lugar para morar, mas com o salário que recebe e os muquifos que encontra, está bem difícil.

Além disso, a TPM mandou que ela demitisse Ida Lopez, uma das funcionárias mais queridas do jornal. Ida era a responsável pelo carrinho de doces e tinha um temperamento forte. A senhora se negou a deixar que o consultor jurídico do jornal, Stuart Hetzorg, repetisse a sobremesa, enfurecendo-o e também a sua noiva, que adivinhem que era? A TPM, claro, que por isto queria a cabeça da pobre senhora.

O resultado disso foi a revolta dos jornalistas (inclusive os personagens da história anterior) e da senhora Lopez, que se sentindo injustiçada pela demissão, processou o jornal. E sobrou para Kate dar o depoimento sobre o caso, com ordens da senhorita TPM de defender o jornal a qualquer custo (o problema é que era visível que Kate estava do lado da doceira).

Foi então que ela conheceu o advogado Mitch Hertzog, irmão do noivo da TPM. Por estar diretamente envolvido, Stuart não poderia defender o jornal, indicando o irmão para substituí-lo. Os dois não poderiam ser mais diferentes, para a felicidade de Kate (e da nossa, momento piriguetagem). 

Assim, Kate e Mitch foram ‘obrigados’ a conversar e acabaram descobrindo um pouquinho a mais um do outro. Será que esta relação se restringiria ao âmbito profissional? E a TPM, conseguiria cumprir seu objetivo de mandar a senhora Lopez pastar? Como as pessoas do jornal ficariam sem todas aquelas calorias???

Descubra estes desfechos e como o processo acabou em Garoto encontra Garota.
---------
Acho que seria muito mais fácil dar um ctrl+C, ctrl+V no texto anterior, porque os elogios e críticas são os mesmos já feitos.  

Que o livro é uma delícia, de leitura ultra rápida, isto não é novidade. Assim como a anterior, esta história também é contado por e-mails, memorandos e uma invenção: desabafos de Kate em qualquer papel que encontrasse (cartilhas, cardápios), um recurso novo que não me agradou muito (achei que as páginas ficaram poluídas).

Acho que mais que o casal principal (que é super fofo), o ponto alto da história são os e-mails trocados entre os membros da família Hertzog. Os irmãos se alfinetam, a mãe entra no meio tentando se comunicar com o pai que está sumido no mundo só jogando golfe após um ataque cardíaco, as irmãs Sean (a problemática) e Stacy (irmã de Mitch, e cunhada de John Trent – do volume 1) também entram na roda. Tive cólicas de riso ao ler todas aquelas farpas. Sem dúvidas, a Stacy é minha personagem preferida da série.

Uma outra coisa que me irritou e que esqueci de mencionar na resenha anterior foi o fato do campo com o nome do assuntos dos e-mails enviados em resposta mudarem. Os assuntos são sempre o início do e-mail dando continuidade ao que os personagens relatam no corpo do texto, e não um título propriamente dito.

As características dos personagens são bem parecidas com o de O Garoto da Casa ao Lado. Como por exemplo, tem um mocinho cheio da grana que fica longe de ostentar tudo que tem, tem uma mocinha com problemas amorosos, do interior e que se mete numa tremenda enrascada e uma amiga noiva/casada com relacionamento perfeito e totalmente invejável.

Assim, mesmo o livro sendo uma delícia, o simples fato dele me proporcionar uma espécie de déjà vu leiturístico fez com que eu tirasse o 0,2 que dei a mais do volume 1 (as notas foram estrategicamente pensadas =P).

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Clube das Chocólatras - Outubro (2011)

Postado por Luciana Mara às 11:54:00 21 comentários Links para esta postagem

Mensalmente, quinzenalmente ou semanalmente, ainda estou tentando descobrir a frequência, me encontro com blogueiras e associadas (são aquelas que não tem blog, mas que também são leitoras compulsivas - ou são apenas amigas que estavam passando por perto e as convidamos a entrar). 

Fofocamos, comemos, enroliçamos, discutimos sobre as nossas leituras, comemos e fofocamos (a repetição das palavras não é mera coincidência) no Benzadeus, uma espécie de cafeteria no centro de BH. O lugar é tranquilo, aconchegante, tem uma iluminação indireta que é um show, e o melhor: tem o melhor chocolate gelado que já tomei na cidade! Apelidamos de bomba, porque aquilo deve ter tantas calorias que uma hora mata uma (rolando na escada, rolando ao atravessar a rua...)

Assim, juntamos a fome com a vontade de ler e surgiu o nome do clube: Clube das Chocólatras. Não há como negar que somos apaixonadas por tooooooodas aquelas calorias (e pelos livros também, óbvio!).

As regras do clube estão postadas AQUI, no Tumblr que as meninas criaram. O essencial é saber que não leremos os mesmos livros. Nossas listas de livros a serem lidos circulam por e-mail e a primeira pessoa que responder escolhe o livro da pessoa anterior. Assim, o esperado é que pelo menos duas pessoas tenham lido o mesmo livro para que possam discutir sobre ele. O bom é que não leremos o que não gostamos e o ruim é que não será uma desculpa para eu comprar mais (como se eu precisasse de desculpa). Assim, infelizmente este é um clube politicamente correto com o estatuto do GABA.

Então, segue o Círculo das Escolhas. 
Eu já estou lendo Quarto. Descubra quem lerá o que AQUI (após dar uma fuçada básica, claro!). 

O encontro fixo acontecerá no final do mês, mas isto não significa que descobri que o encontro é mensal. Significa que com certeza terá um no fim do mês, mas que teremos outros para colocar as fofocas e enroliçadas em dia, afinal, elas são infinitas!

terça-feira, 4 de outubro de 2011

#79: O Garoto da Casa ao Lado (Meg Cabot)

Postado por Luciana Mara às 08:39:00 19 comentários Links para esta postagem

Informações:
Título: O Garoto da Casa do Lado
Autora: Meg Cabot
Editora: Record
Número de páginas: 400

Comentários: Tive a segunda overdose de Meg Cabot (rehab para mim!). A primeira foi quando li toda a série A Mediadora em sequência. Agora, li a série “Garotos”, que começa por O Garoto da Casa do lado.
---------
Melissa Fuller, ou simplesmente Mel, saiu da casa dos pais no interior para ser jornalista em Nova York. Mas ao contrário do que esperava, ao invés de ficar correndo de um lado para o outro atrás de notícias de impacto, ela ficou destinada a escrever a página 10, a seção de fofocas do jornal. 

E Mel estava prestes a ficar desempregada. Seu chefe e o departamento de RH não toleravam mais seus constantes atrasos. Este era seu 37º atraso no ano, mas era totalmente justificável! Sua vizinha de 80 anos, a Helen Friedlander, tinha sido atacada em seu apartamento e entrado em coma. E, é claro que tinha sobrado para a Mel cuidar dos dois gatos e do cachorro da vizinha, até que conseguisse contactar algum parente da velhinha. Então, todas as manhãs, ela tinha que sair para passear com o cachorro e por isto não conseguia chegar na hora certo no serviço, simples assim!

Mas tudo mudaria rapidamente. Após algumas ligações e trocas de e-mail, Mel conseguiu localizar o sobrinho da vítima, Max. O que ela não sabia é que ao invés de ficar de babá de cachorro, Max iria aproveitar a vida boa ao lado de Vivica, uma top model, e mandaria John Trent em seu lugar. John era repórter (cheio da grana, mas cansado de mulheres interesseiras) do jornal concorrente ao de Mel e, como devia um favor a Max, ficaria na casa da velhinha até ela melhorar ou bater as botas, se passando pelo ‘amigo’. Então, que Mel e o cara da casa ao lado, John, começaram a se envolver... Mas e as mentiras? E o verdadeiro Max? E o que realmente aconteceu com a velhinha? Descubra lendo O Garoto da Casa ao Lado.
---------
Acho que ‘divertido’ e ‘rápida leitura’ definem bem o que senti após terminar o livro. 

Todo escrito em forma de e-mails, o livro permitiu que a história fosse vista sob várias perspectivas. O ruim deste recurso foi que o livro ficou pobre em descrições dos personagens e ambientes. Só sei que John é um tipão, Mel é baixinha e ruiva e Nadine, a melhor amiga de Mel e responsável pelas críticas culinárias do jornal, estava um pouquinho acima do peso. 

Além das descrições, também senti falta das datas e horários dos e-mails. Não sabia se já haviam passados dias, semanas ou até meses entre uma situação e outra.

Ok! O cara da casa ao lado é o galã da história, mas aqui para nós, ele não é nenhum garoto, é um homem. Ainda não terminei o segundo livro da série – os livros são independentes, mas é legal ler na ordem certa porque os personagens se cruzam nas histórias – mas pelo que vi, lá também não tem nenhum garoto. “Garoto” lembra adolescência e estes livros são títulos adultos da Máquina, ops... Meg. Os livros tinham que chamar O homem da Casa do Lado, Homem Encontra Mulher, Todo Homem Tem (confesso que os nomes ficaram estranhos, mas...).

Acho legal destacar que há vários outros personagens que deixaram a história mais divertida, como a descolada Dolly (do editorial de moda), o Tim (responsável pela informática e gay), Jason (irmão do John), Stacy (esposa grávida do Jason, cheia de hormônios) e o Tony (noivo da Nadine). E no segundo livro, cruzei com alguns deles nesta nova história (eu adoro quando isso acontece, tipo Rachel e Dex de O Noivo da Minha Melhor Amiga em Questões do Coração – livros da Emily Fofa Giffin).

Divertido, criativo, rápido! Adorei! Agora deixa eu ir ali terminar o segundo (já estou com cólicas de tanto rir).
+0,2

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

TOC Template by Ipietoon Blogger Template | Gift Idea