terça-feira, 4 de outubro de 2011

#79: O Garoto da Casa ao Lado (Meg Cabot)

Postado por Luciana Mara às 08:39:00

Informações:
Título: O Garoto da Casa do Lado
Autora: Meg Cabot
Editora: Record
Número de páginas: 400

Comentários: Tive a segunda overdose de Meg Cabot (rehab para mim!). A primeira foi quando li toda a série A Mediadora em sequência. Agora, li a série “Garotos”, que começa por O Garoto da Casa do lado.
---------
Melissa Fuller, ou simplesmente Mel, saiu da casa dos pais no interior para ser jornalista em Nova York. Mas ao contrário do que esperava, ao invés de ficar correndo de um lado para o outro atrás de notícias de impacto, ela ficou destinada a escrever a página 10, a seção de fofocas do jornal. 

E Mel estava prestes a ficar desempregada. Seu chefe e o departamento de RH não toleravam mais seus constantes atrasos. Este era seu 37º atraso no ano, mas era totalmente justificável! Sua vizinha de 80 anos, a Helen Friedlander, tinha sido atacada em seu apartamento e entrado em coma. E, é claro que tinha sobrado para a Mel cuidar dos dois gatos e do cachorro da vizinha, até que conseguisse contactar algum parente da velhinha. Então, todas as manhãs, ela tinha que sair para passear com o cachorro e por isto não conseguia chegar na hora certo no serviço, simples assim!

Mas tudo mudaria rapidamente. Após algumas ligações e trocas de e-mail, Mel conseguiu localizar o sobrinho da vítima, Max. O que ela não sabia é que ao invés de ficar de babá de cachorro, Max iria aproveitar a vida boa ao lado de Vivica, uma top model, e mandaria John Trent em seu lugar. John era repórter (cheio da grana, mas cansado de mulheres interesseiras) do jornal concorrente ao de Mel e, como devia um favor a Max, ficaria na casa da velhinha até ela melhorar ou bater as botas, se passando pelo ‘amigo’. Então, que Mel e o cara da casa ao lado, John, começaram a se envolver... Mas e as mentiras? E o verdadeiro Max? E o que realmente aconteceu com a velhinha? Descubra lendo O Garoto da Casa ao Lado.
---------
Acho que ‘divertido’ e ‘rápida leitura’ definem bem o que senti após terminar o livro. 

Todo escrito em forma de e-mails, o livro permitiu que a história fosse vista sob várias perspectivas. O ruim deste recurso foi que o livro ficou pobre em descrições dos personagens e ambientes. Só sei que John é um tipão, Mel é baixinha e ruiva e Nadine, a melhor amiga de Mel e responsável pelas críticas culinárias do jornal, estava um pouquinho acima do peso. 

Além das descrições, também senti falta das datas e horários dos e-mails. Não sabia se já haviam passados dias, semanas ou até meses entre uma situação e outra.

Ok! O cara da casa ao lado é o galã da história, mas aqui para nós, ele não é nenhum garoto, é um homem. Ainda não terminei o segundo livro da série – os livros são independentes, mas é legal ler na ordem certa porque os personagens se cruzam nas histórias – mas pelo que vi, lá também não tem nenhum garoto. “Garoto” lembra adolescência e estes livros são títulos adultos da Máquina, ops... Meg. Os livros tinham que chamar O homem da Casa do Lado, Homem Encontra Mulher, Todo Homem Tem (confesso que os nomes ficaram estranhos, mas...).

Acho legal destacar que há vários outros personagens que deixaram a história mais divertida, como a descolada Dolly (do editorial de moda), o Tim (responsável pela informática e gay), Jason (irmão do John), Stacy (esposa grávida do Jason, cheia de hormônios) e o Tony (noivo da Nadine). E no segundo livro, cruzei com alguns deles nesta nova história (eu adoro quando isso acontece, tipo Rachel e Dex de O Noivo da Minha Melhor Amiga em Questões do Coração – livros da Emily Fofa Giffin).

Divertido, criativo, rápido! Adorei! Agora deixa eu ir ali terminar o segundo (já estou com cólicas de tanto rir).
+0,2

19 comentários:

kellenbaesso disse...

Ei, gêmea. Por enquanto li só Os dois de Cabeça de Vento da Meg e ela sabe mesmo escrever estórias rápidas e de fácil leitura. Estou com Quando cai o raio em casa e pretendo ler logo. 
Gostei muito do enredo deste, ainda mais que é com jornalistas e tal, e sou mega curiosa para livros com esse formato de e-mails. Apesar do fato de eles não situarem você na trama. 
Quero ler.
Beijos 

Rafaelle Vieira disse...

Oi Lu! Ainda estou começando a ler Meg Cabot, escolhi para começar a série a Mediadora e acabei a pouco tempo Terra das Sombras. Estou adorando o estilo da autora e O garoto da casa ao lado parece muito divertido vou querer conhecer essa série também.
 Adorei a resenha.
Beijos.

Rafa{Fascinada por Histórias}

Bruna M. Silva disse...

Hmmmmm ótima resenha Lu... se vc não comentasse que mais se pareceriam homens em vez de garotos na minha cabeça ia ser mais um livro juvenil... mas parece legal mesmo faltando descrições dos personagens.

Beijos

Elisa Braga disse...

O Garoto da Casa ao Lado está no meio Top5 Meg. Não me incomodei com a falta de descrição física dos personagens. Não ligo pra esse tipo de coisa mesmo. A Becky mesmo a gente só foi descobrir q era loira num livro lá pra frente.

Esse conflito do título não tinha passado pela minha cabeça. Tá cheio de músicas com Garotas-Meninas-Mulheres por aí, aliás. E outras músicas com Boys-Men tb. Mas achei engraçado vc reclamar do nome pq em Portugal esse livro se chama: O Rapaz da porta ao lado. Rapaz era uma boa saída pra fugir desse problema, mas tb não tem sonoridade nenhuma. Mas "da porta ao lado" é o fim!

Bjs
Lisa

Cíntia Mara de Castro Ribeiro disse...

4,2? Depois eu que sou nerd, nunca dei uma nota + 0,2 XD

Acho que o que me incomoda um pouco não é nem o "garoto" dos títulos - acho fofo - mas as capas infantis. Eu tenho as edições antigas, é tudo muito colorido. E, apesar dos garotos serem Homens com H maiúsculo, se as capas fossem adultas, daria pra perceber que os personagens não são adolescentes.

Esses dias eu quase peguei o terceiro, mas, ao contrário de você, eu não consigo mais ler séries em sequência, acho cansativo.

Bjs

Cíntia Mara de Castro Ribeiro disse...

Não consigo imaginar a Becky loira. Pra mim, ela é e sempre será ruiva, como no filme. A mesma Isla Fisher que, na minha cabeça, faz a Mel, rs.

Não gosto de "O Rapaz da Porta ao Lado". Portugal tem uma mania de traduzir tudo ao pé da letra!

nandaassisbh disse...

Ei Lu,

Eu quero comprar os 3 como que faz? rsrs.
Droga quero todos os livros da Meg, mas é missão impossível. Eu tbm prefiro ler na ordem, já vi que tbm vou sentir falta de mais descrições sendo tudo por email. 

bjos

Elisa Braga disse...

Apoiado!  Becky Ruiva 4ever! Pra mim tb Isla Fischer podia fazer a Mel. Cadê o Felipe pra defender O Papel da Mulher Ruiva no mercado elitista de Hollywood?

Julia G disse...

Lu, jurava mesmo que era história de adolescentes! Mas concordo que os nomes com "homem" ficaram bem esquisitos. Mais uma série de livros da Meg que espero desesperadamente poder ler.

Beijos

Hérida Ruyz disse...

Oi Lu!
Já falei que não tenho sorte com a tia Meg? Então...esse eu passo! rsrs
Bjs

Débora Lauton disse...

Eu quero muito ler essa série, mas não costumo gostar muito de livros que se desenvolvem através de cartas, bilhetes ou e-mails... assim como você, sinto falta de mais descrição dos personagens, do ambiente...
Ultimamente não dei muito sorte com a Meg, acho que vou esperar mais...

Cíntia Mara de Castro Ribeiro disse...

Aaah, entendi. Quero ver as notas dos outros.

Vanessa disse...

Eu gostei muito desse livro, faz tempo que eu li então o meu livro não é o com a capinha nova e bonita :S UAHSUAHSUAS  Adorei sua resenha. Pois é, ficou bacana o livro ser escrito em forma de e-mails e talz, mas a descrição dos personagens e talz, ficou a desejar. Mas enfim :S

Beijos, Vanessa.This Adorable Thing

Letícia Iauch disse...

Para Lu!

Sério, vou falir daqui a alguns dia u_u (tá, na verdade, eu só vou enlouquecer minha mãe, de tantos livros que peço HAHAHA)
Olha, você escreve essas resenhas que dão vontade de comprar os livros IMEDIATAMENTE, e eu fico louca! rsrs
Agora, sem brincadeiras, adorei. Gosto da escrita da Meg ~Máquina~e gosto de como é fácil ler o livros dela. O Homem da casa ao lado (haha) parece legal até. E como estou em abstinência de comprar livros, me enlouqueço facilmente com algum que vejo por aí. 
Estou pedindo doações de livros emprestados (mesmo tendo 5 mil na minha estante pra ler, eles não estão brilhando para mim u_u). Vou ler Ela foi até o fim, da Tia Máquina semana que vem, então quem sabe eu não entre na onda e embarque em O Garoto da Casa ao Lado :D:D

Bjoos'
Lets

Caline disse...

Oi Lu sempre que eu via o nome desse livro imaginava que fosse sobre adolescentes pelo uso do termo "garoto" no título. Interessante saber que na verdade não existe nenhum garoto na história, só homens.

Não sei se curtiria uma leitura toda em e-mails, parece ser meio estranho, eu gosto de diálogos, muitos diálogos. Pode até ser que eu goste do livro se me arriscar a ler, mas por enquanto vou deixar pra experimentar outros  livros da Meg.

Beijos
Caline
Mundo de Papel

Sanzinha disse...

Certo, agora é oficial: vou ter que baixar todos os e-books da Cabot, pq comprar tudo isso não dá.. No way! E eu quero ler! rs

Beijinho, gêmea!

Fernanda Correa ♥ disse...

Ah, é, de "garoto" os rapazes dessa coleção não tem nada, rs. Esses livros são bem adultos, né? :P

Acho fofo esse livro, faz tanto tempo que li a última vez! Vontade de reler.Bjoos!

le_nt disse...

Já li esse livro ( faz muito tempo) ! Adorei!
Qualquer dia vou ler de novo!
 
Tinha uma personagem nesse livro que eu detestava! Uma que só atrapalhava "a vida"  da Melissa Fuller. Você lembra o nome dela ???

Letícia disse...

Já li esse livro ( faz muito tempo) ! Adorei!Qualquer dia vou ler de novo!Tinha uma personagem nesse livro que eu detestava! Uma que só atrapalhava "a vida" da Melissa Fuller. Você lembra o nome dela ???

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário!
Deixe seu endereço para eu retribuir a visita ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

TOC Template by Ipietoon Blogger Template | Gift Idea