quarta-feira, 30 de novembro de 2011

‘Perdoa-me pai, eu troquei'- Novembro (2011)

Postado por Luciana Mara às 22:41:00 34 comentários Links para esta postagem
Após comer uma bela pizza, tomar um bom e demorado banho, me preparei para curtir. Curtir a minha cama. Nada além de um ménage a trois entre mim, o Sr. Colchão e Mr Darcy, minha paixão literária do momento. 

Passei pela sala para desejar boa noite à nova inquilina: minha irmã. Ela vai morar comigo até terminar a faculdade. Com isso, iniciou-se o movimento Privacidade Zero.
Quando eu já estava a caminho do quarto, ela gritou:
-Lis! Chegou uma caixa para você!

Imediatamente, fui em sua direção. Adoro encomendas! A caixa era de papelão e não tinha a logo das empresas que eu costumo comprar. Achei tudo bem suspeito e estranho. O primeiro passo foi sacudi-la para tentar identificar o que tinha dentro, mas não obtive sem sucesso. Olhei os seis lados da caixa, porém, não havia remetente.

Interfonei ao porteiro para tentar obter alguma informação sobre quem havia deixado aquela encomenda, mas o turno do funcionário que a havia recebido já tinha terminado. O jeito foi telefonar para minha mãe e saber se tinha sido ela quem tinha enviado a caixa, afinal ela vive me mandando suplementos alimentares alegando que estou magra demais e que só como porcaria (que absurdo!).  
Porém, quando cheguei à sala para dar a notícia de que o remetente permanecia incógnito, eu congelei.

A pentelha da minha irmã tinha aberto a caixa. Assim que cheguei perto para pescoçar o conteúdo, fiquei em choque. Quem teria enviado para mim o...

TROCA

-Ah... Cala a boca, Axl!
São seis horas da manhã, mas prefiro chamar de 6 horas da madrugada. Hora de levantar! Welcome to the jungle continua tocando.

Na tentativa de desligar o despertador, acabei atirando-o longe. Sorte que a metade do meu guarda-roupa que estava no chão amorteceu a queda e a grande vantagem é que nada poderia afinar ainda mais a voz do Axl.

7:00 (da madrugada). Socorro! Estou atrasada!

Fiquei acordada até tarde tentando escolher uma roupa, não dormi direito e perdi a hora! Maldito despertador que não tocou. Espera, eu ouvi o Axl. Ou será ou sonhei com ele? Como assim, eu não lembro?! Preciso começar a dormir com um bloco de papel e uma caneta na cabeceira da cama. Só espero que eles não tenham o mesmo destino que o despertador. Ou o controle da TV, ou o celular, ou meus óculos. Cadê minhas coisas?

Hoje é o meu primeiro dia de...

TROCA

Observando-me no espelho concluí que as cinco horas que passei hoje rodando no shopping valeram a pena. Aquele vestido cinza escuro tinha o caimento perfeito! Ressaltava os seios e os quadris na medida certa e, milagrosamente, parecia diminuir em vários centímetros a minha cintura. Um coque frouxo, um par de brincos de pérolas, um belo salto alto e um make discreta completavam o visual. Peguei minha bolsa, as chaves do carro e saí.

Cheguei ao restaurante. Estava nervosa. Eu não o via há 12 anos.

Quando nossos olhares se cruzaram...

TROCA

Alguns são viciados por bebidas, cigarros ou drogas. Outros por romances, viagens e/ou aventuras. O certo é que a maioria acaba por dever até as calças, e é justamente neste grupo que me encontro. Talvez comprar blusas mais compridas seja a solução para não mostrar minhas partes por aí, já que o que as cobria não cumpre mais o papel. Minhas calças estão todas comprometidas por causa do meu descontrole e mau comportamento.

Mas este mês, experimentei uma nova tática: o troca-troca!
Huummm... como é bom! É uma atividade nova e satisfaz minhas necessidades tão bem quanto meu vício original. 
O prazer é o mesmo, só que agora vem de um desconhecido. Delícia! Se você cantar “assim você me mata”, pode ter certeza que mato mesmo.

Este mês, fiz meus primeiros troca-trocas de livros, galera, de livros cabecinhas poluídas!

É de conhecimento geral que que sou viciada em compras de livros (apesar de que, devido o GABA, estou 0,00001% mais controlada) e séries. Porém, de agora em diante, eu tenho que juntar dindim para casar e por isto estou me controlando. Não comprei quase nada este mês, juro! Não sou mentirosa! Nunca faço isso!!! 


Neste meu novo hábito só troquei histórias conhecidas e/ou repetidas por histórias novas. A diferença entre as trocas de livros que realizei e meu troca-troca dos textos deste post é que, as histórias dos livros que troquei têm final, já as minhas... 

-------
*Recebi de troca: Especiais, Um amor de detetive (da Adriana) e Karma Club. 
Comprei Friends com o Léo. Nossa segunda compra conjunta de séries (a primeira foi Lost).

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

#85: Cidade de Vidro (Cassandra Clare)

Postado por Luciana Mara às 14:30:00 14 comentários Links para esta postagem

Informações:
Título: Cidade de Vidro
Autora: Cassandra Clare
Editora: Galera Record
Número de páginas: 476

Comentários:  E finalmente li o desfecho da primeira fase da série Os Instrumentos Mortais, que começou com Cidade dos Ossos e Cidade das Cinzas.

Minha resenha contém SPOILERS dos livros anteriores. É importante destacar que se você não leu o primeiro e não sabe da grande dúvida que atormenta os leitores, recomendo que leia apenas meus comentários. Sério, faça isso ou estragará a história.

Para significado dos termos, funções e explicações sobre este mundo sobrenatural, recomendo que leia os comentários do primeiro livro da série.
---------
Clary Fray tinha uma missão: viajar até a Cidade de Vidro em busca do feiticeiro Ragnor Fell, o único que tinha a 'receita' da poção que poderia tirar Jocelyn, sua mãe, do coma.

Tudo seria simples e fácil se Jace (uii... respira, Luciana!), seu irmão e por quem tinha uma paixão proibida, a ajudasse. Porém, ele estava decidido a protegê-la dos interesses da Clave deixando-a em Nova York e ir apenas com os Lightwood à Cidade. Jace se dispôs até a barganhar com Simon, melhor amigo/ex-namorado da Clary/agora vampiro, para impedir a viagem de Clary. Eles não esperavam que, assim que o feiticeiro purpurinado Magnus Bane abrisse o Portal, seriam atacados por demônios, fazendo com que Jace levasse Simon para Alicante.  

A Cidade de Vidro - Alicante - era, desde sempre, o lar dos caçadores de sombras. Lá eram realizados os conselhos e reuniões, onde toda e qualquer decisão era tomada pela Clave. A cidade tinha leis rigorossímas, desde ser necessária autorização para os caçadores entrarem nela até proibir a entrada dos membros do submundo (fadas, vampiros, lobisomens e feiticeiros). E naquele momento, a Clave estava reunida para discutir o que fariam a respeito de Valentim, o grande vilão da história.

Valentim, pai de Clary e Jace, possuía dois dos Instrumentos Mortais, o Cálice Mortal (obtido em Cidade dos Ossos) e a Espada da Alma (obtida em Cidade das Cinzas). Para ser dono dos três instrumentos mortais, ele teria que descobrir onde estava o Espelho Mortal o que lhe garantiria um poder bônus, fator que os caçadores de sombra estavam decididos a evitar.

Apesar de abandonada em NY, Clary não desistiu de seu objetivo e, com seu dom de criar símbolos, abriu um Portal que a levou à Alicante. Luke, lobisomem/pai postiço/fofo apaixonado por Jocelyn, não permitiria que ela fosse sozinha e se jogou no Portal também. Até chegar a Alicante foi um parto de trigêmeos sem anestesia. 

Em Alicante, Clary foi obrigada a se esconder, já que não tinha autorização para entrar na cidade. Quando encontra Jace, descobre o quanto ele não a queria lá. Desolada, ela se aproxima de Sebastian, um caçador de sombras misterioso e sexy. Ele estava com Jace, Alec, Isabelle, Max e Aline (filha de amigos do casal Lightwood – com uma pequena enorme queda por Jace) esperando o término da reunião da Clave e se interessou por Clary imediatamente. 

E enquanto descobre histórias sobre sua família e evita o mau humor de Jace, Clary recebe a bomba de que Simon foi preso (lembre-se que membros do submundo não eram bem-vindos em Alicante, ok?!). Como se não bastasse, os demônios de Valentim estavam chegando e a única chance dos caçadores de sombras seria se aliar aos moradores do submundo.

Onde estaria o 3º Instrumento Mortal? O que Valentim desejaria ao reuni-los? Simon sairia da ‘prisão’? Quais eram os segredos de Sebastian? A Clave se uniria ao submundo? Clary conseguiria salvar sua mãe? E Jace e Clary??? O que seria daqueles dois?

Descubra lendo Cidade de Vidro.
---------
Ação, romance, suspense e surpresas (e gostinho de quero mais) foi o que eu encontrei em Cidade de Vidro. Eu li a maior parte do livro em casa, o que por si só já indica o quanto gostei da história.

Ao contrário do que havia dito na resenha de Cidade das Cinzas, eu resisti e não li e-book do Vol.3. Esperei com uma força de vontade sobre-humana ter meu livrinho lindo e (ex-)brilhante* em mãos para descobrir as respostas dos mistérios desta deliciosa série.

Porque sim, há TODAS as respostas neste volume! Originalmente, seriam três livros, mas a pedido dos fãs, a Cassandra resolveu continuar a série (socorro!!!).  Só Deus e a Galera Record sabem quando a continuação será lançada aqui. Por enquanto, prefiro dar a série por encerrada. Só vou ler a nova fase quando todos os livros forem publicados. Esta mulher me mata do coração com os mistérios e as bombas que ela joga nos finais dos livros. Estou muito nova para ser internada numa clínica para cardíacos.

Achei o início do livro muito morno. Até as primeiras 50 páginas a leitura foi empurrada. Nada acontecia, mas depois, depois meus amigos, foi segurar o fôlego e ir até o final. Ora era um mistério sendo resolvido, ora um personagem era atacado.

A Cassandra escreve de um jeito que a história flui bem. Há várias descrições dos cenários, mas ao contrário de alguns livros onde isto ocorre excessivamente (podem jogar pedras, mas eu acho isso de SdA) e cansam, nesta série isto funciona muito bem. Alicante me pareceu ser uma linda e especial cidade e se não fossem pelos detalhes, eu não a imaginaria tão bem.

A autora soube amarrar tão bem a trama, soltando fragmentos importantes para o desfecho ao longo de todo o livro que, infelizmente, com duas frases escritas no meio da história, eu matei a grande charada. GRANDE, ULTRA, MEGA, POWER SPOILER: Quando a Clary disse que o Sebastian a lembrava alguém e quando o Simon bebeu do sangue dele e disse que era ruim, eu descobri tudo. PRONTO.

Jace é fonte de piriguetagem eterna! Ele é tão irônico e sarcástico sendo impossível não se apaixonar. Clary ainda é uma garota com algumas atitudes impensadas, mas com grande responsabilidade no desfecho da trama.

E  todos aqueles personagens queridos (Luke, Alec, Isabelle, Maia, Simon e Magnus) estão de volta,  mostrando mais das suas diferentes personalidades e criando seus próprios espaços na série. Neste livro houve a confirmação de um casal diferente e, para o próximo volume (City of Fallen Angels), há indicação de um possível triângulo (digam o que quiser, mas eu ADORO a tensão dos triângulos amorosos).

Só há um ponto que não gostei, o final do vilão SPOILER: esperava mais ação e não que tudo fosse feito pelo Anjo, com uma ajudinha da ruivinha querida. PRONTO.

Restam dúvidas de que recomendo a série?



*Ex-brilhante porque a medida que manuseei o livro, o efeito foi saindo. Fiquei tão triste :-/

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Ser ou não ser (doida), eis a questão

Postado por Luciana Mara às 10:38:00 32 comentários Links para esta postagem

Toda vez que olho o número 2 ao lado do mês de novembro (agora 3) penso em como estou em falta por aqui.

Estou com resenhas de 10 livros para fazer, mas justamente pelo blog ser um hobbie e não uma obrigação, não me forço a escrever algo apenas por escrever. Escrita para mim é diversão!

E ao contrário de muita gente, eu não consigo simplesmente sentar e fazer o texto fluir. Eu preciso de inspiração (mesmo para as minhas bobeiras). Demoro umas duas horas para escrever, toscamente revisar e concluir um texto e este mês acho que deu para perceber que não estou muito no clima.

Estou empolgada com o apartamento novo, meu avô estava no hospital (vai sair hoje \o/), já estou agitada pelo fim do ano (=férias) e sinto dizer, mas estou doente.

Conversando com a Kellen, descobri que sofro de Formiguite Aguda. Preciso pesquisar mais no Tio Google sobre esta doença. Só conheço alguns dos sintomas: não conseguir se concentrar, praticar sapateado o dia inteiro (daqui uns dias poderei entrar neste grupo AQUI), abrir a torneira de bobagens no twitter e o principal, achar que há formigas na cadeira a ponto de não conseguir ficar sentada por muito tempo (de 15 em 15 minutos vou beber água - Daí de 20 em 20 minutos tenho que ir ao banheiro. Tirando o MMC disso, pense em quantas vezes no dia tenho que beber água e ir ao banheiro ao mesmo tempo?! o.O).

Pensei que a cura fosse encher a cara de chocolate para sossegar as formiguinhas que estão por aqui, mas não deu muito certo. Fiquei foi sem vontade de almoçar. ¬¬

Se alguém tiver a cura, me conte!

Enquanto isso vou falando bobagens por aí. Espero conseguir escrever algo em breve (tipo na próxima semana).

Ps.: Demorei 20 minutos para escrever e postar, com direito até a piadinha nerd. Acho que eu sou é doida mesmo!

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Como eu leio (meme)

Postado por Luciana Mara às 10:26:00 21 comentários Links para esta postagem

Estou sofrendo de preguicite resenhística. 
Assim, nada como um meme para tampar um buraco e eu não ficar um tempão sem postar nada (mandem óleo de peroba para mim).

Este meme foi criado pela Hérida do Lendo nas Entrelinhas e eu recebi da Miloca do Colecionadores de Histórias. O meme já é velhinho. Se alguém já tinha me indicado, desculpe, esqueci. Idade é f#%@!

Como sempre, bebi umas antes de escrever.


A AQUISIÇÃO:

1- Sempre compra você mesmo seus livros ou tem anjos da guarda? Se tem, quem são eles normalmente?
Geralmente sou eu mesma quem fico pobre. 
Meus anjos da guarda acham que já tenho livros demais e só me dão de presente outras coisas, tipo roupas (quem precisa de roupas? o.O).
O Léo é o único que ainda me dá livros (é por isto que te amo, querido).

2- Gasta quanto (em média) por mês em livros? Já estourou o cartão de crédito com livros? 
Varia muito. Minha meta é sempre gastar R$100, mas no geral extrapolo.
Não, porque só compro no boleto. Se usasse cartão estaria devendo até minhas calcinhas =P

3- Consegue livros emprestados com frequência? Se sim, quem te empresta normalmente?
Não, porque como fica o vício de comprar? (vício? Falei vício? Queria dizer hábitos de trocar, frequentemente, qualquer quantia em dinheiro por  material impresso, produzido por editoras)
Se eu pegar emprestado e gostar, sei que vou querer o livro para mim, então prefiro comprar de uma vez e ter o prazer de ler meu próprio livro (isto aconteceu com Caçador de Pipas, que li emprestado, comprei depois e ainda está dentro do plástico. O livro é tão bom que queria ter lido o meu).


O DELEITE:

1- Lê em média quantos livros por mês? 
Leio no mínimo 1 por semana. Assim, leio, em média, 5 ou 6 no mês.  

2- Lê em média quantas páginas num dia da semana? E nos fins de semana?
Em dia de semana leio, em média, 60, 70 páginas, dependendo do livro. Se o livro for muito, muito bom eu leio em casa e acabo lendo bem mais que isso.
Tem fim de semana que leio um livro em uma sentada, tem fim de semana que não leio uma página. Depende do planejamento da minha vida social (ou seja, se fico com bem o fim de semana todo, não leio nada; se não  o encontro, só leio).

3- Consegue abandonar um livro no meio da leitura?
Agora que compro meus livros leio até o fim. Sou pão dura a ponto de não querer desperdiçar o dindim que já gastei.


O LOCAL DO CRIME:

1- Consegue ler em local movimentado? (ônibus, fila de banco)
Geralmente, leio só no ônibus. Se o livro é bom, leio em casa.
Já estou expert nisso. Leio em fila de banco, em shopping, em pé no ônibus... Nem dirijo para não perder tempo de leitura (mentira... tenho medo de bater meu carro).

2- Prefere ler na mesa, sofá, no chão ou na cama?
Cama, lógico! 
Na verdade, em casa só fico no meu quarto. Lá ficam quase todos os itens essenciais para minha vida: cama, livros, pc, TV e DVDs. 

3- Qual a hora do dia que prefere para ler?
Qualquer uma, desde que eu esteja com os olhos abertos o.O


OS IMPEDIMENTOS:

1- É solteiro? Se não, sua namorada, noiva, esposa, te dá espaço para ler?
Sou noiva.
Um dia desses, uma amiga da minha irmã veio fazer uma entrevista comigo e com o Léo para uma matéria da faculdade. O tema era Amores de Novela.
Ela perguntou qual eram as características que um não gostava do outro. Daí aproveitei a oportunidade e perguntei ao Léo se essa minha pequena grande mania não o incomodava. Ele disse que não! Sorte dele ou teria devolvido a aliança na hora (brincadeira, amor).

2- Lê no trabalho? Se sim, qual emprego dá essa dádiva de ler na hora de serviço?
Eu leio no horário do almoço. Quando o trabalho está bem tranquilo dá para ler um capítulo ou outro. 
Sou Estatística, profissão que o Minhoca de Cotoco quer seguir (fiquei emocionada quando li isso).

3- Já deixou de sair com a galera só pra ler aqueles capítulos irresistíveis?
Já atrasei (novidade... leia AQUI), mas nunca deixei de sair.

AS INSANIDADES:

1- Já sonhou ou teve pesadelos vivendo a história de um livro? Qual foi o livro?
Acho que já sonhei com o Edward uma vez, mas não lembro direito. 
Podem ficar tranquilas garotas ciumentas, não foram AQUELAS cenas de Amanhecer.

2- Qual a maior loucura que já fez ou que faria para conseguir um livro?
Fora as loucuras para conseguir desconto que eu faço todo mês?
Acho que foi bater cartão da Novo Conceito para ganhar livro na Bienal e deixar para lá o papo no Café Literário com a Audrey Niffenegger (pelo menos peguei o autógrafo dela).

3- Já chorou ao terminar um livro? Foi de felicidade ou tristeza? Qual foi o livro?
Já chorei diversas vezes durante a leitura.
Choro em ambos os casos, tanto de alegria quanto de tristeza.
Lembro que dormi com o travesseiro molhado ao terminar A Última Música, chorei no finalzinho de Branca como Leite, Vermelha como Sangue e em A Mulher do Viajante do Tempo (resenhas atrasadas). Chorei de rir em Cotoco e chorei de soluçar em O Caçador de Pipas e em Fazendo meu Filme 3. Chorei em Nosso Último Verão.Devo ter chorado em algum Harry Potter.
Conclusão: ao contrário do que dizem por aí, sou uma chorona de carteirinha!

4- Já teve crises de riso lendo um livro? Qual? (Pergunta acrescentada pela Miloca)
Sim!
Com Cotoco e em alguns livros das minhas divas Meg Cabot, Sophie Kinsella e Marian Keyes (aceito o livro novo dela de presente de natal. Aceito também Tamanho 44 Também não é Gorda e O Segredo de Emma Corringan da Cabot e da Kinsella, respectivamente - Lá vai mais óleo de peroba).


INDICAÇÃO:
Indico este meme para os blogs que comento e que ainda não o receberam.

Bjins e bom feriado prolongado moçada \o/

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

#84: Cotoco (John van de Ruit)

Postado por Luciana Mara às 20:05:00 26 comentários Links para esta postagem

Informações:
Título: Cotoco
Autor: John van de Ruit
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 392

Comentários: AVISO: Se você tem vergonha de gargalhar em público, leia este livro em um cômodo isolado.
---------
África do Sul, 1990.
Tendo como pano de fundo a libertação de Nelson Mandela, fui apresentada a John Milton, um garoto de 13 anos que estava prestes a iniciar seu primeiro ano letivo no internato em que havia ganhado uma bolsa de estudos.

E que ano letivo! John era um calouro, o que significava sofrimento nas mãos dos veteranos (sei como é isso... tempos de CEFET). Já de início, recebeu o apelido Cotoco, devido as suas partes íntimas pouco desenvolvidas, o que por si só já seria motivo de gozação para a vida inteira. 

Não bastasse isso, ele dividia seu cubículo, com Vern, um garoto estranho que ficava arrancando tufos de seu próprio cabelo. Cotoco ainda morava na mesma ala que mais seis garotos: Cachorro Doido, Lagartixa, Rambo, Simon, Esponja e Barril. Juntos eles formavam o grupo dos Oito Loucos. As características dos garotos variavam de caçador e comedor de pombos a pegador de professoras. 

O grupo fugia para nadar na represa à noite (com desfechos engraçadíssimos), devolviam as peças pregadas pelos veteranos e investigavam o suicídio possível assassinato de um ex-professor da escola, ocorrido há vários anos. 

E se já não fosse loucura suficiente, Cotoco tinha uns dos pais mais loucos da literatura infanto-juvenil (que eu conheço). Graças a eles, e a Wombat a avó mais gagá e louca do mundo, os recessos e feriados que Cotoco ia para casa também eram hilários. E numa destas idas que Cotoco conheceu Sereia e se apaixonou (mas ela seria sua única paixão?).

O corpo docente também era ótimo e destaco o Guv, professor de literatura. Doidinho de pedra, Guv incentivava Cotoco a ler, marcando sempre encontros para discutir as histórias. Ele apresentou ao garoto o que seria o melhor livro do mundo: O Senhor dos Anéis. Quando Guv juntava com os pais de Cotoco uma coisa era certa: bebedeira!

Assim, me diverti com o garoto que sonhava em conhecer Mandela (mesmo ainda não sabendo muito bem o que a libertação dele implicava) e ser ator (queria participar da peça Oliver que a escola apresentaria). 

Descubra as loucuras relatadas no diário deste menino de 13 anos lendo Cotoco.
---------
Depois de leituras mais pesadas (resenhas mega atrasadas preguiça dominando), precisava de uma coisa leve e divertida. Após uns 40 minutos em frente à estante (sério! isto aconteceu), Cotoco brilhou para mim. E foi a escolha certa! 

Não sei se consegui expressar o quanto o livro é viajado e divertido ao descrevê-lo. Sei que me vi querendo adiar o final da leitura, porque já conhecia tão bem aquela turma, que me sentia a Nona Louca (não é novidade nenhuma) e não queria abandoná-la.

O livro é de leitura rápida e insere aos poucos, sob a perspectiva do garoto que entedia pouco sobre política, as discussões e dúvidas da população sobre o futuro após a libertação de Mandela. E achei diferente (e legal) a história se passar na África. Li sobre cidades e costumes que não conhecia. 

Durante a leitura, eu tive que fechar o livro diversas vezes para não chorar de rir. Peguei altas olhadas estranhas dos passageiros que sentavam ao meu lado no ônibus, mas era inevitável gargalhar. 

Mas nem só de alegrias vive Cotoco (e vou parar por aqui, campanha ‘ABAIXO OS SPOILERS’).

A única coisa difícil foi imaginar um jogo de críquete, esporte praticado pelo Cotoco. Como eu não fazia a mínima ideia do que era este esporte, lia, mas viajava nestas partes.

Assim que terminei o livro, lembrei que li no Tudo O Que Me Interessa que teria um filme baseado na história. Procurei para baixar e nada. Se alguém souber de alguma coisa, me manda uma @, DM, SMS, e-mail ou sinal de fumaça, quero muito, muito, muito assistir.

E nestas buscas descobri que Cotoco é uma trilogia. Tem mais dois livros já lançados (Vol. 2: Spud – The madness continues... Vol 3: Spud – Lerning to fly), mas até agora não tem nada sobre o lançamento dos demais volumes no Brasil. É só torcer para isto acontecer logo.

Aí vai uns quotes. Eu queria muito, mas muito mesmo ter separado mais, mas...
"Assisti a Uma linda mulher, com a Julia Roberts, na sala comunitária. Ela é realmente perfeita. Fiquei com uma inveja danada do Richard Gere. Depois de me formar, vou sair pelas ruas procurando prostitutas feito a Julia" Pág 35
"Ainda acordado, vendo o  Vern conversar com a toalha de banho. A certa altura a toalha deve ter dito algo engraçado, porque ele desandou a rir" Pág 218
"6h14 Papai e mamãe têm uma terrível discussão porque papai já está com bafo de cerveja a essa hora da manhã (na nossa família, ninguém bebe antes de o Sol nascer)" Pág 267
"O Minhoca pirou de vez... Meteu na cabeça que quer ser estatístico (Não sei o que isso quer dizer, mas ele garantiu que não tem nada a ver com cadáveres)" Pág 350 Senti orgulho nessa parte
Este é um dos livros mais engraçados que já li.
Super recomendo!!!




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

TOC Template by Ipietoon Blogger Template | Gift Idea