quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Textão do Facebook aqui no blog

Postado por Luciana Mara às 17:35:00
Há exatamente um ano fiz o primeiro rascunho deste texto.
Depois dele, vieram vários e vários outros, no bloco de notas do meu celular, no rascunho do e-mail e dezenas na minha cabeça. 
E demorei a colocá-lo para jogo porque eu precisava estar preparada para falar sobre o assunto sem chorar, não que tenha adiantado alguma coisa, já que acabou de cair um cisco nos meus olhos

Uma vez, há vários anos, uma pessoa me disse que eu planejava minha vida demais e que chegaria um momento em que eu não conseguiria cumprir meu "cronograma". Nunca esqueci desse comentário e várias vezes me perguntei se essa pessoa me falou com conhecimento de causa ou se foi um conselho/praga. 

Sei que essa hora chegou. 
Não era segredo para ninguém que nós dois, eu e o Léo, fizemos vários planos juntos. Iríamos no formar no CEFET, cursar a faculdade, casar dois anos após a conclusão do curso, comprar um apartamento, fazer três viagens para o exterior em três anos e depois, finalmente ter filhos. 

E tudo ocorreu conforme o planejado até a parte do "ter filhos". Criei uma meta no blog em 2015 de cumprir 30 coisas diferentes antes dos 30 anos, que não foi para a frente principalmente pelo fato de que tive que largar os outros objetivos, por mais simples que fossem, e correr atrás da nossa meta de sermos pais, que era o nosso principal tópico. E os 30 se passaram e nada...

Não foi fácil. Por mais que eu tenha contado a história para quem perguntasse, ninguém nunca saberá, apenas nós dois, como foi difícil/sofrido/doloroso todo o processo. 

Mas o tópico principal ao desejar escrever este texto nunca foi "expor" nosso problema. Sempre foi tocar em um ponto que sempre me incomodou: a cobrança das pessoas.


Se você está solteiro, desempregado, namora há muito tempo (ou não), está noivo há muito tempo (ou não), ainda não têm filhos ou tem apenas um, você sabe como é horrível todas as cobranças que as pessoas fazem entre uma conversa e outra. Eu não ligava quando perguntavam "você quer ter filhos?" ou "planeja ter filhos?", mas quando o assunto é tocado em tom de cobrança, a história mudava. 

Ninguém tem obrigação de fazer as coisas na hora que as pessoas esperam que façamos! Nada, em situação nenhuma! "Vocês já estão velhos!", "Vocês já casaram há muito tempo, cadê o bebê?", são apenas algumas das frases que escutamos e que quem as proferiu, não sabia, mas agora têm consciência do quanto nos magoaram. 

Mas "Já desisti, vocês não querem mais ter filhos" é a frase que mais me machucou. "Eu quero, mas não consigo, caramba!" era o que eu queria dizer. Queria gritar isso para o  meu interlocutor, esfregar as inúmeras caixas de hormônios que tomei, todas as injeções que me foram aplicadas. Nesse processo, engordei horrores, perdi 1/3 do meu cabelo, emagreci muito por causa de algumas complicações, tive ondas de calor e momentos de taquicardia causado por medicamentos. E depois disso tudo, ainda ouvir um "você não quer nos dar um bebê! É um absurdo!". Pode ter certeza, que por mais que eu tenha dado um sorriso amarelo na hora, mentalmente, mandei você se foder. 

E se eu não quisesse ter filhos? Ia acontecer o mesmo, porque as pessoas também me encheriam, já que todo mundo quer se intrometer na vida alheia, dar a sua opinião. Todo mundo quer fazer cobranças sobre aquilo que eles acham que é ordem natural das coisas. Às vezes as pessoas não namoram porque não surgiu uma pessoa bacana e ainda é obrigada a ouvir um "encalhada até hoje? Cadê os namorados? Já está velha, daqui a pouco o relógio biológico grita aí e você está solteira". Você já pensou nisso? Ou você está desempregado porque não consegue uma oportunidade e é obrigado a ouvir "para de ser vagabundo. Vai procurar o que fazer!". Fora o "está noivo? Cadê o casamento", o "Casou! Agora cadê os filhos", "E o segundo? Não deixa dar muito tempo entre eles". As cobranças nunca terminam! 

Saiba que se você já ouviu alguma dessas sentenças ou algo do tipo, eu me solidarizo com você, porque sei exatamente o que é ouvir algo que você não tem o poder de mudar imediatamente, por mais que esse seja seu objetivo. 

Seria tão mais saudável se cada um cuidasse da sua própria vida, não é?

Nós já tomamos como lição aprendida em cada uma dessas e inúmeras outras situações. Perguntar não ofende, mas cobrar, com tom pesado ou debochado, é o que mais incomoda. Só quando você está do outro lado é que consegue distinguir isso e sabe o quanto é chato.

Vivam suas vidas!

No mais, é isso. Não me cobrem mais nada, afinal, de cobranças, minha caixa de correio está cheia, já que a Júlia e João Miguel vem aí!!! 

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário!
Deixe seu endereço para eu retribuir a visita ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

TOC Template by Ipietoon Blogger Template | Gift Idea